Mar Português (Fernando Pessoa – 1888-1935)

"Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu"


Cancioneiro.pdf

Do Livro do Desassossego.pdf

FICÇÕES DO INTERLÚDIO 3.pdf

Livro do Desassossego.pdf

O Banqueiro Anarquista.pdf


O EU PROFUNDO E OUTROS EUS.pdf  ( O QUE EU MAIS APRECIO)

MENSAGEM.pdf

O Guardador de Rebanhos.pdf

O pastor amoroso.pdf

Poemas Inconjuntos.pdf

Poemas Traduzidos.pdf

Poesias Inéditas.pdf

Primeiro Fausto.pdf


Exibições: 124

Respostas a este tópico

Paulo
F. Pessoa é simplesmente fantástico.

Isto

Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir? Sinta quem lê!

Livro - O Guardador de Rebanhos e outros poemas -Círculo do Livro

Abraços

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço