Para quem conhece São Luís do Paraitinga, a foto abaixo é inacreditável.
É a Igreja Matriz de São Luís de Tolosa. Patrimônio histórico (CONDEPHAT) do século XIX e paredes do século XVI. Dor maior é da população desalojada. Muitos perderam tudo.
Para quem é do Vale do Paraíba, a PM está recolhendo donativos para os atingidos pelas cheias e por deslizamentos (sobretudo as cidade de Cunha - que está isolada - e S. Luís do Paraitinga.

Foto: Rogério Marques (valeparaibano)

Exibições: 2808

Comentário de Rita de Cassia Vancini em 2 janeiro 2010 às 22:25
Não sou da região, mas imagens na TV, há pouco, realmente foram de cortar o coração:


Segundo o site http://www.vnews.com.br/noticia.php?id=63308:

"Doações

A Polícia Civil em parceria com vereadores de Taubaté arrecadam doações para as vítimas da chuva em São Luiz do Paraitinga. As doações podem ser feitas hoje(2) durante todo o dia. Eles pedem água, alimento, roupas e colchões.

Os telefones para informações são 147 para quem está na cidade ou 3633-4544. Quem não puder ir até o local pode ligar para o celular do plantão: 8119-5612 que eles buscam as doações.

Locais para doação:

- Plantão da delegacia da JK

- Rua Marquês de Rabicó, 33 - Gurilândia

- Rua José Dantas, 266 - Pq Aeroporto - rua da igreja

- Rua Monsenhor Miguel Martins, 361 - Vila Marli

- Rua Padre Faria Fialho, 315 - Jd Maria Augusta


Embora a notícia faça referência à arrecadação de doações no dia de hoje (2), acho que pela situação caótica o prazo deve ser estendido.
Comentário de A|\|DRE LU|Z Vasconcelos S. em 3 janeiro 2010 às 1:09
A única foto minha que achei da Igreja matriz de slp deu bode.
Para quem não conhecia, segue um link que encontrei na net:

http://guiadoviajante.com/wp-content/uploads/2009/05/sao_luis_do_pa...
Comentário de A|\|DRE LU|Z Vasconcelos S. em 3 janeiro 2010 às 13:10
Reproduzo email particular que acabo de receber que ilustra o drama das familias e de parenes na cidade de SãoLuís do Paraitinga. A se destacar a solidariedade deste povo maravilhoso que não merecia essa tragédia.

"Caros (as) Amigos (as):

É com muita tristeza que nos primeiros dias de 2010 escrevo este e-mail!



Minha "terra natal" a querida São Luiz do Paraitinga está em estado de calamidade pública como vocês já devem ter visto nos noticiários!



Tenho parentes, amigos, companheiros, enfim, pessoas muito queridas que fizeram parte da minha infância, adolescência e início da juventude....e continuam muito presentes, embora exista uma certa distância...que estão passando por um momento muito difícil, digo até de desespero, perderam suas casas, seus bens materiais, mas agradeço muito a Deus por não terem perdido suas vidas!



Hoje, depois de 48 horas sem conseguir contato nenhum com parentes, amigos, recebi um telefone de que estão bem, na medida do possível, mas sem alimentos, sem água, enfim....



Não consegui chegar até à cidade, foi inútil a tentativa...dói demais acompanhar os noticiários e ver quase tudo em baixo d'água, saber que a Igreja Matriz (que é parte da história da minha família) desabou, que parentes, amigos perderam suas casas....



Estou em casa com uma tia e uma prima, que vieram em caráter de emergência com o exército na sexta-feira à noite para minha prima dar à luz a uma menina linda (Samira) que passa bem graças à Deus!



Eu e minhas irmãs já conseguimos, junto à comunidade onde moramos, doações de alimentos, água, colchões, etc. e encaminhamos à Delegacia na JK, pois somente a Defesa Civil consegue fazer o encaminhamento das doações.



Solicito à vocês, amigos (as) que, se possível, façam doações para os moradores de São Luiz do Paraitinga! Num ato de solidariedade! Deixem suas doações na Delegacia JK!



Desde já agradeço de coração!

Cláudia Lúcia da Silva
Assistente Social
Agente de Desenvolvimento Local
Taubaté/Moreira César"
Comentário de A|\|DRE LU|Z Vasconcelos S. em 3 janeiro 2010 às 13:16
Conforme a versão temos 9.000 ou 7.500 desabrigados na cidade de São Luís do Paraitinga. de fato, é difícil dimensionar devido à vasta área rural do município. De qualquer forma é impressionante, uma vez que a população total do município é de 10 mil habitantes. Mas vale lembrar também que ouras cidades da região passam por situações difícieis. Além de Cunha onde foi noticiado a morte de 6 pessoas, lagoinha e Natividade da Serra sofrem com enchentes também! Não fosse o apoio do Exército, a população passaria em branco, do ponto de vista do apoio do governo. O governo do Estado está praticamente ausente, como aliás, ocorreu na capital do estado recentemente. Os verdadeiros heróis da cidade de São Luiz do Paraitinga, principalmente as equipes de rafting (e muitos outros voluntários da cidade e turistas como meu amigo psicólogo Régis Toledo), evitaram mortes, poupando a cidade de dor maior.
Alô! Acorda governador Serra!
Comentário de A|\|DRE LU|Z Vasconcelos S. em 3 janeiro 2010 às 14:08
Mais uma noticia chocvante sobre São Luís do Paraitinga. Acabo de falar com Régis Toledo, que pelo celular, em meio ao desespero para o atendimento de um sr. que passava mal sem que a ambulância pudesse chegar ao local (felizmente ele foi removido ao hospital), me contou que a capela das Mercês também DESABOU!!! (essa é mais antiga ainda do que a Igreja Matriz). Provavelmente do século XVII. Segue foto da capela:



Mas o mais triste é a notícia que chega: confirmada a primeira vítima da tragédia de São Luís do Paraítinga. Foi encontrada uma pessoa soterrada. :(
Comentário de A|\|DRE LU|Z Vasconcelos S. em 3 janeiro 2010 às 14:24
Amig@s,

Por fim, uma outra notícia triste. Seu colega de profissão o jornalista Jô Amado que reside em SLP também perdeu tudo! Ele é editor do site do Observatório da Imprensa. Nossa solidariedade ao grande Jô Amado e à sua família.

As crianças que voltaram da missa agora, trazem a noticia de que as igrejas de Taubaté estão recolhendo donativos paras as vítimas das chuvas no Alto Paraíba. Pedro (5) e Maíra (7) adoram SLP, e estão se mobilizando para pedir doações para as vítimas aqui entre os vizinhos.

Seria muito interessante que fosse montado um posto de doações aí na capital paulista. talvez algum amigo do blog possa organizar um comitê pró-Vale por aí.

Uma ação enérgica deveria ser tomada pelo estado. São Luís do Paraitinga é chamada de a OUro Preto Paulista, devido ao rico acervo arquitetônico-histórico. O mais preservado do estado. A despeito de sua importãncia histórica, qualquer auto-esforço dos luizenses (e eles estão sendo hercúleos) resultará em alcance restrito, pois praticamente todos foram atingidos pela calamidade. Os heróis da cidade também perderam tudo nesta tragédia. O que aconteceu em Santa Catarina dá bem a medida da tragédia de SLP.

Segundo relato de um amigo que passou o ano novo em SLP e retornaria no sábado, mas permaneceu para ajudar a atender os desabrigados, neste momento a cidade vive uma verdadeira operação de guerra. Ou seja, apesar de as águas estarem baixando, a situação ainda é crítica.
Comentário de Júlio Ottoboni em 3 janeiro 2010 às 15:13
Caro André, me preocupa em muito a situação de SL do Paraitinga. Como repórter do projeto de regionalização da Veja e depois do Estadão nos anos 90 cobri várias enchentes e também produzi reportagens especiais sobre a cidade, entre elas as fazendas históricas e sobre o carnaval ( que ainda era algo familiar) e a necessidade do núcleo arquitetônico conseguir o status de estância histórica. Conheço razoavelmente o município. Sobre a capela das Mercês, com a ajuda da dona Cinira, publiquei no Estadão algumas matérias alertando sobre a situaçaõ precária do prédio ( em muito causado pelo trânsito dos caminhões de eucalipto). SL do Paraitinga é importantíssima na história paulista e valeparaibana. Estou a disposição para auxiliar no que for preciso e se tiver notícias de meu amigo, o jornalista e editor-chefe do Observatório da Imprensa, Luiz Egypto, por gentileza me repasse, pois estou há horas tentando contato telefônico e não há como estabelecê-lo. Obrigado pelas informações.
Comentário de A|\|DRE LU|Z Vasconcelos S. em 3 janeiro 2010 às 15:26
Olá Júlio,
Não tive notícias do Luis Egypto que também conheço. E agora a comunicação via celular foi interrompida novamente. Pela manhã, falei com um colega que está lá e ele me deu notícia do Jô Amado que deves conhecer também. O bucólico restaurante Sol Nascente (ao lado da Capela ds Mêrces) de sua companheira e a casa dos 2 foram cobertos pela água. Perderam tudo. Espero melhor sorte ao Luis. Não me lembro o local da sua residência, só exspero que seja na parte mais alta da cidade. Qualquer nova notícia que tiver vou postar aqui. Abraços.
Comentário de Júlio Ottoboni em 3 janeiro 2010 às 15:42
Oi André, almocei várias vezes no restaurante do Amado. Tenho vários amigos na cidade conquistados ao longo de vários anos. Não tenho notícias da dona Cinira, viúva do Eupideo e figura ímpar na cidade. Ela reside um pouco acima da capelinha. Olha, tudo isto é muitíssimo triste, porém previsível. A conurbação do Vale do Paraíba e a transformação do solo em fundo de piscina está levando quantidades absurdas de água até os pequenos tributários dos grandes rios, como o Paraiba, Paraitinga e Paraibuna. E a velocidade que essa água chega é algo alarmante, pois a vazão dos rios não consegue suportá-las. Isto já foi tema de reportagem, de debates etc, mas nada de efetivo ocorreu até agora. Você deve se recordar do início do verão de 2000, que Campos do Jordão veio abaixo e o alto Vale do Paraíba ficou submerso. Já são 10 anos e absolutamente nada foi feito tanto pelas autoridades em todos os níveis e pela sociedade. Se continua a ocupar várzeas, impermeabilizar o solo com asfalto e se ter um uso totalmente irracional do espaços de expansão urbana. Que a tragédia de SL do Paraitinga nos sirva como ponto de mobilização regional para termos políticas públicas responsáveis. Em 2001, escrevi uma reportagem para a Scientific American sobre as ilhas sazonais (ocorrência dentro do eixo Rio-SP no período de verão que atinge principalmente os núcleos urbanizados), que aborda exatamente esse aspecto. Veja que isto já era previsto pelos pesquisadores do INPE. Tudo muito lamentável, meu caro. Mas vamos nos conversando, manterei sua página aberta na busca de maiores informações.
Comentário de Júlio Ottoboni em 3 janeiro 2010 às 16:33
Luci, já comecei a me mexer neste sentido. Moro em SJ dos Campos, estou procurando alguns cientistas do INPE que são meus amigos pessoais e vou pedir para que entrem no circuito, inclusive dando entrevistas sobre a complexidade da situação que também está afetando Paraibuna e que invadiu as áreas do Banhado de SJ dos Campos, algo que não ocorria há mais de 40 anos. Vamos nos falando. Abs

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço