Primeiro a Luciane me cobrou a matéria para este final de semana falando sobre o dia das mães. Respondi que não estava à vontade para escrever sobre este tema. Depois escrevi a matéria, fiz breve menção ao dia das mães e mandei para minha amiga Marta de Sorocaba. Ela disse que estava legal, mas que vindo de mim ela sempre esperava mais. Reescrevi e ela gostou. Espero que também gostem.

Cada vez mais a rapidez da informação via internet me surpreende. Agora foi a vez do tradutor automático do Google. Li uma matéria que este tradutor será o caminho para um língua universal. A remissão de Babel. Digitamos em português e o texto vai saindo no idioma que queremos ou na forma inversa. Africano, albanês, alemão, grego, indonésio; no idioma que quiser tá lá escrito. Então, agora, podemos nos comunicar com qualquer cidadão em qualquer parte do mundo. Fiz uma experiência na semana passada. Uma francesa acessou o meu blog (http://fernandodezena.arteblog.com.br). Aproveitei para visitar o dela. Com o auxílio do tradutor foi fácil ler o material lá exposto e deixar uma mensagem, em francês! Fantástico, não é? Este foi apenas um exemplo. Podemos chegar a publicações no mundo todo na área que quisermos. Neste momento estou visitando, por curiosidade, o maior diário alemão: Die Tageszeitung. Selecionei parte de uma matéria que trata de assédio, assunto hoje extremamente delicado em virtude de as denúncias envolvendo membros da igreja católica. Vamos à notícia: “Jahrelang blieb Anja Röhl mit ihren Erinnerungen allein, nur wenigen Freunden gegenüber soll sie sich offenbart haben. Dass sie jetzt an die Öffentlichkeit geht, liegt auch an der aktuellen Debatte über sexuellen Missbrauch. "Endlich wird den Opfern zugehört", sagt Stern-Autor Arno Luik”. Pronto, copiada a notícia é só transpô-la para o tradutor e temos: “Durante anos, Anja Rohl ficou sozinho com suas lembranças, apenas alguns amigos que deveriam ter revelado. O fato de que agora ela vai para o público em geral também é devido ao debate atual sobre o abuso sexual. "Finalmente, as vítimas serão ouvidas", diz Stern autor Arno Luik”. Às vezes necessita de um ajuste aqui outro ali, mas considero a ferramenta excelente. Este é o mundo da socialização da informação. Não precisamos ser gênios para buscá-la em qualquer parte do mundo ou em qualquer idioma. Só a conexão com a internet e um pouco de vontade em aprender. Para os assuntos não existem limites. Se você gosta de pescaria, de poesia, de filatelia, não importa. Lá está a informação, em algum canto de algum computador. Tenho certeza que podemos encontrar a receita de uma boa linguiça calabresa em algum sítio na região da Calábria, ou um belo sushi diretamente da cultura que desenvolveu a conservação do arroz, do peixe e carne avinagrados ou uma suculenta bacalhoada portuguesa... esperem... para uma bacalhoada portuguesa não necessitamos do tradutor. Precisamos de muito dinheiro para o bacalhau, o azeite e demais ingredientes. Bom, chega de Google e chega de tradutor. Estou enganando vocês. É que amanhã é o dia das mães, e estou com um nó imenso na garganta. Quero deixar aqui a minha mensagem à Luciane, mãe de meus filhos; à minha sogra Lúcia, porque... bom, o porquê vocês sabem. Deixo também a todas as mulheres que já são mães e aquelas que ainda não, mas carregam dentro da alma os segredos da criação. Acontece que a mãe é um ser transcendente. A mãe é a única pessoa que conhece a essência da palavra amar, a essência de toda a dor e comunga com a existência humana em qualquer plano ou estado. E, por conhecerem a dimensão do carinho e do perdão, partilham de uma Trindade amena. Então, às mães (atuais e futuras), parabéns. Parece que o nó só aumentou. Enrolei mais um pouco. Mas, não deixarei de falar sobre minha mãezinha que há pouco tempo partiu. Em 49 anos é o primeiro dia das mães sem ela. Não me lembro se a beijei 49 vezes logo ao raiar do dia, durante o dia ou ao entardecer, não me lembro de presentes dados, não me lembro de onde estávamos em cada segundo domingo de maio nestas 49 vezes. Talvez viajando, talvez só um telefonema, será que me esqueci? Mas, hoje a falta é insuportável, e este nó absurdo, só me permite escrever. Talvez Deus me autorize viver mais 49 anos e a cada dia das mães sentir a sua presença de forma pura e dedicar a ela o meu primeiro bom dia! E, em todos os dias, entre cada segundo domingo de maio, sentir o toque da brisa, o orvalho da manhã, as flores que amava plantar, desabando inesperadas em meus pensamentos, anunciando minha fraqueza de homem, e meu amor de filho, e minha capacidade infinita de amar o próximo como legado verdadeiro de suas ações. Porque olha por mim, porque acalma meus sonhos, porque tem a capacidade de segurar minha mão, sem que eu perceba, levando-me incontinente na presença da Luz. Pena que o tradutor ainda não consiga transformar nossos sentimentos e nossas emoções, ele é feito de palavras frias. Mas existe um caminho, uma via aberta entre este mundo e aquele transcendente. Através das orações conseguimos tocar as pessoas que amamos e que partiram, assim como nos sentimos tocados no âmago absurdo de nossas paixões. Então: Ave, Maria cheia de graça, o Senhor e convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém. Feliz Dia das Mães, יום שמח אמהות, madres feliz día, Alles Gute zum Muttertag, happy mothers day, Festa della mamma felice, 幸せな母の日.

Exibições: 59

Os comentários estão fechados para esta mensagem de blog

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço