BUSQUE SEUS BOLEROS FAVORITOS ... em mais uma VIAGEM AO MUNDO DA MÚSICA.

 

MEINE WELT IST DIE MUSIK

Ο κόσμος μου είναι η μουσική

Мой мир музыки

我的世界是音樂

Il mio mondo è musica

Mon monde de la musique

 

- Marco Nogueira -

 

Exibições: 144

Comentário de Euripedes Ribeiro de Sousa em 20 agosto 2011 às 21:07
Lembrei da piada do português, que em um auditório no Mexico. depois da apresentação de uma "inolvidable cantante", resolveu, depois de ver várias pessoas solicitando músicas, tais como: "hipócrita", "pecadora", sem entender o que estava se passando, gritou em alto e bom som: "fedaputa".
Comentário de Euripedes Ribeiro de Sousa em 20 agosto 2011 às 21:25
Não ha como selecionar entre esses acima citados. São todos lindos. Não tem nem como selecionar entre os vários cantores e cantoras. Eu simplesmente adoro-os. Mas tem um bolero, que não citastes e que me causa certo constrangimento quando me recordo dele. É Sinceridad. Lembras-te daquelas mansões palacianas, lá do Bairro Santo Antonio, em Uberaba, perto do Diocesano, onde estudastes? Pois é! Numa delas morava uma garota que eu idolatrava, filha de um famoso médico. Peguei o violão, chamei um amigo e fui fazer uma serenata. Cantei Sinceridad. Era a música predileta dela. Na primeira estrofe, "Solo una vez, platicamos tu e yo", ela se indignou com minha desafinada voz de "taquara rachada", disse que eu havia "matado" a música dela e nunca mais quiz saber de mim. Chegamos a fazer teatro juntos, mas nem minhas altissonantes declamações de Byron e Castro Alves arrefeceram-lhe o ânimo em relação a mim.
Comentário de Marco Antônio Nogueira em 20 agosto 2011 às 22:55

 

EURÍPEDES,

 

Olhe aí, SINCERIDAD

com Lucho Gatica.

 

Agora, você me deixou confuso

falando do bairro Santo Antônio,

pois naquela vizinhança do

Marista Diocesano o bairro

era o das Mercês.

Este bairro Santo Antônio

no meu tempo (1958 a 1964)

não existia (salvo engano).

Pode ser que ele tenha surgido

mais tarde, talvez até com o

loteamento de parte do

imenso lote (uns 05 quarteirões)

em que ficava o Diocesano.

Mas, lembrando daqueles

tempos de Uberaba, eu

também tive uma grande

paixão, uma garota que

morava na Rua Afonso Rato

(no lado direito do Diocesano).

Ela se chamava MARÍLIA DE DIRCEU,

sim, Marília de Dirceu (o pai era

da família DIRCEU de Campo Florido).

Uma das mulheres mais lindas

que conheci. MInha paixão por

ela nasceu quando tínhamos

10 anos, e continuou até

meus quinze anos.

Havia na época em que

a conheci uma música

com Alcides Gerardi

- MARISE - que por ser

um nome parecido com

MARÍLIA, marcou-me de

certa forma que um dia

passados 40 anos decidi

que iria procurá-la até encontrar,

o que fiz em meu primeiro dia

de aposentado. Saí cedo de casa

e corri todas a discotecas próximas

à Estação Ferroviária, Mercado

Central, Centro de Beagá.

Lá pelas 3 da tarde, afinal,

Encontrei-a. Um senhor de

Idade apaixonado por música

a tinha em cassete. Negociei

uma cópia. O senhor, vendo

minha emoção ao reencontrar

a música tão procurada,

pediu-me pela cópia um valor

correspondente a três vezes

o que custava um “long play”.

Mas, comprei.

Pois bem, vai abaixo o vídeo

de MARISE, que há um ano

encontrei no Youtube.

 

 

SINCERIDAD

com Lucho Gatica

 

 MARISE

 com Alcides Gerardi

Comentário de Marco Antônio Nogueira em 21 agosto 2011 às 0:06

 

EURIPEDES,

 

Um detalhe:

Os bairros em Uberaba

(lembra?) são chamados

de Alto (Alto São Benedito,

Alto das Mercês, Alto

Estados Unidos, Alto da
Abadia, etc.).

Talvez pelo falto de Uberaba

ficar entre Sete Colinas.

Daí ser chamada pelos

que tanto a admiram de

A ROMA BRASILEIRA.

Comentário de Euripedes Ribeiro de Sousa em 21 agosto 2011 às 1:38
Era mais exatamente o morro das sete voltas. Rodeado de córregos. Capturei muitas rãs naqueles córregos e roubei muitas galinhas nos quintais das residências. O bairro Santo Antõnio, foi construido em terrenos baldios existentes logo abaixo da rua Afonso Rato, que circundava a propriedade do Colégio e do Seminário. Foi feito justamente para gáudio dos ricaços. Minha esposa é de tradicional família uberabense.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço