A crise financeira internacional, que ameaça o mundo com recessão econômica, aos poucos vai espalhando seus reflexos pelos setores da economia brasileira. Todos de alguma forma tentam se proteger, como os bancos, os produtores rurais, as empresas de construção e, agora, as indústrias automobilísticas. Os governos também fazem a sua parte.

No setor automotivo, por exemplo, que vinha de vento em popa vendendo carros como nunca, já adota medidas para adaptar seu ritmo de produção às mudanças no mercado interno, diz editorial de hoje (3/11) do jornal Estadão. A firma o artigo que os fabricantes de veículos estão cientes que o ritmo de crescimento das vendas cairá muito até o fim do ano.

Já não há a menor dúvida de que “as restrições de crédito atingiram diretamente o setor e, por isso, as montadoras procuram reduzir sua produção, sem demitir funcionários.” Como alternativa colocam empregados em férias coletivas para paralisar temporariamente a produção.

Isso quer dizer que já não vendem tanto como antes, porque o crédito está reduzido, as parcelas de financiamento encolheram e os juros aumentaram. O resultado disso é queda nas vendas para o setor.

Porém, esse clima de temor a uma recessão econômica é escamoteado pela Caixa Econômica Federal, em Natal, conforme notícia desta segunda-feira (3) do jornal natalense JH Primeira Edição. Diz lá a reportagem que, apesar de tudo, a Caixa exibe em outubro “um crescimento superior a 34% dos recursos aplicados em habitação”.

Não é só, pois demonstra mais fôlego no enfrentamento da crise, anunciando crédito de R$ 3 bilhões para novos empreendimentos imobiliários. Vale conferir na prática se comprar um apartamento ou casa com financiamento da Caixa ainda se encontra as mesmas facilidades.

Exibições: 26

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço