NOTURNO PARA OS BATmem - poema pouco musical

*
Foto de divulgação do filme "The dark knight"
*
NOTURNO
PARA OS BATmem

 
 
 
A magnitude da sozinhez,
dela, a exata dimensão,
precisos são perto de uns vinte anos
para se a perceber como uma
e a mesma da multidão,
daí se dar por achado um fato: que o susto
disto advindo pode ser maior que a medida
 tomada pelo ajunto de gente.
 
Descobrir-se em choque,
não, porém, porquê
se é o primeiro nativo a ver-se
a dois passos do estrangeiro
coberto de pelos cobertos de pano,
não, agora - para algum assombrado moço - agora
 pára somente de ser-lhe obscura
a intransitiva singularidade de outrem.
 
Depois pára, ao modo daquele modo já visto ontem
-  sendo ontem qualquer um dos que foram vistos -
para mais algum, mais algum de novo...constante;
tão constante ressoa o anúncio: 
 só, intraduzível...de um e muitos se julgando,
 portanto, desdo suposto início.
 E, d'assim ser, apesar, o espanto
costuma consumir horas. 
                                
As horas consomem décadas,
as da espera pela acomodação natural;
sim, regressa ao leito o lago feito chuva,
engrossa a cambuquira e,
o peso, o triplica o bezerro,
e então, naturalmente, se tornam talo e touro.
As afinidades
nem tanto dependem da atmosféra.
 
A incomodação tão pouco
desponta por geração espontânea;
donde grita, lá,
a mecânica dos corpos a esmo pelo espaço
gera um atrito áspero, ruidoso, e
que dispensa a anuência individual; deste àquele, 
deslocando-se pelo escuro, danificam e, ansiosos,
ferem-se eles ao impulso do calor que os atrai.
 
A esfoliação inflama a pele
que expõe a carne, ess
que escarmenta os nervos
os quais, um a um, oprimem os ossos,
 entrementes a alma em tais feitos se amola;
apenas mariposas rendidas a quem chama 
       até que lhas coma o chão.         
Sob desgaste e tepidez, por aí, se forjam
o enfado, o nojo, o prazer, do que
ficam eles quase sem se dar conta; contudo,
por causa e porque a vinda do bem e mal, 
há de lhos cobrar um tormentoso sono.
fascinados, resulta-lhes do esgaravatarem-se,
 sempre, o lodo subir à tona, de vez em vez,
algo de valor. Às línguas,
sabe a visgo e volúpia o que são.
 
E a milhões
secede serem o que,
da canalha à santidade,
lhes enformaram as diferentes sínteses
de repulsa e sedução;
e sucede
a um, e também a outros,
sentirem que a eles lhes tocou serem,
 dentre as distintas conjunções,
a gozosarepugnância,
a patética idiossincrasia
do fora de esquadro,
o contradito, o melancólico, o deplorável,
o mau e manso marginal...
 
Periferia a se inaugurar, malvisto ou
endemoniado a entrar a ser, avesso a se pôr em pé,
muito embora nenhum havendo
 a partir da amanhã seguinte ao big bang
  e ao banimento de Caim,
carece algo perto de vinte de idade
 para que um e vários se reconheçam
 gosmentodeleite, disto, nada além.
 
Debaixo do olvidio por baixo do indecifrado, aos sem par
 o que se lhes escapa é o monte de momentos, em quais,
nem régua em suas mãos havia, nem búsula ou balança,
 e comiam e obedeciam e tinham escassos os vocábulos,
ao ponto de sequer poderem descrever um encanto
ou a última aflição; disto e em qual data
 não se lembram, e do presente, os casos,
aos vinte de idade, não tem fim os que não os enunciam.
 
 
Seguem-se
prantos e perguntas, a si iguais
- desde antes, iguais -
como se não andasse o tempo.
 Fronte aos que, vivos, as ordenações emparedam 
em nichos hierárquicos, e testemunha de que,
desformes, estão os caídos a golpes de dias passados,
ele, o tempo, ele se petrifica.
 
Par a par com o deserto,
 aos perdidos persiste a nuvem de dúvidas,
 porquanto de nenhures as palavras lhes sobrevém.
Ante ao fora de alcance, o inominável,
 aos para ques, lhes falta abrangência,
e permanecem, os porquês, meras conjeturas,
mesmo que o hoje - tantos hojes - se o prove
em meio a sombra e sequidão.
 
°
<-°°->
Santana de Parnaíba
julho de 2011
NeyMaria Menezes
*


Exibições: 44

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço