Acho este tema importantissimo. Eu sou pesquisador no exterior e tentei voltar ao Brasil em 2006, quando terminei o mestrado, e o máximo que consegui foi um cargo de professor substituto numa Federal. Estou de volta à Europa e pretendo,
já no ano que vem quando terminar o doutorado, tentar outra vez retornar ao
Brasil. É muito difícil para alguém sem vínculo institucional conseguir voltar
ao Brasil. O Nicolélis e seu centro de neurociência em Natal são constantes nos
papos dos pesquisadores com banzo aqui na Europa.


Há vários problemas relacionados a essa dificuldade, como a burocracia para revalidação do diploma obtido no exterior, as panelinhas que funcionam nas universidades, onde para alguém de fora passar num concurso, salvo as poucas
mas honradas exceções, ele tem que, além de ser muito bom, ter a sorte de ter
um perfil parecido com o do peixe (tenho uma amiga que ficou em segundo lugar
num concurso, foram chamados o primeiro e o terceiro lugares, e ela... aguarda
na justiça), ainda há a falta de confiança que as empresas têm nas
universidades (elas preferem ter seus próprios centros de pesquisa do que fazer
parcerias com as universidades), enfim. Acho que vamos ter muita conversa por
aqui. Mas o mais interessante é que depois que o Brasil começou a crescer, com
a divulgação do pré-sal, o Lula mandando brasa nas relações internacionais, são
vários os gringos que me procuram querendo aprender português e saber do Brasil,
por razoes que transcendem os estereótipos de carnaval, mulata...

Exibições: 133

Respostas a este tópico

Isso é porque o governo gastou uma boa grana promovendo o Brasil. Muita gente na Europa tem a impressão que as coisas vão muito bem aqui. E talvez estejam melhores sob a visão do sonhos de consumo especialmente da população dita pobre. Há como sempre crescimento na construção civil, então faltam pedreiros, mestres, etc; dai ouve-se que no Brasil está faltando mão-de-obra "especializada". Os cientistas brasileiros no exterior não são afetados por estas variações de oferta e procura, parecem pertencer a um outro mercado, de fato atipico ou mesmo inexistente. As instituições de pesquisa e ensino no Brasil não funcionam como um mercado aberto de trabalho e sim como feudos medievais, com senhores do castelo e tudo mais. Passei 16 anos na Europa, fiz 3 tentativas de retornar e a última em 2010/2011...veja o resultado em "As Perversidades Brasileiras"

Não consegui acessar os textos Ph.D. X Doutorado nem As perversidades Brasileiras.

Olá Carolina, vc pode obter acesso pelo link http://hadriano66.blogspot.com/2011/02/phd-x-doutorado-dois-pesos-e...
Obrigada.

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço