A visão fundamental da teoria de Reich está unificada em seu “A função do orgasmo” de 1929, que faz a junção da psicologia e da sociologia, indicando que a base das doenças psíquicas e das tensões sociais e do fascismo (de qualquer cor) originam-se da repressão da livre e sadia expressão das funções biológicas básicas, transformando o amor natural em mera mercadoria, explícita ou implicitamente.
Alguns conceitos básicos e alguns textos abaixo, sintetizam esta teoria:

1. A saúde psíquica depende da potência orgástica;

2. A enfermidade mental é um resultado das perturbações da capacidade natural de amar;

3. A maioria dos seres humanos sofre de impotência orgástica, pois a energia biológica está bloqueada e se converte, assim, na fonte das mais diversas manifestações irracionais;

4. A cura dos transtornos psíquicos requer, em primeiro lugar, o restabelecimento da capacidade natural de amar. Isso depende tanto das condições sociais como das psíquicas;

5. As perturbações psíquicas são o resultado do caos sexual, originado pela natureza da sociedade;

6. A energia vital, em circunstâncias naturais, tem poder de auto-regulação;

7. A estrutura caracterológica do homem atual – que vem perpetuando uma cultura patriarcal e autoritária há quatro mil anos –caracteriza-se por um “encouraçamento contra a natureza dentro de si mesmo e contra o mundo social que o rodeia”. (Reich, 1974) Esse encouraçamento do caráter é a base da solidão, do desamparo, do insaciável desejo de autoridade, do medo da responsabilidade, da angústia mística, da miséria sexual, da rebelião impotente, assim como de uma resignação artificial e patológica. Os seres humanos têm adotado uma atitude hostil quanto ao que está vivo dentro de si mesmos, do qual têm se distanciado. Esse encouraçamento não possui uma origem biológica, e sim social e econômica;

8. A formação do caráter no âmbito autoritário tem como ponto central não o amor parental, mas a família autoritária. Seu instrumento principal é a supressão da sexualidade na criança e no adolescente;

9. O não cumprimento da lei natural da sexualidade (o homem é a única espécie que não a cumpre) é a causa imediata de uma série de desastres terríveis. “A negação social extrema da vida conduz às mortes em massa em forma de guerras, assim como as perturbações psíquicas e somáticas do funcionamento vital.” (Reich, 1974);

(Conceitos básicos sintetizados por Ana Luz Francés)

“O desenvolvimento da democracia (…) significa que o caráter político irracional da vontade do povo deve ser substituído pelo domínio racional do processo social. Isso exige a progressiva auto-educação do povo em direção à liberdade responsável, em vez da suposição infantil de que a liberdade pode ser recebida como um presente, ou pode ser garantida por alguém...
... A ‘moralidade’ é ditatorial quando confunde com pornografia os sentimentos naturais da vida. Fazendo-o, eterniza a mancha sexual e arruína a felicidade natural no amor, quer tenha a intenção de fazê-lo, quer não.”
(A função do orgasmo – W.Reich)

“A sexualidade entendida como uma atividade vital e natural deve ser também compreendida como um aspecto da personalidade total do indivíduo. A sexualidade é uma forma de expressão emocional, cujo contato do indivíduo consigo próprio, com seus sentimentos e sensações, o capacitam a entregar-se ao outro de maneira profunda e verdadeira...
... A sexualidade entendida como uma atividade vital e natural deve ser também compreendida como um aspecto da personalidade total do indivíduo. A sexualidade é uma forma de expressão emocional, cujo contato do indivíduo consigo próprio, com seus sentimentos e sensações, o capacitam a entregar-se ao outro de maneira profunda e verdadeira

... Os sintomas neuróticos provêm de um conflito entre as reivindicações instintivas (Id) e as exigências morais (Superego) que proíbem a sua satisfação”(Freud apud Reich, 1927, p.31)

“Para Reich, a expressão orgástica caracteriza-se no desenvolvimento concomitante de amor-afeto-sexualidade. O que ocorre em nossa sociedade impotente é que atualmente desvincula-se facilmente a sexualidade do amor e do afeto; e isto é visto como um sintoma neurótico. O homem e a mulher nasceram completos e aptos a alcançar a potência orgástica, a permitir que a energia flua, sem ser bloqueada por algum dos sete segmentos de couraças. Porém, aspectos psicossociais agem de forma a desenvolver as couraças e a bloquear esta capacidade natural. Então o ser humano apela para a pornografia, sex shops, instrumentos “a mais” (portanto, em excesso, desnecessários), para alcançar o orgasmo, o que ilustra este desvio de comportamento.”(Seminário W.Reich)

«O dano é feito aí, logo no início - exatamente antes e depois do nascimento. Aí se cria a disposição para todo o resto. O NÃO, o despeito, a recusa, a ausência de opinião, a incapacidade para desenvolver o que quer que seja. As pessoas são insípidas, inertes, indiferentes. E assim desenvolvem os seus pseudocontactos, falsos prazeres, falsa inteligência, as coisas superficiais, as guerras, etc»... (“Reich fala de Freud”)

«Mas daqui a uns quinhentos, a uns mil anos, quando rapazes e raparigas saudáveis puderem enfim proteger o amor e nele achar alegria, nada mais restará de ti do que a memória do teu ridículo.» (revista D.Quixote)
"O empesteado aparece, de ponta a ponta, como um ser contraditório em todos os níveis, desde a vivência emocional até a teorização político-social; e a peste emocional pode ser considerada, deste ponto de vista, como uma espécie de neurose coletiva da contradição. Esta contradição se manifesta com uma particular virulência e uma nocividade espetacular no domínio sexual: sobre a base inabalável da frustação, o empesteado desenvolve uma atitude dupla: por um lado, a adesão, real ou fingida, a uma moral anti-sexual rígida, repressiva, sádica (bater, castrar, cortar os cabelos, ‘cortar os bagos’, desnudar publicamente, denunciar à justiça, etc.)...; por outro lado, uma espécie de lascívia sexual, de pornografia dissimulada, vulgar ou elegante, uma confusa transgressão lateral dos tabus mais ostensivos." ( “Cem Flores para Wilhem Reich” –Roger Dadoun)

“O amor, o trabalho e o conhecimento são as fontes de nossa vida. Deveriam também governá-la.” Wilhelm Reich

E a síntese das sínteses na frase de Roberto Freire, o psicanalista:

"É o amor e não a vida o contrário da morte".

Exibições: 930

Responder esta

Respostas a este tópico

Parabens Luiza. Um Zé Ninguem do terceiro milênio.
A peste emocional que nos rodeia

"Talvez você nunca tenha ouvido falar em peste emocional. Talvez nunca tenha lido nada específico a respeito, mas com certeza já deve ter tido alguma experiência desse gênero. A peste emocional geralmente aparece velada, por trás de boas intenções, no intuito de ajudar o outro e a sociedade. No entanto, com o passar do tempo, a pessoa acometida por essa “doença”, vai invadindo todos os espaços, como uma erva daninha invade uma plantação ou um câncer invade um organismo vivo, dominando tudo o que está a seu redor...
... O indivíduo acometido pela peste emocional pode estar ao nosso lado, dentro de nossas casas, de nosso circulo de amizades, de nosso trabalho, ou então, ser totalmente desconhecido e estar distante. Mas é real!

Em casa, junto à família, o indivíduo acometido pela peste emocional, em troca de poucos minutos de prazer difama o irmão, o filho, os país e outros familiares, sejam eles próximos ou não. Faz de conta que brinca de esconder coisas importantíssimas, mas esconde de verdade; finge ser o filho ou o pai bondoso, mas odeia quem está por perto e pode atrapalhar os seus planos; tem um espírito vingativo mesmo que leve alguns anos para que suas idéias se concretizem; mata por herança, apólice de seguros, poder e muito mais.

No trabalho, a pessoa que tem a peste até parece ser um bom colega, mas usa uma máscara, quase sempre imperceptível, cujo prazer é denegrir, difamar e destruir tudo aquilo que não foi construído por ele, do jeito dele, submisso a ele. São pessoas que gastam grande parte do tempo desenvolvendo vírus de computador para destruir programas importantíssimos, valiosos, que levaram dias, meses e até mesmo anos para serem construídos, só para ter uns poucos minutos de prazer sádico e doentio, vendo a desgraça dos outros...

Uma pessoa acometida pela peste emocional, como não consegue se promover pelo esforço próprio busca se promover por meio da destruição do outro. Em vez de escrever seus próprios livros vive em busca de erros nos livros dos outros para poder criticá-los, no intuito de destruir a qualidade das obras. Apega-se a títulos e se esquece da qualidade de trabalho que o outro pode ter, impedindo dessa forma o progresso; atribui ao outro a culpa e ignorância que são dele próprio; tem inveja e ódio de tudo o que é saudável, denegrindo e esmagando realizações que muitas vezes podem ser honestas e importantes...

..Uma pessoa acometida pela peste emocional tem forte tendência a formar círculos sociais e nunca ficar sozinho, ao mesmo tempo em que “caminha com arrogância, tentando destruir sua própria existência e bem–estar maldizendo com criador da vida” ( Reich, 1953, p.279); Fofoca e difamação dão a ele uma satisfação perversa; tem grande capacidade criativa , mas odeia o trabalho, a não ser que o lidere, pois é líder “nato” e sabe muito bem como dominar os mais fracos, apresentando fanatismo religioso e cultural extremista e uma sexualidade geralmente sádica e pornográfica...

...As pessoas acometidas pela peste emocional quase sempre possuem uma quantidade muito elevada de energia biológica, acompanhada de uma rígida couraça caracterológica e muscular. Daí a explicação para a rigidez de pensamento e agressividade, visto que a pessoa acometida pela peste é produto de uma educação compulsiva e autoritária...

... O conceito de peste emocional não implica terapeuticamente em uma depreciação. Como doença que é, pode ser tratada. O importante é sabermos reconhecer a peste emocional em nós mesmo se nos outros e procurarmos ajuda para isso. Se a humanidade soubesse discernir os momentos em que está se sentindo com a peste emocional, se fizesse respeitar e a tratasse, tudo seria diferente.

È bem como diz reich (1933, p.491): “só o restabelecimento de vida amorosa natural das crianças, adolescentes e adultos pode livrar o mundo das neuroses de caráter e da peste emocional em diversas formas”.

(José Henrique Volpi)

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço