O Vôo de Ultraleve Motorizado em Dores

Um Dia de Ícaro

A cidade de Nossa Senhora das Dores, distante 73 quilômetros de Aracaju, viveu no período de 12 a 15 de novembro, mais uma Festa do Boi; a maior festa do gênero no norte e nordeste brasileiro.

Rodson e o aeromodelismo
Numa iniciativa inovadora, paralelamente à citada festa aquela terra, que tem rica cultura, viveu algo muito diferente dos anos anteriores. A idéia partiu de Rodson Machado, um dorense de 47 anos, que há 15 é aeromodelista e que já participou de alguns campeonatos da categoria; ele que já há 15 anos teve o seu primeiro aeromodelo e nos anos 80 participou de um dos campeonatos, este realizado no futuro balneário ’Lagoa Grande’, que fica há 4 quilômetros da cidade de Dores, reunindo 50 participantes; também em Aracaju, Feira de Santana-Ba, Estância.
Marcos Antônio da Silva Magno- Voar e voar
Em uma ação inovadora, Rodson foi o responsável direto para que Marcos Antônio da Silva Magno, piloto experiente em vôos de Asa Delta e Trike para lá se dirigisse durante os quatro dias de festa, levando o seu aparelho de vôo; trata-se de um Ultraleve modelo trike (Trikão), que além dos equipamentos de vôo é acrescido de um motor especial.

Vocação
Marcos é amante da prática de vôo livre. O aparelho é projetado atendendo às normas aeronáuticas, inclusive tem patente. Ele é um jovem de 39 anos, natural da cidade de Capela. Sempre gostou de ler e ver reportagens sobre aeronaves e vôo livre. Aos 14 anos viu uma reportagem sobre Asa Delta na televisão, nascia aí o interesse pelo vôo desportivo. Dez anos depois morando na zona leste de São Paulo, foi lá que tomou conhecimento que em Atibaia era o melhor ponto do estado para a prática de vôo livre.

A Pedra grande
Nessa época que conheceu o aeroclube e alguns instrutores. Resolveu então se inscrever como aluno, e às vezes ia até a casa do instrutor. O local para a prática é conhecido nacionalmente como ‘Pedra Grande’, que no seu percurso de subida exige o tempo de 1 hora para ser concluído. Em algumas vezes o esforço não era coroado de êxito, já que ao chegar lá percebiam que as condições climáticas de momento não eram ideais para a prática do vôo.

Entre subidas e descidas à Pedra Grande, durante um ano ele foi agregando conhecimento; seu transporte era um mesclado de taxi, metrô e ônibus. Depois de mais de um ano de prática acompanhada pelo instrutor, chegou a hora e vez de seu primeiro vôo sozinho. Ele descreve assim: “é algo indescritível, mas, é como se eu tivesse nascido outra vez, só que eu estava consciente”

O Susto
Ele conta que durante o período de aperfeiçoamento, passou por um grande susto. A Asa delta que ele pilotava, num momento de imperícia, advinda de um erro de comando, caiu de bico; o fato é que ele ‘estolou’ a Asa (freou no ar) após a decolagem. Devido à frenagem ela parou de voar, estando muito próxima ao solo, então caiu. Afirma que todo vôo muito baixo é perigoso, devido ao fato de que se torna muito difícil corrigir o erro.

Conhecendo outros pontos
De início, como já foi dito, os vôos eram na Pedra Grande, depois partiu para S. Pedro, Santo Antônio do Pinhal e na Praia de Caraguatatuba. Depois partiu para praticar em Governador Valadares-Mg, na ‘Pedra de Ibitiúra’, que é o melhor ponto para Asa Delta do Brasil. Lá é realizado até mesmo um campeonato mundial. Era durante as férias que ele ao vir para Sergipe, primeiro passava por lá, levando sua Asa Delta.

Ainda no período de férias, ao chegar a Sergipe seguia para um ponto alto chamado de Serra Comprida e depois para outro no município de Moita Bonita.

Tecnologias
Marcos afirma que vários avanços tem acontecido ao longo dos anos, já que hoje tem Asas com ‘razão de planeio’ bem melhores que anos atrás. Isso se deve ao surgimento de novas tecnologias, a exemplo de algumas fibras especiais, e o conseqüente surgimento de modelos mais aperfeiçoados.

Retorno a Sergipe
Por sete anos praticou vôo de Asa Delta, foi aí que já com 32 anos pensou em retornar a Sergipe definitivamente. Resolveu então conhecer o vôo motorizado (trike), ainda lá em São Paulo; isto devido ao fato de que em Sergipe não existe locais para vôo de Asa Delta com muita autonomia. Aqui os vôos são classificados de ‘vôo preso’ (são restritos a um pequeno local). Através de um amigo foi ao aeroclube de Piritiba-Mirim-SP, Aí então conheceu lá o pessoal que voava de Trike; não foi muito diferente do vôo de Asa Delta, paixão à primeira vista, partindo para o vôo acompanhado.

FGTS Usado para a Compra do Trikão
Decidiu que compraria um ultraleve modelo Trike. Assim que pegou o dinheiro do FGTS, recebido após a saída do emprego de salva vidas em um clube paulista. Foram empregados R$45.000,00 destinados à compra do Trike, que é o modelo ‘Trikão’.

O Curso Para Pilotar o Trike, o Ultraleve Motorizado
Ele tratou de fazer logo um curso de 20 horas, no ‘Aeroclube Iroí’, de Piritiba-Mirim(SP),ainda morava na zona leste de São Paulo. Após o curso, sentiu-se capacitado a fazer o seu vôo sozinho em um trike. Testou sua auto-confiança e o dever de colocar em prática tudo que havia aprendido. Recebeu o ‘Certificado de Piloto Desportivo’ (CPD).

Voando em Terras Sergipanas
“Ah!, Aracaju é bonita, a rua da frente, o rio Sergipe!”- foram as palavras dele ao sobrevoar Aracaju. O segundo vôo foi em Jandaíra, já que um rapaz chegou lhe dizendo que queria voar lá em Jandaíra(Ba). Voou também em Pirambú, no ano retrazado, durante o Festival de Verão 2007.

Na semana passada foi contratado por um fotógrafo para tirar fotos aéreas da região de Itabaiana. Natural de Capela (Se), lembra que lá existe uma pista de pouso do senhor ‘Zé antônio’ que tem servido muito para que pessoas de Aracaju cheguem até aquela cidade.

Conhecendo as Partes
Para ele, o trike é a aeronave motorizada mais simples, o transporte do mesmo é fácil, já que é praticamente todo desmontável, assim como a Asa Delta. É uma combinação de três partes: a) Asa b) Carrinho célula C) Motor.

a)Asa de alta performance que pode ser utilizada para cruzeiro (vôo longo), existe também a Asa de baixa performance, que é para vôo panorâmico (voa mais lento mesmo que tenha motor mais potente).

b) O Carrinho célula existe em vários modelos, o dele foi fabricado e patenteado pelo instrutor. Todo ele é feito em material inox, ficando assim mais livre da maresia. Tendo um sistema que o faz funcionar lá em cima como uma espécie de pêndulo.

C) O Motor é Volks wagen, refrigerado a ar e preparado para a prática aeronáutica. Gira em torno de 3 a 4 mil RPM. Ele é mais exigido na decolagem; ao chegar lá em cima trabalha suave, necessitando somente de cerca de 1.500 RPM, pois tem Asa e o vento ajuda.

Marcos conhece bem o que são térmicas turbulentas e o que é o teto ideal para voar. A cada fim de semana está a transportar seu Trikão, puxado a reboque em um belo triciclo, onde o designer é idêntico ao utilizado no Carrinho célula, que também tem uma espécie de térreo e parte superior para cada um dos assentos (total de dois).

Contatos
Caso o leitor tenha interesse em realizar este sonho, e sentir a sensação de Ìcaro; é só ligar para Marcos: 79/8827-7271. Você pagará R$50,00 por um vôo de 15 minutos.

Em dezembro, no dia a ser confirmado, Rodson Machado, aquele que foi o responsável pela vinda do Marcos estará coordenando mais um daqueles dias indescritíveis.

Dias indescritíveis para cerca de 32 pessoas que pela primeira vez sentiram o prazer de voar. Como é o exemplo do depoimento do senhor Eribaldo, um marchante de 60 anos que mata porco, e ao passar pelo local ainda com a roupa do trabalho, teve um acesso de desejo de voar e disse que não sossegaria enquanto não subisse. Assim o fez e ao descer o nível de satisfação era algo que não consigo aqui descrever. Da mesma forma foi o desejo e satisfação do senhor Mário, que com seus 70 anos fez questão de voar sobre a cidade de Nossa Senhora das Dores, no retorno era um semblante de satisfação que contagiava a todos.

Mensagem dos Bairristas
Uma coisa, aliás, várias coisas em uma só mensagem: Quando este descendente de silvícola e holandês, que vos escreve dedicou parte de seu precioso tempo, para escrever este texto, após dirigir-se ao local do evento por várias vezes, não foi para satisfazer seu ego. Mas, foi porque gosta da nossa cultura, a exemplo de outros muitos dorenses bairristas. Nossos potenciais culturais são muitos; latentes, mornos; nosso município faz parte da “Rota do sertão”, justamente foi criada para trazer emprego e renda, já que se trata de uma indústria sem chaminés (limpa), ela é muito salutar.

Um dos sonhos deste jornalista e de Rodson Machado é ver por exemplo, a localidade chamada de Lagoa grande com seu Parque Aquático funcionando a pleno vapor, inclusive com pesk pag, quadras poliesportivas, calçadão com quiosques; pista para aeromodelismo, bicicross, MotoCross. Sonho bem mais fácil de ser realizado, já que não é poluída a exemplo do açude municipal.

Ver essa indústria chamada turismo em plenitude funcionando é um sonho que não é somente meu, mas, sim de todos os dorenses bairristas. Porém, antes disso, temos que ver algumas práticas serem banidas, algumas delas já passando por grandes melhorias, graças à prisão de marginais que há muito vinham tirando o sossego dos cidadãos.Outra que tem assombrado é a concentração de adolescentes, principalmente à noite estarem concentrados (as) em determinados pontos da cidade à procura de gaviões ( você deve saber mais ou menos do que falo), basta observar as praças e entradas de alguns locais.

Tem sido uma constante, as brigas entre alunos em determinadas escolas no nosso município, ameaças de arma de fogo, arma branca; até arrastões promovidos por menores. A mais nova descoberta após um conflito de coleguinhas estudantes, que tinham no máximo 13 anos, foi a existência de um grupo de “ladrões de galinha”, com chefe e tudo mais; inclusive com linguagem que contém termos característicos desse tipo de grupo. Daí presume-se o que surgirá daqui alguns anos, ou seja, os substitutos dos que se forem ou já foram.

Nossa coluna está aberta à participação de todos, ninguém pode reclamar por falta de espaço para divulgação. No entanto alguns preferem omitir informações que seriam de grande valor para divulgar a si e dar conhecimento aos cidadãos.

Um abraço, e estamos sempre às ordens.

Exibições: 749

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço