Usamos mesmo 10% do nosso cérebro ou a questão é que talvez, esteja ele, sendo mal utilizado?

Viventes na chamada era da informação e ao mesmo tempo com números crescentes dos acometidos pelo estresse mental, hiperatividade, depressividade e a enormidade de doenças degenerativas cerebrais (males de Parkinson, Alzheimer para ficar nas mais comuns e conhecidas) e dos AVCs. De acordo com pesquisa, o profissional da área de TI (tecnologia da informação ) sofrem mais com os efeitos do estresse, do que os de qualquer outra área (97%) - http://info.abril.com.br/aberto/infonews/052006/29052006-4.shl ou http://www.administradores.com.br/noticias/carreira_profissionais_d...

 

Hoje se tem disponível na grande rede mundial de computadores, uma enormidade de dados e informações. O que ilude a muitos, é que informação por si só, não significa conhecimento (mesmo porque, muitos dos dados ofertados, são conflitantes e conflituosos - veja-se apenas, a questão do clima global como é tratado de forma aterrorizadora por muitos cientistas, políticos, ONGs e mídias) e mesmo o conhecimento bem estruturado, não nos garante sabedoria, senão basta ver que muitos dos estressados e/ou depressivos, são dos grupos dos intelectualizados em demasia.

 

Talvez até, com vistas para isto, a BBC britânica exibirá o documentário: "The Virtual Revolution – H*** Interneticus" onde indica entre outras questões, que "overdose" de internet está comprometendo a capacidade, já dos mais jovens em manter concentração.

 

Matéria no UOL tecnologia, o divulga assim:

 

'Overdose' de internet diminui capacidade de concentração dos adolescentes, diz documentário

 

Estudantes britânicos estão perdendo capacidade mental para assuntos acadêmicos, devido ao uso exagerado da internet para pesquisas, de acordo com o documentário inédito “The Virtual Revolution”, produzido pelo canal BBC2.

Especialistas no assunto apontam que o fato de os usuários navegarem por vários sites faz com que eles não se concentrem em um objeto de estudo, como por exemplo a leitura de um livro. As informações são do site britânico “Daily Mail”.

Esta nova forma de associar as idéias, que a internet proporciona, faz com que a maioria dos estudantes tenha dificuldades em disciplinas lineares como leitura e escrita.

Segundo psicólogos, em menos de três anos, milhares de adolescentes britânicos necessitarão de tratamento médico causado pelo uso excessivo da internet.

O documentário, produzido pela rede britânica, foi feito em parceria com o professor David Nicholas, da University College of London, que fez um estudo sobre o impacto da internet em nossos cérebros.

O estudo consistiu em fazer uma série de perguntas para serem respondidas no computador a 100 voluntários. Os mais jovens (com faixa etária entre 12 e 18 anos) responderam às perguntas consultando metade das páginas que pessoas mais velhas levaram para responder as mesmas perguntas.

Outra constatação do Profº Nicholas é que 40% dos jovens nunca revisitaram a mesma página da internet. Em contraposição, pessoas que nasceram antes da era da internet costumam consultar as mesmas fontes de pesquisa.

“A grande surpresa é que as pessoas acessam sites como se fossem paisagens virtuais. Ficam pulando de uma página para outra e ninguém fica por muito tempo”, concluiu o especialista.

O documentário “The Virtual Revolution – H*** Interneticus” será exibido na íntegra na BBC2, no dia 20 de fevereiro.

 

http://tecnologia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2010/02/10/in...

 

No site BBC - http://www.bbc.co.uk/virtualrevolution/makingofprog4.shtml

Exibições: 647

Responder esta

Respostas a este tópico

Ney, obrigada pelos links.

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço