Blog de Amarilis ~Pazini Aires (29)

VIOLÃO

VIOLÃO



Um instrumento de madeira

de seis cordas dedilháveis

fundo chato e ressonante

em forma de oito, que eu abraço.



Tê-lo junto ao peito

abraçar a tua curva

encostar no coração

e dedilhar uma canção.



Com suas cordas afinadas

e um arpejo à vibrar

um vigoroso solado

de duas mãos à tocar.



Faz parte de toda ária

cantar, solar, dedilhar

invade a imensa multidão

que aprecia a acompanhar. …

Continuar

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 8 fevereiro 2010 às 11:06 — 1 Comentário

ACONCHEGO

ACONCHEGO

Encostar minha cabeça em teu ombro,

é poder me amparar e acreditar,

que não estou só,

que a vida direciona pessoas,

como dádivas sublimes,

nos deliciando com o aconchego,

num dedilhar de uma nota musical,

caliente e arpejante.

Nos eleva em delirio extasiante,

fazendo correr as lágrimas,

escondidas, guardadas, machucadas

e por fim aliviadas.

Encostar minha cabeça em teu ombro,

é poder me segurar,…

Continuar

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 7 fevereiro 2010 às 10:31 — 1 Comentário

CHAMA VERMELHA

CHAMA VERMELHA

Abraço as flôres...um ramalhete.
Rodopio a valsa...uma canção.
Canto a letra...em falsete.
Emposto a vóz...do coração.

Sou o amor...uma centelha.
Sou o tormento...chama vermelha.
Assanho o vento, acendo as estrêlas,
envolvo a lua, e a faço gigante.

Eu amo...simplesmente!

AMARILIS PAZINI AIRES

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 7 fevereiro 2010 às 10:27 — Sem comentários

O SOM DO SILÊNCIO

O SOM DO SILÊNCIO

Quero perder-me no vazio
ouvir o silêncio
do meu eu quedo
adormecido,
ficar comigo
sem eco
no meu silêncio
desbravando as linhas quietas
da alma silenciosa
que espera o som do nada
ouvindo o eu
no silente da alma
muda
sentir-me plena
no meio do nada
na voz silênciosa
do silêncio eterno.

AMARILIS PAZINI AIRES

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 6 fevereiro 2010 às 14:26 — Sem comentários

ESPELHO Te olho e confesso:procuro o meu elo perdido,Não vejo mais meu reflexoMe devolva o fio partido. Te olho e confesso:Cadê meu olhar iluminado?Não vejo o brilho refletidoMe devolva o raio esco…

ESPELHO

Te olho e confesso:

procuro o meu elo perdido,

Não vejo mais meu reflexo

Me devolva o fio partido.

Te olho e confesso:

Cadê meu olhar iluminado?

Não vejo o brilho refletido

Me devolva o raio escondido.

Te olho e confesso:

Onde anda a minha alegria?

Parece coisa tão antiga

Emoldure o meu sorriso perdido.

Te olho e peço:

Me devolva o que ainda resta,

Antes que eu desintegre

E…

Continuar

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 6 fevereiro 2010 às 14:24 — 1 Comentário

CARNAVAL, AMOR E TRADIÇÃO Carnaval, folguedos e grande folia,Pelas ruas se vão espalhando,Confete, serpentina e fantasiaE a alma vestindo alegria. Escolas desfilando em harmonia,Na avenida dividind…

CARNAVAL, AMOR E TRADIÇÃO

Carnaval, folguedos e grande folia,

Pelas ruas se vão espalhando,

Confete, serpentina e fantasia

E a alma vestindo alegria.

Escolas desfilando em harmonia,

Na avenida dividindo as alegorias,

Mestre-sala e porta-bandeira, deslizando

Apresentam a sua escola, reverenciando.

O samba no pé da mulata, que tentação!

Remexendo o corpo, contagia com empolgação

E com os olhos estáticos, em sinal de…

Continuar

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 6 fevereiro 2010 às 0:52 — 2 Comentários

ACONTECEU NOVAMENTE...SERÁ?

ACONTECEU NOVAMENTE...SERÁ?

Será que a natureza não vê...

ou os dirigentes se esqueceram?

-que as lágrimas do tempo,

escorridas, se tornam enxurradas!



Será que a natureza não vê...

ou ela está se omitindo?!

-que abriga nos morros desmatados,

seres humanos desabrigados!



Será que a natureza não vê...

ou os rios estão revoltados?

-invadem a nossa extensão,

destruindo cada passo… Continuar

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 1 fevereiro 2010 às 17:20 — Sem comentários

SENSIBILIDADE

SENSIBILIDADE
Bouquet de miosotis,
Vestido branco,
Te olho...
Pedra safira.

AMARILIS PAZINI AIRES

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 1 fevereiro 2010 às 17:16 — 1 Comentário

SENTIR...APRENDER

SENTIR... APRENDER

Se tua dor é grande, interrompa de vez em quando o teu passo apressado, e auxilia os que te rodeiam, é bem provável que ela desapareça.

Se teu chôro é intenso, pare e pense em teu companheiro, ouça o teu soluço e tente enxugar-lhe o pranto, e verás tuas lágrimas secarem.

Se tuas necessidades são imensas, pare e pense em dividir o teu pouco com o menos e as verás crescendo.

Se tua solidão te machuca, pare e sirva,… Continuar

Adicionado por Amarilis ~Pazini Aires em 1 fevereiro 2010 às 17:01 — Sem comentários

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço