Blog de Fernando dezena -- outubro 2010 Arquivo (1)

poema

na porta da fábrica gritos
homens mulheres elefantes
por um instante pensei que o mundo acabara
o mundo não era mais mundo nem o céu azul
a água não era mais água nem a terra girava
a lâmina riscou o tecido macio de nossa face
o nosso beijo manchado de sangue partiu-me
o peito partiu-me os olhos as entranhas ricas
de úlceras incontáveis no triste badalar de nossa memória

Adicionado por fernando dezena em 28 outubro 2010 às 22:49 — Sem comentários

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço