Continua a intrépida luta do Estadão contra a censura, com a devida tarja negra assinalando a injustiça contra a Imprensa. Segundo ele, o direito à informação paira sobre todos os demais, independentemente de a veiculação da informação colidir com decretação de segredo de justiça e com direitos da personalidade previstos na Constituição Federal e disciplinados nos Códigos Civil e Penal.

Há pouco, o editor de mídias sociais do jornal, Pedro Dória, disse que ficou surpreso com a reação dos leitores: "Eu temia que muitos leitores viessem com quatro pedras na mão, dizendo que éramos poderosos e queríamos prejudicar o governo, mas eles compreenderam muito bem a situação". (Grifo meu).

O editor vende alhos por bugalhos. Quem enquadrou o Estadão foi o Judiciário, e não o Executivo (o Governo). O Executivo não teve nada com o peixe e nada pode fazer quanto ao assunto. Se se meter a fazer alguma coisa, estará atentando contra o livre exercício do Poder Judiciário, crime de responsabilidade previsto no artigo 85, II da Constituição Federal e que pode implicar em impeachment do Presidente da República.

Enquanto isso, o Estadão continua posando, com o beneplácito até mesmo de instituições internacionais convenientemente desinformadas.

Exibições: 56

Comentário de Cafu em 31 janeiro 2010 às 19:41
O Estadão está careca de saber qual o poder que o está enquadrando. Mas não poderia deixar de tirar suas casquinhas e lançar farpas e dardos para acertar no governo. Vale tudo, nem que precise sacrificar a verdade e a informação. Aos amigos e aos próprios umbigos TUDO. Aos adversários e inimigos A LEI. Que gracinha!
Beijos.
Comentário de Gregório Macedo em 31 janeiro 2010 às 22:02
É isso, querida amiga.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço