Blog de Elianne Diz- Laura Diz -- fevereiro 2009 Arquivo (12)

Por que a moça brasileira se auto- mutilou?







O caso da moça brasileira na Suiça ainda reverbera em mim. Gostaria de entender melhor. Li que ela poderia ter sofrido alterações de humor pelo lupus, questionei entre amigos.

Uma amiga psiquiatra, que vive em São Paulo, respondeu-me, acho que é interessante lerem.

Eis o… Continuar

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 28 fevereiro 2009 às 23:30 — 3 Comentários

Questionário Proust

Proust em seu leito de morte by Man Ray


Quem conhece o Questionário Proust?

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 26 fevereiro 2009 às 0:30 — 5 Comentários

Desconserto





Desconserto



Não contenho o sorriso, é inevitável. Não nego o prazer em vê-la assim perdida, não diria desesperada, apenas perdida.

Ela tão cheia de certezas...

Vejo aqueles olhos nos meus, esfomeados, querendo me decifrar, percebo seu desconserto.

É meu o próximo passo, ela sabe. Espera.

Eu a farei sorrir, não sobrevivo sem este sorriso, ela não sabe, apenas… Continuar

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 25 fevereiro 2009 às 20:00 — 1 Comentário

Sonho: Desejo e culpa-sem revisão







Sonho



Estava numa sala com outras pessoas. Ele vem e senta ao meu lado no sofá, beija minha nuca.

Deitado sobre mim, eu solto seu braço para sentir seu peso.

Vejo que outros nos vêem. Sussurro em seu ouvido.

Ele sai de cima de mim.

Entra sua mulher e faz uma cena de ciúmes.

Diante do constrangimento dele, eu levanto e digo que sinto… Continuar

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 23 fevereiro 2009 às 14:06 — Sem comentários

Mini conto: Carnaval

Carnaval





O baile rolava há horas. Ela, zonza, deixava que ele a tocasse nos seios.

Não lembra de ter caminhado até o carro. Mas, sim, do gosto amargo de cerveja e do cheiro ácido da boca do desconhecido.

Despertou ali, o sol batendo no rosto, o corpo sujo de sêmen.

Pensou: o infeliz não usou camisinha.

Olhou para o homem, o corpo recostado à porta, roncando.

Ajeitou a roupa, saiu de mansinho. Ele… Continuar

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 20 fevereiro 2009 às 23:00 — 1 Comentário

Mini conto: A mulher que não dançava

A mulher que não dançava



Chamou-a para dançar, não quis.

Acordou de madrugada com ele beijando-a. Cheirava a bebida e cigarros. Queria continuar dormindo. As mãos ágeis dele subiam pelas suas pernas, abrindo caminho. Beijou seu ventre enquanto as mãos teciam carinhos íntimos.

Ela não queria acordar e desejava acabar logo com aquilo. Sabia o quanto ele se orgulhava com seu gozo. Ele a cobriu com seu corpo forte,… Continuar

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 19 fevereiro 2009 às 22:30 — Sem comentários

Mini conto: Dia de jogo do Flamengo







Dia de jogo do Flamengo





Pediu:



- Por favor, pare de arrastar este chinelo, veja o jogo sentado!



Ele fingiu não ouvir, continuou andando de um lado para o outro falando sozinho, xingando os jogadores do time adversário.



Ela, em desespero, se ajoelhou no chão e arrancou os chinelos daqueles pés imundos. Jogou-os pela janela, agarrou seus próprios cabelos, batendo a cabeça na… Continuar

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 17 fevereiro 2009 às 1:00 — 1 Comentário

Mini conto: Suíte número I


Suíte número I

Ficou encantada ao se ver no espelho com o vestido da patroa.
Dançou pela suíte.
Com a tesoura fez pequenos cortes nas roupas penduradas.

Ao bater a porta sabia que não haveria retorno.

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 15 fevereiro 2009 às 14:00 — Sem comentários

Mini conto: Quase amargo



Quase amargo





Viu os olhos dele a fulminarem quando disse:



- Não mudo uma vírgula na minha vida por você.



Lança afiada no coração. Por uns segundos, pensou como viveria sem ele.



Mas o amor dela é tanto que supre o dele. "Homem maduro, coração duro", pensou.



Foi até a cozinha. Fez o café como ele gosta, quase amargo. Ao oferecer a xícara seus olhos eram frios. Deixou que tomasse o… Continuar

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 11 fevereiro 2009 às 23:00 — Sem comentários

Mini conto: Fome de amor





Fome de amor



“Não te quero mais, vá embora, me deixe em paz!”, disse. Não agüentava mais.

Ao fechar a porta sentiu que havia ido longe demais.



Sentou no chão e chorou. Queria que voltasse, lhe desse colo. Era o que precisava. Ele não adivinhara? O cão chegou perto, apertou-o até o bicho se soltar aflito. Chorou mais ainda. À que ponto chegara. Sentia vergonha. Tinha medo, medo do que viria.



Ela… Continuar

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 10 fevereiro 2009 às 16:00 — 2 Comentários

Mini conto: Na pia



Sente quando ele se aproxima por trás. Finge não perceber, continua lavando a louça. A mão a toca.

Ela não se vira, deixa que ele a enlouqueça.

Neste dia quebrou apenas um prato.

Saiu dali e foi passar a roupa da patroa antes que ela chegasse.

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 1 fevereiro 2009 às 22:30 — 1 Comentário

Por que as mulheres chinesas não contraem câncer de mama ?



Leiam aqui. É assustador e nojento.
Nunca mais tomarei um gole de leite.
OK. Pode ser jogada, mas eu já sabia, pela medicina chinesa, dos mal que faz- eles dizem que traz umidade para o corpo, causando rinites, estas coisas, além de problemas digestivos.

Adicionado por Elianne Diz- Laura Diz em 1 fevereiro 2009 às 0:30 — 8 Comentários

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço