Importante jornal paulista, na falta de assuntos mais importantes, colocou repórter como linha auxiliar do governo Serra, na vigilância sobre observação à lei fascista antifumo.

A vítima da vez foi o Studio SP, da rua Augusta, descrito como "clube de moderninhos" (???), pra angariar cumplicidade do prezado leitor classe média. Podiam ter posto "antro de moderninhos", atrairia mais odio e cumplicidade à deduragem explícita travestida de matéria jornalística investigativa.

Entrega o repórter que, logo após a presença de fiscais no local, vários clientes do "clube de moderninhos" acenderam criminosos cigarros. Houve, evidentemente (sempre haverá), cidadãos responsáveis que correram a telefonar ao 0800-dedo-duro pra dedurar os contraventores e fubecar os responsáveis pelo "antro de moderninhos". Mas o som estava infelizmente alto demais e não conseguiram cumprir a contento seu dever de cidadãos linha-auxiliares da repressão estadual.

Mas o jornal, defensor da saude pública (enquanto veicula páginas e páginas de publicidade incentivando compra de automóveis particulares produtores de monóxido de carbono geradores de progresso e desenvolvimento), não deixou barato. Denuncia em Caderno A a infração, clamanado por multas, penalidades, fechamentos.

Repórter Ricardo Gallo, que cumpre seu dever além do requerido, você vai longe. A falta de escrúpulos é alavanca poderosa à escalada profissional.

Ordem Anchieta pra você, talvez Frias te mande uma carta de congratulações por botar outros em fria?

Defender o miojo de cada dia exige a cada dia mais jornalismo investigativo.

Palmas pra ti, e pra horda de zumbis de terninho preto, gravatinha e barbinha por fazer. Yuppies da informação sacana.

Exibições: 153

Comentário de elizabeth em 10 agosto 2009 às 1:33
Poisé, e pelo que andei lendo, em alguns Estados deste país a tal lei está em vigor numa boa, sem esse marketing escandaloso da tucanagem paulista/ana. Também observei a matéria do dito, quem sabe ele e/ ou o órgão que o paga tenham algo contra o tal lugar?De repente foram barrados em algum lugar do passado, sabe como é...

Por outro lado, ressalto matéria de página inteira no Estadão com o redator-chefe, acho, daquela Veja, que se intitula escritor e diz que faz sucesso lá fora. Um que o Nassif andou mostrando, tempos atrás, que promoveu seu próprio livro na própria lista dos dez mais lidos da sua própria revista.
"La cosa está que arde", poder-se-ia dizer...
Comentário de elizabeth em 10 agosto 2009 às 1:57
Quem ainda não conhece, ou quer recordar, o texto do Nassif chamado
Como Sabino usou a revista para se promover ( Mario Sabino é a pessoa citada abaixo que foi etrevistado pelo Estadão , pagina inteira, como um grande escritor)
em
http://luis.nassif.googlepages.com/osmaisvendidos
Comentário de Zé da China em 10 agosto 2009 às 2:01
O que pega é de repente conferir todo o poder aos dedo-duros.
Aquelas matérias globais e fantasticais com repórter portando câmera escondida pra flagrar comerciantes e camelôs sempre causam certa azia estomacal.
Como repórteres enfiando microfones na cara de desavisadas vítimas: "Você sabe que está sem cinto e é ilegal?".
Zé fica torcendo pra algum desses escarrar no microfone do filho da puta. Mas os caras aceitam a bronca na boa e ainda se humilham inventando desculpas.
É um estado de coisas fascista, denuncista, safado e covarde. Coisa de inspetor de quarteirão.

Sobre a matéria do Estadão, que está na hora de comerçarmos aler, principalmente porque o caderno cultural bate de longe outros folhetins, seria legal mandar o link pra todo mundo ler.
Comentário de Zé da China em 10 agosto 2009 às 2:02
Pronto.
Chegou antes do pedido.
Valeu, lady.
Comentário de elizabeth em 10 agosto 2009 às 2:16
Eu mandei abaixo o link da materia do Nassif sobre o tal neoescritor.
A matéria do Estadão está em
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20090809/not_imp415745,0.php

espero que aberta para não assinantes.

Tem o sugestivo titulo de "Escrita alimentada pela infelicidade".
Comentário de Gilberto Cruvinel em 10 agosto 2009 às 12:12
Na mosca, elizabeth,

é isso mesmo, o tal do "compadrio literário". Esse Mario Sabino, segundo o
Nassif foi ou é namorado da diretora editorial da Record. Se não me engano,
ele se transferiu da Veja para a Folha recentemente.
Comentário de Cabocla em 15 agosto 2009 às 5:18
cecito, não parece estranho que essa lei proíba o fumo em qualquer ambiente fechado e o libere nos presídios?
Comentário de Darcio em 7 setembro 2009 às 22:51
Acho que estamos nos aproximando perigosamente de uma era extremamente moralista sem razão alguma. Sempre tenho dois pés e meio atrás com moralistas. São seres desprezíveis. Baseiam-se em argumentos toscos para viajar a vida alheia e não olham o próprio poleiro que muitas vezes é imundo. A próxima etapa é proibir a entrada de italianos-casados-com-brasileiras no país

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço