Semana passada, participei de almoço no restaurante Sujinho, no centro de São Paulo, com blogueiros que o candidato a presidente José Serra imortalizou ao dizê-los “sujos”. Naquele almoço, surgiu a idéia de se fazer um ato público de repúdio à recaída de setores da “grande” imprensa no golpismo renitente que caracteriza tais setores desde o limiar do século passado.

Pretendia simplesmente divulgar o release do ato público que terá lugar no próximo dia 23, às 19 horas, no auditório do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, na rua Rego Freitas, 530, próximo ao Metrô República, centro da capital paulista. Todavia, como já começam a tentar desqualificar a iniciativa, acusando-a de pretender algum tipo de “censura” a “indefesos” impérios de comunicação, vale abordar o assunto com as minhas próprias palavras.

Em primeiro lugar, devo explicar o por que dessa iniciativa da Comissão Organizadora do Encontro dos Blogueiros Progressistas ter levado a proposta do ato a sindicatos e partidos políticos, já explicando que, de tal ato, encabeçado pelo Centro de Estudos da Mídia Barão de Itararé, participarão as agremiações PT, PC do B, PSB e PDT, bem como as centrais sindicais CUT, FS, CTB e CGTB, além do MST, da UNE e dos próprios blogueiros progressistas.

A avalanche de denúncias que surgiu da tabelinha entre José Serra e veículos de comunicação como a Globo, a Folha de São Paulo, a Veja e o Estadão, lembrou àqueles blogueiros, desde o primeiríssimo momento, que tais veículos têm uma longa ficha corrida no que diz respeito a participarem de complôs golpistas contra governos legitimamente eleitos.

O último desses complôs entre meios de comunicação e políticos de direita redundou no golpe militar de 31 de março de 1964. Os mesmos Globo, Folha e Estadão, ao menos, em aliança com empresários, partidos conservadores e chefes militares perpetraram um golpe de Estado que jogou o Brasil em uma ditadura que durou mais de duas décadas.

Para quem não acredita, basta buscar exemplares desses jornais daquela época que lerão pedidos e até ultimatos em favor da derrubada ilegal de um governo detentor de indiscutível mandato popular como era o de Jango Goulart.

Esses golpes midiáticos, aliás, não ficaram no passado, ao menos do ponto de vista geopolítico. Recentemente (em 2002), na Venezuela, a mídia de lá, com a qual a daqui se parece cada vez mais, cooptou militares e empresários, seqüestrou o presidente da República, fechou o Congresso, o Judiciário e estabeleceu a censura. Tudo muito típico.

A imprensa golpista daqui, de currículo como o que se viu acima, babava de inveja de sua congênere venezuelana.

Veículos como a Veja, anteciparam-se aos fatos e comemoraram a derrubada do presidente Hugo Chávez. Posteriormente, apoiariam e endossariam outro golpe, que, à diferença do venezuelano, vingou. Quem acompanhou o que disse essa “imprensa” durante o golpe em Honduras, não tem qualquer dúvida de que ela continua tão golpista quanto em 1964.

Diante disso, não se pode ficar de braços cruzados. A avalanche de denúncias frágeis e espalhafatosas contra a candidata a presidente que detém uma vantagem eleitoral imensa sobre o candidato da imprensa golpista sugere que essa gente, mais uma vez, começa a ter idéias… heterodoxas, digamos assim.

Vêm sendo freqüentes artigos de colunistas amestrados dos jornais e revistas supra mencionados relativizando o saber das maiorias e pregando que a decisão delas não estaria acima de tudo, dando a entender que isso inclui o direito à escolha de quem nos governará entre 2011 e 2014.

O momento político exige capacidade do cidadão de se integrar a esforços coletivos, dispondo-se a contribuir, muitas vezes, de forma anônima, visando a que a causa maior vingue. Sendo assim, convido os leitores deste blog a comparecerem ao ato contra a imprensa golpista que blogueiros progressistas, partidos e sindicatos realizarão na próxima quinta-feira.

Para concluir, vejo-me obrigado a dizer que se você, leitor, puder comparecer e não o fizer por mero comodismo, por favor não reclame depois se esses ideólogos do golpe, que se autoproclamam “imprensa”, fizerem mais uma das suas. “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.
http://www.blogcidadania.com.br

Exibições: 35

Comentário de MariaDirce Cordeiro em 23 setembro 2010 às 15:01
Na próxima quinta feira ou hoje?????
Comentário de Nery da Silva Oliveira em 23 setembro 2010 às 15:15
É José, tinha uma pedra no meio do caminho. Fica difícil para 20%, que representa a direita privilegiada por anos de descaso com os menos favorecidos, perceber o que 80% percebe. É praticamente impossível que os privilegiados se confraternizem com 28% dos menos favorecidos que ascedeu à classe C, porque invandem um espaço que até então era só seu.Fica dificíl também entender que um torneiro mecânico faça um governo que nenhum Sociologo conseguiu fazer, conforme consenso mundial. Mas não importa, os 80% são maioria e com certeza fará valer a sua opinião no dia 03 de outubro. Alguns preferem se postar do lado dos que promoviam a exclusão dos pobres, porque assim se sentem também ricos. Mas são minoria, consciência politica, a visão de um futuro melhor, o bom senso prevalecerá. O dia 03 de outubro haverá de prová-lo.
Nery
Comentário de Marise em 23 setembro 2010 às 15:35
Que pena que eu more tão longe.Gostaria de estar presente na primeira fila.
Está mais que na hora que esta imprensa golpista que está nas mãos de poucas familias se achem no direito de atacarem nosso governo, escolhido pelo povo.
Esta imprensa ajudou,sim a implantar a ditadura. Quem viveu este tempo sabe bem disso. Nãoadianta querer enganar.
Comentário de MariaDirce Cordeiro em 23 setembro 2010 às 15:58
Como por ex os do movimento do "cansei" que desceram de suas coberturas para o ato público contra o Lula,não contra o PT.
Comentário de jose luiz ribeiro da silva em 23 setembro 2010 às 16:18
HOJE

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço