O Ministério Público Federal prima pela transparência na prestação de serviços. Nossas manifestações estão disponibilizadas na internet, em perfeita consonância com os preceitos que regem a administração pública e encontram-se elencados no artigo 37 da Constituição Federal.

A atuação do MPF/SP perante o Tribunal Regional Federal da 3ª Região, há tempos, vem sendo tabulada e apresentada à sociedade de maneira simples e em gráficos: é a "PRR-3 em números", que está disponível em www.prr3.mpf.gov.br.

Acesse nossas estatísticas aqui: http://www.prr3.mpf.gov.br/index.php?option=content&task=view&a...

Para andamento processual e íntegra das manifestações, veja em: http://www.prr3.mpf.gov.br/
=================================

Do Consultor Jurídico, 3/3/2010:
http://www.conjur.com.br/2010-mar-03/orgao-especial-trf-aceita-80-p...

Órgão Especial do TRF-3 aceita 80% dos pareceres

Por Fabiana Schiavon

A atuação da Procuradoria Regional da República da 3ª Região, com sede em São Paulo, tem o apoio do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP e MT). É o que mostra o PRR-3 em Números: dos pareceres emitidos pelos procuradores, em média, 66% contaram com decisão favorável do TRF-3. O Órgão Especial e a 5ª Turma são os colegiados que mais julgam a favor do MPF, com mais de 80% de decisões favoráveis.


Em 2009, a PPR-3 despachou mais de 2 mil processos ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Ao todo, recebeu 55,4 mil. Informação inédita no relatório mostra quanto tempo leva para a Procuradoria da 3ª Região liberar um processo. Tanto nas áreas cível, criminal e no Núcleo de Tutela Coletiva, a passagem da ação pelo MPF não leva mais que um mês na maioria dos casos. Mais de 30% dos processos novos e 70% daqueles que voltam após o parecer (chamados de retornos) são resolvidos em apenas uma semana. Dos processos que passaram pela PPR-3 no ano passado, 47% são novos e 53%, retornos. A cada mês são despachados cerca de 50% do número de ações que ingressam. Ao longo de 2009, chegaram 55.446 processos e 57.730 pareceres foram despachados.


O relatório também informa que, na área criminal, quando um caso demora três anos para chegar ao MPF, ele tramita por mais três anos até sua decisão, depois do parecer da procuradoria. Já as Apelações Criminais que demoraram de 4 a 10 anos para chegar ao MP, que representam a maioria (38%), ficam mais quatro anos na Justiça para serem concluídas. Os Recursos em Sentido Estrito e Habeas Corpus são os mais rápidos: resolvidos de 1 ano a 6 meses, respectivamente. Por outro lado, há processos que duram mais de 10 anos, que foi o caso de cinco Apelações Criminais, 19 Apelações Cíveis e 12 Agravos de Instrumento.


A maioria dos processos encaminhados tiveram sua origem na primeira instância da Justiça Federal, 53%. Em seguida, vem o TRF-3 com 20% das ações. No retorno das decisões, 77% dos julgamentos em matéria criminal foram favoráveis ao MPF. Na área cível, 63%. No Núcleo de Tutela Coletiva, que tem em sua maioria ações relacionadas a consumo, 70% conta com decisões favoráveis.

Sobre a prática da PPR-3 recorrer a decisões contrárias ao parecer do MP, o relatório informa apenas que foram emitidos 78 Recursos Especiais, 4 Recursos Extraordinários e 13 recursos dos dois tipos ao mesmo tempo. Das decisões parcialmente desfavoráveis, foram interpostos 22 Recursos Especiais.

Das 93 ações que passaram pelo Órgão Especial, onde são julgados agentes que têm prerrogativa de foro, 70 foram contra prefeitos, 14 contra magistrados, cinco contra membros do Ministério Público e quatro contra parlamentares. Foram instaurados cinco Procedimentos de Investigação Criminal para apurar supostas práticas de abuso de autoridade e denunciação caluniosa, apropriação indébita previdenciária, crime de responsabilidade de prefeito, abuso de autoridade, e crimes contra o sistema financeiro, a ordem tributária e lavagem de dinheiro.

Exibições: 86

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço