O homem serve à terra ou a terra serve ao homem?

por LEONARDO SAKAMOTO

“Convencido de que a floresta existe para ‘servir ao homem’, o paulista Eucleber Vessoni ocupa 190 quilômetros quadrados de terras da União na Amazônia – 7,6 vezes o limite máximo de venda de terras pública permitido pela Constituição. Eucleber cria gado, como a maioria dos candidatos ao programa de regularização fundiária do governo na região de Marabá, com altos índices de desmatamento e recordista em conflitos fundiários no país.”

Retirei o trecho acima de uma matéria de Marta Salomon, do jornal Folha de S. Paulo de hoje. Ela trata das brechas no programa Terra Legal do governo federal que podem ajudar grandes invasores de terra a legalizar sua posse. Uma das formas de fugir das restrições, por exemplo, é dividir a propriedade entre familiares até o limite permitido por lei. Na prática, a terra fica com a mesma pessoa, mas com pedaços em nome de outros.

Além de evitar esse tipo de possibilidade, o governo deveria criar outras formas de restrição que levem em conta o que o invasor fez com a terra no período em que esteve em posse dela - o que hoje não existe. Expulsão de comunidades tradicionais, envolvimento em mortes e conflitos agrários, trabalho escravo, seriam alguns itens que deveriam ser checados antes de bater o martelo.

Vale lembrar que terras da União são patrimônio público. Ou seja, 190 quilômetros quadrados equivalem a 19 mil hectares pertencentes a todos e não a apenas um. Somado a isso, há um outro detalhe: de acordo com a Constituição, a propriedade deve ter função social. Caso contrário, deveria ser repassada a outras pessoas que fariam um melhor uso dela.

Em 2003, participei de uma libertação de 28 escravos na fazenda Ponta de Pedra, de Euclebe Vessoni, em Marabá. A ação realizada por uma equipe do grupo móvel de fiscalização, formado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público do Trabalho e Polícia Federal, foi motivada por denúncias de maus-tratos e cerceamento da liberdade. Algumas pessoas não eram pagas há muito tempo, recebendo apenas arroz, feijão e alojamento – pequenas barracas de lona nas quais se amontoavam redes. A água que utilizavam era imprópria e servia ao mesmo tempo para consumo, banho e lavagem de roupa. O veneno usado no tratamento do pasto ficava na pele por falta de equipamentos adequados de proteção e misturava-se a essa mesma água.

Dos 28 libertados, dois tinham menos de 18 anos. Um deles com apenas 13 anos.

Pedro (troquei o nome para preservar a identidade do garoto) perdeu a conta das vezes que passou frio, ensopado pelas trovoadas amazônicas, debaixo da tenda de lona amarela que servia como casa durante os dias de semana. Nem bem amanhecia, ele engolia café preto engrossado com farinha de mandioca, abraçava a motosserra de 14 quilos e começava a transformar a floresta amazônica em cerca para o gado do patrão. Analfabeto, permaneceu apenas dez dias em uma sala de aula por causa da ação de pistoleiros no povoado onde ficava a escola. Depois, nunca mais. Trabalhava com motosserra há dois anos, fazendo 30 estacas por dia a partir de sapucaias, taúbas e canelas tão grossas que dois homens feitos não conseguiam abraçá-las. Passou fome, experimentou dengue e nesses dois anos não recebeu um centavo pelo serviço, só comida. “Trabalhar com serra é o jeito. Senão, a gente morre de fome.” Não sabia a data do seu aniversário e nem o que se comemorava no dia 1º de maio de 2003, dia em que foi encontrado pela equipe do Ministério do Trabalho e Emprego durante fiscalização na fazenda.

A lei permite ao jovem apenas a condição de aprendiz a partir dos 14 anos, em uma escola destinada a esse fim. Segundo Marinalva Cardoso Dantas, que coordenou a operação na época, o trabalho que ele realizava só seria permitido a partir de 18 anos e, ainda assim, sem as condições insalubres a que estavam expostos os cerqueiros.

O proprietário da fazenda foi obrigado a pagar mais multas e direitos aos trabalhadores. Pedro recebeu R$ 7,2 mil, a maior quantia entre todos. Contando toda a sua família, inclusive um irmão com deficiência, o total foi mais de R$ 20 mil.

No ano seguinte, o fazendeiro teve que fazer um acordo com o Ministério Público do Trabalho por conta da libertação ocorrida em sua fazenda. Segundo o acordo, homologado na 2ª Vara do Trabalho de Marabá, ele pagaria R$ 384 mil ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Vessoni também passou pelo cadastro de empregadores flagrados com mão-de-obra escrava do Ministério do Trabalho e Emprego, conhecida como a “lista suja”. Ela é usada desde 2003 como referência para corte de crédito em bancos públicos e privados e para restringir negócios por critérios sócio-ambientais.

A terra existe para servir ao homem segundo o pecuarista. Só não explicou que o “homem” em questão é ele próprio. Até porque, no caso de sua fazenda, ocorria o inverso: 28 escravos serviam à terra.

Exibições: 215

Comentário de Lucas Facco em 30 junho 2009 às 18:04
29/06/2009 - 12:39
Enviado por: marcelo batista
VC acha triste a comparação de hoje com 200 anos atrás , porque lhe convém. Normalmente a gente só vê aquilo que nos interessa ver.
porque você não acha triste querer implantar as mesmas leis do sul e sudeste do Brasil, (leis trabalhistas , ecológicas, etc), no norte do País, sabendo que o norte esta pelo menos 100 anos atrasado em comparação com o centro-sul? Eu respondo, porque não lhe convém. o seu emprego e o dos outros eco terroristas dependem das tolices que vocês fazem.
-” todos tem direito, no futuro , ao ecossistema equilibrado.” a constituição diz isto? diz sim , mas também diz que todos tem direito a vida, à terra, ao trabalho, a cidadania. agora fazer a pura e simples opção pelos calangos e pererecas em detrimento do homem, parece no mínimo que estão sob interesses escusos, dignos sim de CPIs e de policia federal.
Porque ao invés de lutar contra os brasileiros e a nossa produção, vcs eco terroristas não vão boicotar o milho dos EUA, o trigo da Argentina, as uvas da Europa, o Arroz da China e Índia, a carne da Austrália, todos produzem essas e tudo mais, em áreas que erram floresta, nenhum desses países tem a metade da área verde do Brasil
Vocês eco terroristas brasileiros , que são massas de manobra dos eco terroristas do primeiro mundo, já viram eles la em seus países de origem pedirem para o mundo boicotar alguma cadeia produtiva deles?
O ser humano não pode viver sem a natureza, porém , a natureza foi feita para o ser humano, e não o inverso.
-Deus criou o Céu , a terra , o firmamento, e tudo que há sobre a terra e nos céus, e viu que tudo era bom, mas que faltava algo, e criou o ser humano à sua imagem e semelhança, e completou a sua obra.
29/06/2009 - 12:46
Enviado por: marcelo batista
Para SAKA..
Meu caro, te acho um cara inteligente, mas não use dessa inteligencia para achar que todo mundo é burro.
Vc pega um exemplo nefasto, e usa essa historia para tentar convencer o povo brasileiro que toda uma classe(pecuaristas) são bandidos.
Porque vc nunca foi atras dos milhares de bons exemplos que existem no norte do país? De familias honestas, pessoas trabalhadoras, pequenos , médios e até grandes sim.
Em todas as classes , em todas as áreas, existem bons e maus, até mesmo na sua, a grande maioria são ecoterroristas.
bom senso e canja de galinha não fazem mal a ninguém .
29/06/2009 - 13:22
Enviado por: Ciro Lauschner
Vamos pegar o exemplo do jornalista que matou a mulher, ficou preso uns dias e está solto hoje. Isso nos credencia chamar todos os jornalistas de vigaristas(vide Minc) ? Ele está impune e não pagou multa nenhuma à sociedade.
Outro exemplo: O civilizadíssimo Canadá nem hesitou em arrumar um mal de vaca louca para o Brasil , após a Bombardier perder a concorrencia para Embraer, sabendo sabendo exatamente o que nos prejudicaria.
Mais um exemplo: A também civil iazada Itália publicou na Rai um video mostrando as crianças do Mato Grosso do Sul, sujas de carvão, que segundo o MT trabalhariam nas carvoarias, como um exemplo do uso de mão de obra infantil nas industrias de calçados , não por acaso seus grandes concorrentes. Portanto, mais devagar e faça-se cumprir a lei sem alarde a não ser que alguem esteja a serviço da concorrencia
29/06/2009 - 14:07
Enviado por: Maria Simone
Muito bom!
Compreendo Sakamoto. Se a LEI é para todos porque um pode - possuir sob o seu poder 19 mil hectares de terras - e os outros não?
Já pensou o que poderia acontecer se todos os brasileiros resolvessem imitá-lo?
Se as terras são da UNIÃO, portanto, comum a todos, permitir a posse desse tanto de terra a uma pessoa somente, é o mesmo que consentir, dar o seu AVAL, infringindo a LEI MAIOR, Constituição Federal. E estaremos abrindo precedentes para que outros também o façam. É privilegiar alguns em detrimento do direito da maioria. Não pode haver distinção, entre nós brasileiros, porque todos são iguais perante à LEI, mesmo que esse tenha maior poder aquisitivo, não se torna pessoa especial e, por isso, IMUNE. Se há uma estipulação de quantidade permitida, essa deve ser respeitada e cumprida “erga omnes”.
E ainda é pessoa tão comum que comete além desta infração - ter se apropriado de 19 mil hectares de terra - outros crimes. Motivo mais do que suficiente para que as “suas terras”, sejam devolvidas a todos nós brasileiros.
Acredito que a terra deve servir o homem, pois, é o homem que a explora e a CULTIVA a seu modo. O fato de existirem pessoas que exploram outros seres humanos, infringindo LEIS e envergonhando a nossa SOCIEDADE, fazendo-os trabalharem sem nenhuma remuneração e garantias, na terra, não quer dizer que o homem sirva à terra.
À terra existe, independentemente, de ser cultivada ou não. Ao passo que o homem não sobrevive sem os alimentos que à terra fornece.
Embora haja especulação, por causa da terra, isso não a transforma em ré. O MAL está no CORAÇÃO do homem que se deixa dominar pela ganância e pela falta de escrúpulos. O mal reside no fato de que, o PODER PÚBLICO não pode privilegiar uns(ricos e poderosos) em detrimento da maioria(pobres e leigos). O que for permitido a um deve ser permitido a TODOS, afinal TODOS, sem exceção, TÊM O MESMO DIREITO.
29/06/2009 - 14:24
Enviado por: marcelo batista
Para Maria Simone…
Não que eu defenda a propriedade de tanta terra para um só, mas….
1-A lei não restringe para brasileiros a quantidade de terra que alguém possa ter.
2-Grilar é uma coisa, comprar é outra, ele comprou ou grilou? eu não tenho essa informação, vc tem?
3-Porque a lei permite que alguém tenha uma ferrari e outros tantos apenas fuscas?
Eu em hipotese nenhuma defendo o mal patrão, o trabalho escravo, a desigualdfade social, o problema é que tem gente achando que isso só existe na pecuaria do Brasil, e não olham a realidade .
Portanto faço minhas as palavras do Ciro, no que se refere a pecuaria, aos calçados , ao milho , etc, existem muitos interesses estrangeiros por tras das opiniões.
29/06/2009 - 14:32
Enviado por: Rafael
Marcelo, entendo sua preocupação. Mas se ele tem terras que pertencem à União, ele também é grileiro. Se você compra um carro roubado, sabendo que esse carro foi roubado, pode ser penalizado por isso. Ele mesmo disse na Folha que sabe que a terra é pública.
É ingenuidade da sua parte não pensar que esse pessoal é bem esperto…
29/06/2009 - 15:46
Enviado por: O Guessa
Cara que susto!! Quando li o primeiro comentário, o de Marcelo Batista. Primeiro fiquei imaginando como uma pessoa letrada, conseguia ser tão feudal. Se o norte está atrasado 100 anos como ele diz, ele está uns 500. Fiquei confuso?? Ele queria exterminar calango e perereca ou via os peões escravos como calangos e pererecas. Depois fiquei pensando qual a idade desta besta. Se está na internet é mais provável que seja jovem, e se for jovem imagino um futuro negro para todos nós. Um sujeito como esse faz estragos inimagináveis na vida deste planeta. São como o seu Euclebe não gostam da terra, da floresta, nem de gente e apesar de inconsciente orquestra o fim de todos nós. Portando se queremos salvar a terra temos que, deletar essa gente. Ah! E não esqueçam de limpar a lixeira.
29/06/2009 - 16:10
Enviado por: Adriano
Está na Bíblia…, em Gênesis…:”… DEUS após terminar sua obra (a Terra) viu que era bom…, então fez o homem a sua imagem e semelhança…, e lhe companheira de igual condição…, disse aos para povoarem a Terra e submetê-la ao seus cuidados (do homem)…” isso é claro…: a Terra serve o homem…, mas o homem não tem deireito de destruí-la…
29/06/2009 - 16:13
Enviado por: Rogério Franco
Não vou comentar os comentários, mesmo considerando a quase total irresponsabilidade de alguns. Apenas o início do texto do Sakamoto, que cita uma alegação do pecuarista Vessoni. Sua justificativa surpreende mais ainda, pela grotesca falta de lógica.
Independente do que queira ou suponha o ser humano, a floresta serve ao homem, sim. Superior a nós, meras partes revoltadas de um todo, a Natureza dá a maior mostra de humildade que se pode notar, continuando a oferecer de si mesmo diante de toda agressão. Em sua infeliz afirmação, Vessoni se contradiz, pois ao satisfazer sua ansiedade espiritual com a posse de bens materiais, neste caso terras, poder de escravizar os semelhantes e logicamente, muito, mas muito dinheiro, ele diz que a floresta deve servir ao homem. Mas como, se ele derruba a floresta para colocar seus bois? Põe por terra milhões de anos de informação de um processo evolutivo ainda desconhecido, e que pode conter as chaves para os problemas da fome, das doenças e do abrigo. Mas o imediatismo fala mais alto, e a sede de poder supera o bom senso, nestas pessoas que parecem pensar que não vão morrer um dia.
A floresta é uma biblioteca infinita, que pode suprir este vazio existencial que faz tanta gente se perder na frivolidade dos interesses do dinheiro além do necessário e na satisfação apenas sensorial proporcionada por ele.
29/06/2009 - 16:16
Enviado por: Briguilino
Como apenas o homem parece que tem a capacidade de raciocinar, é obvio que ele se servirá de tudo que puder.
Como a Terra poderia servi-se do homem?
29/06/2009 - 16:23
Enviado por: Renato
Sakamoto, achei importantíssima a sua matéria, até por que, temos que nos preocuparmos com essa destruição desenfreada da Região Amazonas, antes que tudo termine sem termos dito nada.
Até pouco tempo atrás vi matérias onde diziam que nas Escolas tdos EUA e Europa, a amazonia já é considerada como Zona de Interesse Global, e isso seria um ótimo pretexto para aqueles que dependem e dependerão cada dia mais desses recursos naturais e terão o aval das Nações Unidas em PROTEGER a nossa Amazonia, porém o que vemos é o próprio homem brasileiro destruindo tudo e depois reclama que estão de olho no que é seu.
Tenho uma ótimo vídeo sobre isso, “A CARNE É FRACA” só para refletir e ousar uma atitude conscientemente ambiental.
29/06/2009 - 16:43
Enviado por: Aninomyous
Todos queremos e gostamos de um bom e suculento pedaço de carne na refeição, e nos indignamos com o sacrifício animal de forma inadequada, mas espere aí…se o sujeito não tem escrupulos para com seus trabalhadores, imagine a sujeira, a quantidade de vacinas ou hormônios que ele não injeta no gado pra vender, imagine a falta de humanidade para com as pessoas lá…então imagine a qualidade do produto que é consumido em restaurantes, lanchonetes, supermercados…tudo sem nosso conhecimento, achamos que é um caso isolado ali, mas quando vamos ver estamos sendo vítimas também e engolindo o produto de tudo aquilo que está errado…pode fazer bem?
Eu digo que a Terra não nos pertence, não somos donos de nada! nós é que passamos a existir pela Terra, nós é quem precisamos dela pra nos servir…os escravos lá não sabem nem o dia em que vivem, e nós não sabemos nem viver nossos dias.
Abraços.
29/06/2009 - 16:52
Enviado por: Sergio
Engraçado estes que acreditam que ‘receberam’ tudo de um ser-mágico-invisível-no-céu, mesmo que tenha sido necessário ter dar dado dinheiro em troca…
29/06/2009 - 17:17
Enviado por: Siboba
O Sakamoto serve ao Lulla Mulla, ou o Lulla Mulla serve o Sakamoto?
É o caso Tostines na imprensa sociocomunoterrorista no Brasil. Pronto. Falei.
29/06/2009 - 17:41
Enviado por: marcelo
Não da para amenizar uma conduta desse Euclebe Vessoni, nesse caso não importa se comprou ou não as terras, o que conta é submeter trabalhadores a serviços escravos que detonam com a autoestima. Qualquer trabalhadores em uma condição subumana dessas perde a dignidade. A pergunta para alguns é: e se fosse com um da sua família. Pena que no Brasil impera a impunidade, os maiores são inatingíveis. Quanto ao que acontece em outros Países, mesmo nesse mundo globalizado, atenho-me aos problemas daqui, que aliás são muitos. É verdade,Deus criou a Terra e sua plenitude para que o homem dela desfrute, no entanto, o Criador de todas as coisas abomina aqueles que não respeitam o próximo.
29/06/2009 - 17:56
Enviado por: Rachid
Bom, o cara citado seria um criminoso então? Pois bem, multe, prenda, faça. Porém ele é um, mais um que quer ficar rico usando terras públicas como muitos já fizeram. CABE AO GOVENO E SEUS MEIOS FISCALIZAR E COLOCAR LEI LÁ NOS CONFINS.
Na verdade não precisamos usar aquelas terras lá de forma predatória não, é carinha que quer ganhar muito e gastar pouco que vai entrando na floresta, seja grande ou pequeno.
NOVAMENTE CABE AO GOVERNO DO PiThí ORGANIZAR A ZONA, SEJA LÁ, OU EM BRASILIA.
29/06/2009 - 18:22
Enviado por: Roberval Barbosa de Oliveira
De inicio eu quero fazer meus os comentários do Leonardo Sakamoto!
Também enfatizar que temos mesmo é que abrir o bico na Avenida e falar dos desmandos,das regalias de uns sobre os outros, da desigualdade social, regional, da falta de coação da lei brasileira, do uso dos dois pesos e duas medidas por ela utilizados para fazer “justiça”; e por cima, ainda recebe o epíteto de cega!! Cega!! Humm!… Cega de conveniência, e somente para o pobre…Tem gente que é cego!! Ufa!!
As eleições estão por vir!! Acordam brasileiros!!
Ainda quero ver se vocês irão votar em Deputados, Senadores e vereadores! Ufa! Ah! classe de gente! Aff! Eu execro!
Parabéns Sakamoto!
29/06/2009 - 18:25
Enviado por: Joaquim de LIma
Amigo Renato, sorry but… Nações Unidas defender a Amazonia?
A ONU não defende nada, só os interesses deles, sabe quem paga 95% dos custos da ONU? Não? O Saka sabe.
O país tem riquezas e recursos, e nínguém lá fora quer defender não, querem usar e roubar, e o fazem descaradamente. Sabia que as madeireiras da Amazonia são quase todas estrangeiras? Pois é. O Saka sabe.
Quem quer fazer faz, quem não quer fica só na marolinhahh.
29/06/2009 - 19:00
Enviado por: coiote
O Sakamoto fala tanto em escravos,estou curioso onde está funcionando o mercado de escravos,e qual a cotaçao do dia,pela quantidade de escravos deve ser um mercado bem ativo.
29/06/2009 - 19:11
Enviado por: Marcelo
Nem todos são burros, como nem todos são inteligentes,…e perfeito ninguém ! E tenha certeza, A TERRA SERVE O HOMEM!!!! hoje, ainda pouco, pena que pouco mesmo, ainda ela nos serve,…o piór será quando ela não nos der mais,… daí caro, pode ser tarde de mais, ehhhh!!!! dom divino, DEUS.
29/06/2009 - 19:31
Enviado por: Brasileiro orgulhoso
Envergonho-me, quase, de ser um Brasileiro que tenta viver descentemente. Mas não, comprarei terras e derrubarei árvores centenárias, assassinarei um ecosistema milenar, aos poucos, lentamente, assim, se alguém perceber, direi, não não, o Sr está engando, estou apenas produzindo. Assim terei dinheiro, serei rico e quando esse pessoal aí, esses alienados dos direitos humanos descobrirem que tenho aqui pessoas que dou de comer , sustento sim! sou um bom sujeito, tenho meus princípios, apenas peço que trabalhem em troca…Bem, aí pago umas multas e tudo bem. Viajarei com alguns amigos do senado, conhecerei o mundo, ah! como esse país é maravilhoso.
29/06/2009 - 19:48
Enviado por: Sérgio
Olá Saka
Nos dias atuais essas histórias parecem contos de bruxa. Para o menino que foi libertado foi real e surpreendente. Provavelmente, ele achava que a situação que vivia era normal.
No norte/nordeste os latifúndios são formados com trabalho escravo e sangue. Com déspotas e atualmente com vigaristas que não pagam dívidas bancárias e falsificam títulos de propriedade de terra.
Outro dia observei na TV, os olhos esbugalhados do Caiado. Já vi aquele olhar no Collor. Esse é um dos representantes de uma categoria tão importante para o povo brasileiro? É pouco, né?!
A discriminação de terras na Amazonia legal pode ser feita com R$15 bilhões. Basta determinação política e negociação para trocar por um trem-bala entre Rio - SP.
29/06/2009 - 19:50
Enviado por: Ermelindo de lima
E o nome dela é Siboba, e se não fôsse?
29/06/2009 - 19:50
Enviado por: marcelo batista
Para Rafael…
É lógico, que não defendo o roubado, mas existe na lei o terceiro de boa fé.
Não estou dizendo que seja o caso dele. O problema com relação a ele, é que o Saka, o esta pegando como uma regra para uma classe inteira. Nestes meus comentários, não estou defendendo o tal , até mesmo porque não gosto de fazê-lo com quem não conheço a história.
comrelação a terra DEVOLUTA, é totalmente diferente de um carro roubado, é ingenuidade sua pensar que são coisas corelatas.Terras devolutas existem de norte a sul do país, e se são devolutas , é porque o Estado não as aproveitavam e alguém as aproveita agora, produzindo renda e empregos, onde antes não se produzia nada.
29/06/2009 - 19:55
Enviado por: marcelo batista
Para o Guessa…
Bom ser supremo encarnado, se para estar na internet tem que ser jovem, obrigado, e parabéns também pela sua juventude.
Me desculpe se um texto tão simples , que beira o “matutes” foi tão complicado para vc.
Talvez se vc conversar com os calangos e pererecas , vc consiga entender melhor o texto.
29/06/2009 - 19:58
Enviado por: Fernando, Publicitário e Biólogo
Para começo de conversa, acho que o homem não é mais nada do que uma espécie como as outras… Q vá para a puta que o pariu quem acredita na Bíblia como se fosse a verdade pura e absoluta… Ela foi escrita a pelo menos 2 milênios e pouco atrás, por escribas que copiavam o que os autores ditavam (melhor quando os próprios autores sabiam escrever), além disso, passando de mão em mão, de escriba a escriba, cada um queria melhorar um pouco, ao seu próprio bel prazer (ponto final nessa discussão), então, não me venham dizer que foi Deus que permitiu essa Babilônia no meu e no seu mundo!!! Por isso existe o livre arbítrio. O homem serve a Terra, para que dela não seja um parasita (Parasita= ser que se apropria de parte de um organismo maior, tomando toda a energia para sobreviver e multiplicar-se, evitando a morte desse organismo); Uma coisa certa é que a Terra não vai morrer. Os homens vão morrer, e cada vez mais, eles aceleram esse processo. E se devastarem a amazônia para dar o “bom e suculento pedaço de carne” (como disse o Anonymous), vcs vão abrir as portas para um inverno rigorosa na Europa, uma imensidão de areia onde hoje é a grande floresta amazônica, tufões atingindo a ásia, e o sul do Brasil. Querem ganhar dinheiro e produzir comida (gado, no caso)… muito bem, é só por a chave na fechadura das portas do verdadeiro inferno… Derrubem a amazônia e gostaria que estivessem vivos para ver em qual mundo seus filhos e netos vão viver. Não sou Mãe Diná, e nem gostaria, mas não será um futuro feliz e altaneiro, e sim, triste, canibal e anarquista.
Boa sorte a vocês, carnívoros e latifundiários. Que a Mãe Terra (Gaia) tenha piedade de vocês. Pq dinheiro nenhum vai conseguir manter vocês vivos quando sua verdadeira fúria chegar.
29/06/2009 - 19:59
Enviado por: Fernando, Publicitário e Biólogo
E tem outra!!!! Quem roubou o primeiro pedaço de terra aqui foram os portugueses, malditos!!! Ninguém é dono da terra, ela pertence a todos “você é apenas um fio na teia da vida”.
29/06/2009 - 20:03
Enviado por: marcelo batista
Para Adriano…
Vc está coberto de razão.
DESTRUI-LÁ, eu acho que estamos fazendo quando, chegamos a ter um carro para 2 habitantes.
quando acendemos bilhões de cigarros , que juntos, dariam uma floresta queimando.
Quando deixamos o campo e inchamos nossas cidades , asfaltando e encimentando cada palmo de chão, provocando enchentes.
Quando tamamos aquela coca-cola tão geladinha, e jogamos a PET, no lixo.
Quando chupamos a balinha e jogamos o plastico pelo vidro do carro.
Quamdo naõ exigimos dos prefeitos o tratamento do lixo e do esgoto.
Eu poderia escrever um livro de como se destroi o planeta.
Agora em uma linha eu te digo como não se destroi o nosso planeta: - ” produzindo alimento no chão que Deus nos deu.”
obs: resguarde-se é lógico que como em qualquer área existem os predadores.
29/06/2009 - 20:03
Enviado por: Paulo Henrique
SOMENTE UM GRANDE F.I.L.H.O. DA P.U.T.A , DESCARADO, PICARETA E DESUMANO PARA FAZER O QUE ESSE (Euclebe Vessoni ) E FAZ… CADEIA, NELE, EM OUTRO PAÍS IRIA PARA CADEIRA ELÉTRICA… E… VCS QUE DEVEDEM DEVEM SER DA FAMÍLIA DELE… BANDO DE SAFADOS!!!!
29/06/2009 - 20:16
Enviado por: marcelo batista
Para Marcelo…
Concordo plenamente contigo.Hora nehuma eu defenderia alguém que quer subir na vida pisando nos outros. Se esse cidadão, Euclebe, mancha sua reputação, será que é justo manchar a reputação de milhares de produtores, como estão fazendo os ecoterroristas , por causa dos erros de alguns?
Ai eu que pergunto; e aquele produtor que com suor a vida inteira lutou para ter o que dar de comer a sua familia e hoje se vê encantoado, como bandido na boca de tantos, que na maioria das vezes não sabem , que foi o próprio Estado brasileiro que durante quase meio século mandou que os brasileiros colonizassem a amazônia?
Ai eu pergunto e se fosse vc no lugar desse produtor?
Não defendo os poucos maus produtores, mas a imensa maioria de bons produtores , que tanto orgulham o país.
29/06/2009 - 20:23
Enviado por: marcelo batista
Ao brasileiro orgulhoso…
Porque vc não derruba sua casa e planta pelo menos 10 arvores no local? Mora na copa de uma.
Se vc for vegetariano, porque não deixa de comer sua alface , produzida onde antes tinha pelo menos 10 arvores? e vai viver de castanha do pará?
Se for carnivoro, porque não deixa de comer seu bife acebolado , produzido onde antes tinha pelo menos 10 arvores, e vai viver de gafanhotos e lagartos?
Ecoterrorista é assim, fala tanto e faz tão pouco. Viu que se vc mudar sua vida ja vai estar plantando 30 arvores?
29/06/2009 - 20:26
Enviado por: marcelo batista
Para o Saka e o Sérgio…
O Saka, espero que vc e os outros ecoterroristas, estejam satisfeitos com a sociedade de alienados que vocês estão formando , que formulam seus pensamentos simplismente pelo que veem na tv. E que muitas vezes nunca sentiram o cheiro de uma bosta de vaca.
29/06/2009 - 20:54
Enviado por: Brasileiro orgulhoso
Pois o Sr está certo caro Batista, muito me admira sua retórica. é advogado? Por favor, deixe-me seu cartão caso venha precisar de alguém que defenda tão brilhantemente o progresso. No mundo dos negócios sempre temos que estar bem acessorados.
Agradecido.
29/06/2009 - 21:59
Enviado por: Perestroika
Muito interessante. Neste texto está escrito “Vale lembrar que terras da União são patrimônio público. Ou seja, 190 quilômetros quadrados equivalem a 19 mil hectares pertencentes a todos e não a apenas um.”
No texto sobre a arquitetura de exclusão em São Paulo, entretanto, o espaço público não tinha dono: “(…) se há pessoas que querem viver no espaço público por algum motivo, elas têm direito a isso. A cidade também é deles (…).”
Guardadas as diferenças entre cidades e florestas, é evidente que o conceito tem que ser único: o que é público, se é de todos, não pode ser privatizado para atender o interesse de poucos.
E qual a função social de áreas de florestas? É sugerido repassar uma área ilegalmente devastada para “outras pessoas” (se servirem?), para evitar que os Vessonis da vida a utilizem de forma ilegal. Ora, ou pode ou não pode, ou é preto ou é branco, essa zona cinzenta não se sustenta na organização da Sociedade.
É melhor deixar essa conversa de público x privado de lado e focar no desmatamento acima do permitido e no desrespeito às condições de trabalho, assuntos regidos por leis bem mais claras, que dispensam opiniões de ocasião.
29/06/2009 - 21:59
Enviado por: José di Salvatt
Sr. tem terra suficiente fora da Amazônia, pra que ficar lá enchendo o saco e devastando?
Por que é barato. Simples.
Fazendeiro FDP sempre teve, mas como é entendida como questão da Justiça do Trabalho, ninguém vai preso. Mágica.
Veja vc pode ter escravos (ou como a mídia gosta: “trabalho análogo a escravidão…”) e nada acontece, não é lindo este Brasil?
Mas é uma minoria dos agricultores, ultra minoria, que faz isso.
O resto é teatro do japa querendo ibope.
Por que ele não fala das ONGs que roubam nossa fauna e flora nativa.?
29/06/2009 - 22:01
Enviado por: Maria Simone
Para o Marcelo Batista:
Não sei não…. mas estou achando que você é o próprio Euclebe Vessoni, senão porque justificaria tanto os CRIMES praticados por ELE. E, também está um “pouco desinformado” quanto à questão da Reforma Agrária. Agora quanto ao item 3, sinceramente? Não merece resposta.
E só um ESCLARECIMENTO: Quando afirmei que à TERRA serve ao homem e, que o homem precisa do alimento que à TERRA fornece para a sua sobrevivência, não quis dizer com isso, que concordo com o desmatamento desenfreado. Aliás há provas mais do que suficiente de que às florestas em pé é necessário para o bom funcionamento das estações.
E para os que acreditam em DEUS e aceitam À bÍblia sagrada, não se esqueçam que Deus diz em Gênesis: ” Crescei e multiplicai-vos e dominai sobre todos os animais” e, disso depreendemos que há necessidade do homem desmatar em alguns casos.
Outra coisa que me chama a ATENÇÃO, são esses estrangeiros, usarem uma desculpa tão esfarrapada, como essa (pulmão do mundo), para impedirem que os brasileiros(nativos), tomem conta do que é seu por DIREITO: o uso da TERRA.
A AMAZÔNIA É BRASILEIRA. E se empresas estrangeiras podem especular em cima dessas terras, porque não nós brasileiros começar a tomar posse do que é nosso: A FLORESTA.
Não temos culpa se eles derrubaram toda a floresta deles. Da nossa cuidamos nós. De forma legal e de modo a beneficiar TODOS, INDISTINTAMENTE.
Quanto a “pulmão do mundo”, isso é hipocrisia. Para isto há o mar separando todos os CONTINENTES E, ISSO, equivale dizer que a floresta daqui não influencia em nada o ambiente lá. CADA continente tem que pagar pelos próprios erros que cometeram nas suas terras e florestas. Não vai ser nós brasileiros quem vai pagar pelos erros deles. A AMAZÔNIA É NOSSA E CONTINUARÁ SENDO SE NÓS CONTINUARMOS A FISCALIZAR.
29/06/2009 - 22:31
Enviado por: marcelo batista
Pra Maria Simone…
1-Talvez lhe falte um pouco de interpretação de texto. Releia meus comentários e pense se defendo esse tal Euclebe.
2-Ate agora não me lembro de relatar algo sobre reforma agrária.
Se vc ler todos os meus comentários, vai perseber que como vc defendo que a Amazônia é nossa, porém para ela continuar a ser nossa , não se iluda, temos que povoa-la. Não quer dizer que devemos extingui-la, como fizeram os que se dizem de 1 mundo.
O brasileiro que for pelo menos um pouco nacionalista, precisa acordar antes que seja tarde. As ONGs extrangeiras estão recutando varios ecoterroristas. Infelizmente 1 ecoterrorista faz mais barrulho que mil produtores.
Pra todos até mais…Tô indo pro norte..
30/06/2009 - 01:06
Enviado por: Azarias
Estes caras falam tantas besteiras, uma delas é acreditarem em deus. Não acredito em deus para não pensar no diabo.
30/06/2009 - 01:26
Enviado por: Francisco Cavalcante
Caro Marcelo Batista
Infelizmente lhe falta conhecimento em duas áreas:1. Na área de produção agropecuária, pois os produtores de carne nacional não necessitam desmatar a Amazônia, ou qualquer outra mata natural. Pois o Brasil já está bastante desmatado, precisam sim, utilizarem-se de técnicas de agroecologia para produção, infelizmente muitos de nossos produtores não procuram atualizar seus conhecimentos, tendo sempre que buscar terras novas para manter seu modelo atrasado de produção de carne, etc. 2. Na questão Ambiental. Se outros países já desmataram e destruiram seus ecossistemas, não precisamos copiar estas aberrações. A terra pode até servir ao homem(nem quero entrar nesta discussão), mas é certo que o homem precisa da terra em condições sadias para sobreviver. Ou seja, se destruirmos o equiíbrio natural nós não sobreviveremos. Mas aí está o interessante, caso alteremos o equilíbrio natural, o meio-ambiente após 500, 100 ou 2000 anos irá se recompor, mas nós não estaremos mais aqui(nem nossos filhos ou possíveis netos). E esta é uma questão indiscutível.
Você parece ser muito bom em direito, mas deveria ler mais sobre ecologia, ecossistemas, agroecologia, uso de pesticidas químicos, etc.
Resumindo: VÁ ESTUDAR.
30/06/2009 - 13:17
Enviado por: Aninomyous
Concordo plenamente com o que foi dito, esses caras são na verdade criminosos, grileiros, os escravos ‘libertados’ são os proprios capangas assassinos de quem invadir a terra grilada, isso quando não são reféns dos capangas assassinos (tipo o exemplo do guri de 13 anos), mas também isso é problema de as autoridades agirem com firmeza, pulso firme, a justiça deveria ser a primeira a apoiar ações de repressão e detenção dos elementos envolvidos…será que por detrás não tem juizes e autoridades ganhando?…porém também sou favorável à exploração sustentável, de forma que todos tenham alimentos saudáveis (carne verde, organica, etc.) e trabalho (remunerado, com direitos tipo FGTS, Férias, 13°, planos de saúde, auxílios diversos), pois mercado existe para absorver, tem gente comendo insetos na ásia, outros comem lesma na França, outros passam fome mundo afora…o caso é simples, os grileiros vivem ostentando luxo, a produção é insuficiente (para a proposta de alimento) gente na própria fazenda deles passam fome, e enquanto eles enchem o rabo de dinheiro o mundo fica escasso de alimentos bons além de que os caras usam a invasão e desmatamento para não pagarem impostos e nem terem responsabilidades sociais (para com seus próprios capangas e trabalhadores)…fica obvio que eles invadem enchendo de assassinos pra devastar e depois ter legalizado como se não fossem bandidos, o que mais dizer? que o cidadão comum é refém dos empregados deles no poder que remuneram mal o cidadão e tomam de assalto nos impostos? se faltava, agora não falta mais, eles são além dos Reis do Gado, donos do Brasil e da terra…
30/06/2009 - 13:25
Enviado por: saquarema
Os leitores são todos espertos.
As opiniões são todas inteligentes.
Porém, e há sempre um porém, quem ganhou d’argent com o assunto foi o Sakamoto. Olhem lá em cima e vejam os patrocinadores do homem!
Resumindo: Somos todos um bando de idiotas do Sakamoto
Att
30/06/2009 - 13:35
Enviado por: André
Justamente o que não se pode é viver a Paranóia da intocabilidade ou da anarquia fundiária. O que falta ao País é bom senso , equilibrando as ações e iniciativas de forma inteligente e compatíveis com o momento atual. Não se pode conceber manter as florestas numa redoma de vidro , assim como é inconcebível destruir tudo sem critério. Hoje a região Amazônica tem 27 milhões de Brasileiros e muito do que alimenta essas populações viaja de 1000KM a mais para abastecer o mercado, O projeto inicial da Colonização Amazônica jamais incluiu Latifundios , e sim nucleos ocupados com critério e levando em conta a Preservação , dentro da Lei vigente à época. O pior é a interferência de nações que destruiram de forma implacável suas riquezas naturais , agora determinarem o que e como se faz no Brasil. Temos capacidade e competência para criar um modelo Brasileiro de sustentabilidade e desenvolvimento ou Duvidam disso?
30/06/2009 - 14:06
Enviado por: Ahahahahahahaaaaaaaa
Vou além…”…será que por detrás não tem juizes e autoridades ganhando?…” será que não são eles mesmos quem invade as terras, ocupando ilegalmente e anonimamente? cercam de assassinos pra ‘guardar’ o que irão devastar e usam escravos pra o trabalho sujo…terra invadida não tem dono, mas certamente o desinteresse da justiça aponta pra ela o maior interesse então? não será? depois eles ‘legalizam’ aquilo com uma cara besta de ‘não sei quem foram os invasores mas agora vamos usar aquilo pra criação de gado’? tente algum cidadão comum invadir e fazer aquilo lá pra ver se a justiça não o pega rapidinho…tenho sérias dúvidas com relação a todo circo que eles fazem lá em Brasília, e que além de tudo isso ainda parasita os impostos das pessoas que trabalham nos centros urbanos.
30/06/2009 - 14:59
Enviado por: Aninomyous
Ok, desculpe se me excedi, espero que não tenha medo pois eu não ataquei x ou y porém fiz também um protesto, não adianta culpar cidadãos que lutam pra pagar contas e ter uma vida modesta de não caçarem monstros, bandidos e assassinos, quem faz tudo aquilo lá não é ‘brasileiro’, mas sim ‘mercenário’ e realmente não tá nem aí pra escravidão ou fome, vida ou morte, pudores ou escrúpulos, isso eu tentei deixar claro, eles tem poder e usam isso, ou não seriam tão bem sucedidos.
Abraços.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço