A obra mais famosa do norueguês Edvard Munch, O Grito (1893), vem ganhando popularidade ao longo dos anos por supostamente representar uma pessoa que grita desesperadamente. Segundo o Museu Britânico, não existe o tal grito, e eles têm como provar isso, relata The Telegraph.
A instituição afirma ter uma impressão em preto e branco da pintura que seria uma evidência do erro que cometemos há várias décadas. Isto foi afirmado por Giulia Bartrum, curadora da próxima exposição artística em homenagem a Munch:


"Esta versão rara de O Grito que exibimos no Museu Britânico deixa claro que a obra de arte mais famosa de Munch representa uma pessoa que ouve um 'grito' e não, como muitas pessoas continuam a assumir e debater, uma pessoa que grita."

Essa interpretação é baseada no fato de que a litografia monocromática, diferentemente das pinturas coloridas, possui uma escrita do artista norueguês que diz:

"Eu senti um grande grito em toda a natureza."

O texto de Edvard Munch se refere ao que o inspirou a criar o trabalho. Em 1883, enquanto em Oslo, o pintor estava caminhando ao longo de um fiorde quando o céu começou a ter uma tonalidade avermelhada, uma percepção que teve um enorme impacto sobre ele. Nesse sentido, Bartrum disse:

"Munch deliberadamente incluiu o título desta versão para descrever como ele foi inspirado pela ansiedade que de repente sentiu. Eu estava tentando capturar uma emoção ou momento no tempo. Através da inscrição, sabemos como ele se sentiu. As pessoas pensam que esta é uma pessoa que grita, mas não é isso que está acontecendo."

Ele é um homem que ouve, seja na cabeça ou não. Sente a sensação de que a natureza está gritando ao seu redor. Não tenho dúvida de que essa figura icônica está reagindo às forças externas da natureza naquela encosta. O que ainda pode ser debatido é se, para Munch, essas forças eram reais ou psicológicas.
Se essa dedução estiver correta, a conhecida representação de O Grito, uma das obras de arte mais famosas do mundo, teria uma nova conotação após muitos anos de debate. Via

Os artistas são as antenas da raça
Ele verdadeiramente ouviu um grito. Da Indonésia para a Noruega, em 27 de agosto de 1883 - relacionado com a erupção final do vulcão Krakatoa. (PGCS)

Exibições: 39

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço