Era uma vez uma história, sobre feitos e fatos, com fotos incluídas e alguns desenhos. Nessa história não haviam vencedores ou vencidos, pois todos foram derrotados de antemão, perdendo a parada na véspera do ocorrido. Não era talvez uma história de perdedores, pois o empate técnico era a tônica. Alguns achavam a coisa meio átona , sem acentuação. Outros misturavam estações e pensavam em assento lugar, assento onde caberia uma bunda solitária e circunflexa. Como uma hipérbole repleta de fezes e com a abertura da curva para cima, num formato de privada chapada em apenas duas dimensões.
Espero que você, que tenta compreender o que escrevo, leia de uma sentada só esse texto pretexto para começar algo novo e nunca tentado- o texto desengajado e sem propósito, o texto desinformado. Apenas depósito de letras em carreirinha, como o desempenho das mulheres de Atenas em suas falenas a espera de notícias de Maratona, com o atleta tombando na lona do ágora dizendo " a vitória é nossa"(Feidípedes depois de correr 42.195m).
Uma verdade histórica é assinalar que não existia lona em Atenas, como também ninguém jogava porrinha. Não haviam panos nem palitos. Ninguém atravessava o Bósforo portando um palito de fósforo. Havia o fogo grego, Arquimedes estava vivo e sem o mito dos espelhos de bronze detonado. Estava cansado de ver romanos e cartagineses em guerras púnicas, numa acusação a Siracusa e outras cidades magnas na Sicília.
Malta já era uma ilha no mediterrâneo bem antes que o sinhozinho de mesmo sobrenome fosse personagem de novela de Dias Gomes. Minha TV é movida a manivela e TV tão bem como enxerga a mim. Assim caminha a humanidade. Elizabeth Taylor coloca o diamante Hope no pescôço e tem esperanças em ser chamada para desempenhar um crepúsculo digno de deusa Maia. Endereço? Sunset Boulevard. Gloria Swanson manda lembranças. Voltando ao Mediterrâneo, quem nasce em Creta é Cretense. Cretino é aquele cabotino que se acha um gênio.
Eu genio, Tu genias, Ele genia. Nós geníamos, Vós genieis, eles Geniam. Você já ouviu falar dessa conjugação? É um verbo conjugado sem dependências de empregada. Tem só uma quitinete, daquelas iguais a um armário embutido. Corta para o tombo de mamãe na pracinha, quando a gente ia sair para almoçar fora. Foram 87 anos de cara no chão, literalmente falando. ficou toda escalavrada e c** olho mais rôxo que o urubu que assolava o teatro de concreto armado nos anos 70.
Enquanto Maciel lê um texto de Lacan, Zé Celso desfralda uma bandeira com o espectro do arco-íris, numa atitude GLS até então despercebida pelos doidões presentes. Agora, estes doidões de ontem e doidões para sempre se preocupam com legislações restritivas, aparentando uma correção política a toda prova. Levindo, em sua incompetência musical, se vai em direção à fotografia- último documento carreirista daqueles que abraçaram a mídia e se acabaram como um filme velado. Muitos permaneceram pelo caminho. Não houve sol de primavera para eles e o conto faz um retôrno à Sunset Boulevard.
Amir fez setenta anos e tá tão lúcido quanto dois anjinhos de 35. Falando em 35, me reencontrei com o senador em um documentário do CanalBrasil. Senti saudades da época em que ele foi meu vizinho na João Lira. Éramos também vizinhos de borda de areia, numa praia movimentada dos anos 80. Toni Platão ainda cheirava papel de mil no boteco do seu Antônio. Help também. Minha paraibana gostosa. Direto de Campina Grande para o Leblon. E da mesa de um bar para o meu sofá. Ah! se esse sofá fosse linguarudo que nem eu? Fudeu, maninho. Ia acabar sozinho e , ainda mais, com esse vago simpático meio decadente. Tô todo doído. Tô todo quebrado/me sinto um anjo caído/fraturado. Indecente, né mêrmo?
Oranga Tanga. Orange Tange, Orangotango, Orangi Tangi e Orangu Tangu. Cinco vogais a procura de uma palavra, deixando Pirandello e seus seis personagens sózinhos a procurar desesperadamente um autorzinho só. Cinco vogais e um juiz classista. Um lembrete: Faça a pista e não insista com essa história. Marlon Brando já morreu e Maria Schneider? Nunca mais ninguém ouviu falar dela. Passar Bem.

Exibições: 78

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço