Informação

ARTES PLÁSTICAS, MUSEUS

O Portal do Luis Nassif conta com inúmeros artistas plásticos e admiradores da Pintura, Escultura, Arquitetura, etc. Os aficcionados de Fotografia têm seu dinâmico Grupo. 

Vamos usar este espaço para mostrar nossos trabalhos, falar de técnicas, exposições, artistas novos e clássicos, e dos museus pelo mundo.

Sejam todos bem-vindos!

Membros: 83
Última atividade: 8 Jul, 2019



Fórum de discussão

exclusivo: UM DIA NA CASA DE REMBRANDT, NA HOLANDA

exclusivo: UM DIA NA CASA DE REMBRANDT, NA HOLANDAAntonio Barbosa Filho (*)Aberto ao público em 1911, o museu Casa de Rembrandt (Rembrandthuis) em Amsterdam reserva boas surpresas a quem admira o…Continuar

Iniciado por Antonio Barbosa Filho 30 Jul, 2018.

O mainstream e as minorias culturais

O mainstream e as minorias culturaisEnviado por Miguel do Rosário on 25/02/2014 – 2:11 pm…Continuar

Iniciado por Ana de Hollanda 26 Fev, 2014.

O jeito brasileiro de diplomacia cultural

A importância da cultura para a política externa brasileiraColuna mensal Grão-Fino, com Ana de HollandaO jeito brasileiro de diplomacia culturalAna de Hollanda, ex-ministra da CulturaUma preocupação…Continuar

Iniciado por Ana de Hollanda 28 Dez, 2013.

O Brasil nos grandes eventos internacionais

A cultura brasileira e os grandes eventos internacionaisEnviado por Miguel do Rosário on…Continuar

Iniciado por Ana de Hollanda 9 Nov, 2013.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de ARTES PLÁSTICAS, MUSEUS para adicionar comentários!

Comentário de Antonio Barbosa Filho em 10 maio 2012 às 8:26

A coleção de cerâmica utilitária e decorativa tem centenas de itens, da China, Holanda, Inglaterra, França e outros países e estilos.

Comentário de Stella Maris em 24 abril 2012 às 0:06

Rosana Paulino

Rosana Paulino é artista plástica e educadora brasileira, investigando em sua obra questões ligadas a gênero e raça, especialmente com o tema da mulher negra no Brasil.  A artista costuma utilizar técnicas e objetos tradicionalmente ligados ao universo feminino das artes aplicadas, vistas como domésticas e, portanto, femininas, tais como costura e o bordado.

Rosana comenta a respeito de seu trabalho:

“[...]Olhar no espelho e me localizar em um mundo que muitas vezes se mostra preconceituoso e hostil é um desafio diário. Aceitar as regras impostas por um padrão de beleza ou de comportamento que traz muito preconceito, velado ou não, ou discutir esses padrões, eis a questão.
Dentro desse pensar, faz parte do meu fazer artístico apropriar-me de objetos do cotidiano ou elementos pouco valorizados para produzir meus trabalhos. Objetos banais, sem importância. utilizar-me de objetos do domínio quase exclusivo das mulheres. Utilizar-me de tecidos e linhas. Linhas que modificam o sentido, costurando novos significados, transformando um objeto banal, ridículo, alterando-o, tornando-o um elemento de violência, de repressão. O fio que torce, puxa, modifica o formato do rosto, produzindo bocas que não gritam, dando nós na garganta. Olhos costurados, fechados para o mundo e, principalmente, para sua condição de mundo. [...] Gritar, mesmo que por outras bocas estampadas no tecido ou outros nomes na parede. Ele tem sido meu fazer, meu desafio, minha busca.”

Série "Bastidores" (1997)A artista, com seus trabalhos em pequena escala, tece uma política de dimensão íntima.

(http://rosanapaulino.blogspot.com.br/)

Comentário de Stella Maris em 13 abril 2012 às 11:39

vou lá conferir..

Comentário de Antonio Barbosa Filho em 3 abril 2012 às 9:17

Comentário de Antonio Barbosa Filho em 3 abril 2012 às 9:14

Já que a Valquíria gosta de Johannes Vermeer (um dos meus mestres favoritos), envio-lhes o melhor site que conheço sobre ele e sua obra:

http://www.essentialvermeer.com/

É todo em inglês, mas traz artigos sobre todos os aspectos da obra do pintor daqui de Delft, cidade em que estou agora. Aqui ele nasceu, em 31/10/1632 e aqui morreu em 15/12/1675. Seu túmulo está na Igreja Velha de Delft, que visito sempre, desde 2006.

Mas a vida de Vermeer é quase desconhecida, quase nada restou em documentos ou referências alheias de seus contemporâneos. Sabe-se que participou de uma Guilda dos artistas (este prédio ainda existe) e que não deve ter viajado ao exterior. Seus trabalhos são estudados detidamente pelo mundo, e hoje há apenas 37 quadros autenticados do "Mestre da Luz" (já foram 45). 

Trarei mais material sobre Vermeer, porque fez obras de rara beleza, imortais. Por exemplo, "A Arte de Pintar", que reproduzo acima. 

Comentário de Antonio Barbosa Filho em 29 março 2012 às 15:21

Na página "Teoria, História, Crítica" (clicar do lado direito), alguns estudos e fotos de trabalhos de Eliseu Visconti.

Comentário de Antonio Barbosa Filho em 29 março 2012 às 14:36

"A Família", Eliseu Visconti

Comentário de Antonio Barbosa Filho em 29 março 2012 às 14:31

"Moça no Trigal", Eliseu Visconti

Comentário de Antonio Barbosa Filho em 29 março 2012 às 14:21

http://ultimosegundo.ig.com.br/cultura/rio-recebe-exposicao-eliseu-...

Rio recebe exposição "Eliseu Visconti – A modernidade antecipada"

Museu Nacional de Belas Artes sedia retrospectiva da obra de um dos mais importantes pintores brasileiros

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro 29/03/2012 07:00

Foto: Divulgação

Eliseu Visconti

Sessenta e três anos após a primeira exposição, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) abriga, a partir do dia 3 de abril, “Eliseu Visconti – A modernidade antecipada”, com cerca 250 obras, entre pinturas, desenhos, cerâmicas e documentos do artista. Das obras expostas, muitas nunca foram vistas pelo público nem pelos especialistas em história da arte brasileiros. Elas pertencem a 15 instituições e a 80 colecionadores particulares.

A exposição tem como propósito consolidar o legado de Visconti, mostrando como, em sua trajetória pioneira, foi um agente capital da modernização da arte brasileira, sem romper com os artistas que o antecederam.

A produção de Visconti - pouco conhecida ou discutida abertamente no Brasil - é apresentada em toda sua extensão, desde o início de sua carreira, em 1888, época em que ainda fazia parte da Academia Imperial de Belas-Artes, até o seu falecimento, em 1944. Em seus quase 80 anos de vida, acompanhou de perto a imensa transformação que conduziu o país de Império a Estado Novo, do escravismo ao trabalhismo, da arte romântica à arte moderna. Uma oportunidade e tanto para se desvendar um pouco mais de Eliseu Visconti, um italiano da cidade de Salerno, onde nasceu em 1866 e que veio ainda menino para o Brasil.

A retrospectiva é dividida por períodos e temas, em consonância com os trabalhos desenvolvidos pelo pintor e designer. Entre eles estão paisagens, cenas de família, retratos, nus, temas históricos, painéis decorativos e objetos de design, além de desenhos e aquarelas. Dentre as pinturas, destacam-se na exposição 25 autorretratos, dentre os mais de 40 que Visconti criou em seus 60 anos de produção. Formalmente Visconti manteve-se na produção figurativa, sendo considerado o mais expressivo representante da pintura impressionista no Brasil.

O visitante terá ainda a possibilidade de acompanhar o processo artístico de Visconti na composição das obras “Maternidade” (1906) e “Recompensa de São Sebastião” (1897), por meio de estudos e variantes pouco conhecidos, e ainda apreciar “Gioventù” (1898), considerada a “Mona Lisa” brasileira, ganhadora da medalha de prata na Exposição Universal de Paris em 1900.

http://ultimosegundo.ig.com.br/cultura/rio-recebe-exposicao-eliseu-...

Comentário de Tatiana Carneiro dos Reis em 25 março 2012 às 17:55

Fotos maravilhosas. Obrigada por postar este material.

 
 
 

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço