SP: Professores repudiam suspensão de kit anti-homofobia e querem seu próprio material

De repente o governo Alckmin vê aí uma boa oportunidade de fazer boa política. Não vamos esquecer que Alckmin sancionou em 2001 a lei anti-homofobia de S.P., a que proíbe repressão a manifestações afetivas.

 

http://mixbrasil.uol.com.br/pride/grupos/sp-professores-repudiam-su...

SP: Professores repudiam suspensão de kit anti-homofobia e querem seu próprio material
Professores paulistas acusam governo federal de ser conservador e querem seu próprio kit

 

Professores querem seu próprio kit

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP) se posicionou contrário à suspensão do kit anti-homofobia do Ministério da Educação – que seria distribuído ainda neste ano para educadores e alunos a partir dos 14 anos de 6 mil escolas brasileiras. Em nota oficial, a entidade acusa o governo de ser “demagógico, pernicioso e conservador”.

O Sindicato se diz indignado com a decisão da presidente Dilma Rousseff e propõe ainda que os próprios professores tomem a iniciativa de fazer outros matérias com o mesmo objetivo. “Que comecemos nós mesmos a produzir e multiplicar materiais diversos e trazer a discussão para dentro das escolas, dos locais de trabalho, dos sindicatos, dos locais onde nossa vida realmente acontece.” Confira na íntegra:

NOTA
KIT GAY – PRESIDÊNCIA DO BRASIL – MOVIMENTO LGBTT

Nos irmanamos àquelas e aqueles que sentem-se traídos  e se indignam com os últimos acontecimentos envolvendo a presidência do Brasil e a luta por justiça social.

Não nos furtamos no passado e não nos furtaremos agora de expressar o nosso mais profundo repúdio a essa linha política adotada pela presidência da república e corroborada pelos partidos e instituições que lhe dão sustentação.

Mais uma máscara caiu! Agora, apenas os hipócritas e mal intencionados não são capazes – OU TEM A CORAGEM - de admitir a verdadeira natureza desse governo: DEMAGÓGICO, PERNICIOSO E CONSERVADOR. E nesse ínterim ele se iguala às esferas estaduais e municipais. Não é possível hoje distinguir entre o que propõe a burguesia reacionária e o que propõe o governo federal.

De acordo com nossos princípios políticos, um material de combate à discriminação e ao preconceito de gênero (homofóbico, lesbofóbico, transfóbico, etc.) deveria ser elaborado a partir e com a contribuição dos professores e de toda a comunidade escolar, não a partir de um grupo seleto que “pensou para...”. Ainda assim, tendo em vista a mobilização dos conservadores e os gastos públicos envolvidos na produção e confecção do chamado “kit-gay”, julgamos oportuno que a questão fosse discutida nas escolas e que estas se apropriassem da discussão que vai muito além da mera distribuição deste kit. Isto é, este material poderia se converter em uma real iniciativa de combate à estupidez, opressão e injustiças impingidas aos/às jovens nas escolas brasileiras.

Mais uma vez fica claro que o atrelamento ao governo não é benéfico à luta e ao movimento LGBTT; que a institucionalização (burocratização) excessiva é perniciosa.

Façamos de mais este ato vergonhoso do governo federal a matéria-prima para novas iniciativas de uma militância verdadeiramente combativa e livre. Que comecemos nós mesmos a produzir e multiplicar materiais diversos e trazer a discussão para dentro das escolas, dos locais de trabalho, dos sindicatos, dos locais onde nossa vida realmente acontece. Para além dos subterrâneos onde viceja uma infinidade de igrejas que parecem mais um “mercado negro de ações”, direcionemos os nossos passos para um mundo fora das cavernas, porões, calabouços e gabinetes.

Secretaria LGBTT / APEOESP – Subsede Sul / Santo Amaro

Exibições: 161

Responder esta

Respostas a este tópico

http://mixbrasil.uol.com.br/pride/ativismo/tido-como-um-pais-conser...

Tido como um país conservador, Taiwan insere questões LGBT nas escolas
Enquanto Brasil suspende kit anti-homofobia, Taiwan leva questões para a sala de aula

 

Na Parada Gay de março, LGBTs lutaram pela causa

Na Parada Gay de março, LGBTs lutaram pela causa

Enquanto o Brasil dá um passo atrás com a recente decisão da presidenta Dilma Rousseff de suspender o kit anti-homofobia nas escolas do país, o Ministério da Educação do Taiwan, país marcado pelo conservadorismo religioso, acaba de anunciar que as escolas de ensino elementar – equivalente ao ensino fundamental no Brasil – e as escolas secundárias – semelhantes ao ensino médio – serão obrigadas a oferecer aulas sobre questões LGBT no novo currículo, que será implantado a partir de setembro.

A decisão do Ministério é fruto da aprovação da Lei de Educação da Equidade de Gênero. O ato foi criado para combater as desigualdades de gênero e a discriminação, assim, o Ministério da Educação pretende incentivar os alunos a respeitarem as pessoas de diferentes orientações sexuais.

 

Gunter, uma coisa é estar decepcionado e com raiva do governo Dilma. Outra, muito diferente, é apoiar o PSDB... Nao se esqueça que foi Serra quem levantou todas as bruxas na última campanha eleitoral.

AnaLú, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Estou decepcionado com o governo Dilma, mas fica o apoio crítico para a gestão econômica (no social é um zero)

Acho que o PSoL não fala coisa com coisa em economia, mas é cheio de ideias boas em outras áreas.

Sempre critiquei todas as sandices dos governos tucanos de S.P., mas são precursores do combate à homofobia no Brasil. E isto deve ser reconhecido:

http://muitopelocontrario.wordpress.com/2010/03/26/ao-serra-com-car...

Se eu posso dar a mão ao meu companheiro no cinema ou em um restaurante é graças ao Alckmin e à bancada tucana de 2001 (eleita na época do Covas):

http://www.advivo.com.br/blog/gunter-zibell-sp/lei-paulista-contra-...

O Serra de março/2010 pode ser elogiado, o ex-gov-SP deve ser criticado por sua incoerência. Se alguém nivelou por baixo, critique-se. A eleição já passou, é muito "pra baixo" o que tem sido feito e não tem desculpa.

x-x-x-x-x

outras pessoas até podem transigir com a homofobia ou com o desleixo no trato a ela, mas eu não. São minha auto-estima e dignidade, senão minha própria integridade física que estão em jogo.

Nao transijo com homofobia. Mas nao resumo tudo a essa questao. Por mais decepcionada que esteja com o governo Dilma, sei muito bem que, perto do PSDB, é muito melhor. E a gente nao pode se esquecer nunca do inimigo principal.

Mas isso eu concordo, só que de "bom" passou para "ruim com ele, pior sem ele". Já é uma perda qualitativa...

 

Com isso, concordo.

Mas então, o PT acha que gays e lésbicas são reféns da esquerda, que não tem opção e coisa e tal. Não é verdade. Têm opção pela esquerda, que é o PSoL, o partido com maior aderência à carta AGLBT, a começar pelo Plínio. isso é conhecido e eu faço propaganda disso (apesar de Marie von Trapp, a Noviça Rebelde, ser mais esquerda que eu...)

 

E têm opção à direita. O PSDB de alguns estados pode ser o uó do borogodó, como o do PR (Beto Richa), ou o do RJ (Camilo Zito). Mas o de SP dá pra encarar. O PSDB de SP aprovou leis anti-homofobia que em nenhum estado governado por PT, PSB, PDT etc. passaram.

 

Assim, quem é refém? O PSDB-SP sabe que tem os evangélicos na mão, daí passa as leis convenientes pra agradar os GLBT e pronto. Ganha uns votinhos e não perde nenhum.

 

Se sair o kit anti-homofobia só pras escolas paulistas, como é que fica? Os evangélicos paulistas não vão falar nada, afinal é governo PSDB. E o PT federal vai passar por "Realpolitiker".

 

Ir da Realpolitik pra política real é isso...

 

E já não basta o mico que os meus amigos tucanos, que mandavam email dizendo que Dilma era assassina e coisa e tal, agora a estão apoiando.

Bom, esse Rubicao aí eu nao cruzo. Por mais decepcionada que esteja com o PT, posso até ir de Psol (de que nao gosto), mas PSDB é fora dos limites do imaginável, para mim.

O PSoL tem suas variantes regionais. Em RJ e SP me parece ok. Em 2010 votei na legenda para deputado estadual, sei que elegeram 1 deputado mas não apurei se foi raspando ou com folga. De repente em 2014 serão 2. É o jeito.

 

Não recomendo votar no PSDB-SP Quando eu digo que dá pra encarar é pra essa questão, de homofobia, não pra outras. Aqui o que dá pra fazer é estimulá-los a uma concorrência positiva, elogiar quando fizerem algo bom. Meio pavloviano...

 

Hoje, p.ex., ouvi uma entrevista com a Soninha. Sabemos como foi a campanha do ano passado, mas não vou deixar de reconhecer que ela está fazendo um trabalho bem interessante para incluir a discussão da descriminalização da maconha no debate nacional. Não votarei nela, mas também não vou boicotar esse discurso.

 

Às vezes a gente pega umas contradições legais que servem de gancho. Quando FHC fez a defesa da descriminalização falou em "discurso do medo". Alguns meses depois ele mesmo usou o "discurso do medo" (em um artigo xarope no Estadão) para fins eleitorais. Aí aproveitei pra elogiar FHC por uma coisa e apontar também, que de discurso do medo ele entende!

 

 

OK. Mas discursos se disseminam... Elogiar o PSDB nao fica nos limites em que a gente gostaria que o elogio ficasse... Eu, pelo menos, nao elogio nem que a vaca tussa.
Apenas para a minha amiga saber. Não apoio mais o programa do PR por esse partido dar guarida ao senador Magno Malta.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço