"X MEN: DIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO". MAIS UM RETORNO AO PASSADO SERÁ A CONSCIÊNCIA

Os capitalistas Tico e Teco voltaram a conversar sobre o mundo contemporâneo, acompanhados pela diarista Aparecida e pela filha Bytes, no dia 5 de junho de 2014, no Dia Mundial do Meio Ambiente.

Tico: No dia de hoje começou a chegar a Paris os chefes de Estado que celebrarão amanhã os 70 anos do “Dia D” da Segunda Guerra Mundial.  No Aeroporto Charles De Gaulle, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, se encontrou com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e afirmou à imprensa ter deixado "uma série de mensagens bem claras e firmes" ao líder russo. "O statu quo, a situação atual, não é aceitável e tem de ser alterada. É preciso que os russos reconheçam a legitimidade do novo presidente e que trabalhem com ele. Precisamos de um alívio da situação, de travar a entrada de armas e de pessoas através da fronteira", disse o primeiro-ministro britânico a respeito do presidente eleito na Ucrânia. Putin terá ainda encontro com o presidente francês, François Hollande, e a chanceler alemã Angela Merkel A rainha Elizabeth II chegará de trem pelo Eurotúnel construído no canal da Mancha, símbolo da união entre Inglaterra e França. O cerimonial preparou uma programação para evitar o encontro entre Putin e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apesar de estar previsto a presença dos dois líderes na foto oficial comemorativa sobre o desembarque dos Aliados na Normandia que libertou a França do domínio nazista. Ontem, durante reunião do G7, em Bruxelas, sob a liderança do presidente estadunidense, o grupo dos sete países mais industrializados do mundo manifestou sua disposição de incrementar as sanções contra Moscou caso a crise ucraniana persista. Em entrevista à rádio Europe 1 e ao canal TF1, Putin desafiou ontem os Estados Unidos a apresentarem provas de que o Kremlin enviou soldados ou instrutores russos para lutarem ao lado dos separatistas no Leste da Ucrânia. "Há provas? Então, que as apresentem!", disse o líder russo, visivelmente irritado. "Nós vimos, toda a gente viu, como o secretário de Estado norte-americano mostrou provas da presença de armas de destruição maciça no Iraque", acrescentou, irônico, sobre as acusações do então chefe da diplomacia estadunidense, general Colin Powell, ao regime de Saddam Hussein. Ele reiterou que não existe uma política mais agressiva no mundo do que a estadunidense. “Nós quase não temos forças no estrangeiro, mas reparem: por todo o mundo há bases militares estadunidenses, há tropas estadunidenses a milhares de quilómetros das suas fronteiras. Eles tomam parte nos assuntos internos de qualquer país, por isso é difícil acusarem-nos de violações", alegou. Segundo Putin, quem esteve na origem da crise na Ucrânia foram os Estados Unidos e a União Europeia, ao "apoiarem o golpe armado inconstitucional", numa referência ao período de violentas manifestações que levou à queda do presidente Viktor Yanukovich. Já Washington e Bruxelas acusam Moscou de armar os rebeldes para desestabilizar o país. Quanto ao encontro com Obama, Putin disse que, por ele, os fotógrafos podem registrar o aperto de mão e afirmou que pretende se encontrar na ocasião com o presidente eleito da Ucrânia, Petro Poroshenko.

Teco: No dia de hoje bombardeiros britânicos prepararam o terreno para a deflagração do “Dia D”. Mais de mil aviões britânicos lançaram 5 mil toneladas de bombas contra as tropas nazistas estacionadas na Normandia. A Operação Overlord ocorreu no dia seguinte e contou com forças militares dos Estados Unidos, Reino Unido e do Canadá. Ela ocorreu quase um ano e meio depois da derrota alemã para o Exército Vermelho na Batalha de Leningrado. As tropas da Alemanha na Normandia, lideradas pelo nazista Erwin Rommel, já esperavam o desembarque dos Aliados em alguma praia a noroeste da França, mas não contava com a antecipação da data e o local escolhido. O ataque mais sangrento foi na praia de Omaha porque os soldados tiveram que enfrentar minas, arames farpados, canhões franceses de 155 milímetros e tiros de metralhadoras MG42 alemãs. Apesar dos obstáculos, a tropa dos Aliados, liderada pelo general Dwight Eisenhower, futuro presidente dos Estados Unidos, continuou a avançar até chegar a Paris. Terminava a ocupação alemã da França, que durou 4 anos e instituiu o regime nazista da França de Vicky. Há 70 anos.

Bytes No dia de hoje o secretário de Estado dos EUA George Marshall apresentou um plano para recuperar as finanças da Europa após os estragos provocados na Segunda Guerra Mundial. O chefe da diplomacia estadunidense, que foi o estrategista militar da Operação Overlord, em 1944, sendo eleito por isso Homem do Ano pela revista “Time”, apresentou o plano econômico durante palestra na Universidade de Harvard, em Nova York. Ele consistia em ajuda financeira de Washington ao Velho Continente para impedir que muitos países da Europa Ocidental passassem para a influência de Moscou após a Segunda Guerra Mundial. "A política dos Estados Unidos não é dirigida contra um país ou uma ideologia, mas contra a fome, a pobreza, o desespero e o caos", disse, no entanto, Marshall em Harvard. "Quem tentar bloquear a reconstrução de outros países não pode esperar ajuda", acrescentou, referindo-se a Moscou. Quatro anos depois de ter sido eleito Homem do Ano, a “Time” voltou a agraciá-lo em 1948 por causa do Plano Marshall. Cinco anos mais tarde ganhou o Prêmio Nobel da Paz por ter elaborado o programa. Durante a vigência do plano, Washington disponibilizou US$ 13 bilhões em assistência técnica e econômica. Muitos dos empréstimos vieram do Eximbank, o banco estatal de desenvolvimento dos Estados Unidos para a área de comércio exterior, que embutia na ajuda a compra de produtos estadunidenses e a contratação de empreiteiras norte-americanas para a reconstrução. Quando o plano foi completado, a economia de cada país participante, com a exceção da Alemanha, tinha crescido acima dos níveis pré-guerra, levando a Europa Ocidental a ter crescimento expressivo por duas décadas. Nos anos 60, a América Latina viria a solicitar o mesmo tipo de ajuda financeira, que foi denominada de “Aliança para o progresso”. O anúncio do Plano Marshall ocorreu há 67 anos.

Aparecida: Por falar em ajuda financeira, o presidente Obama começou a visita a Europa pela Polônia, onde prometeu anteontem um plano de segurança de US$ 1 bilhão para a Europa Oriental e a revisão da presença das forças estadunidenses no continente. Segundo a Casa Branca, Washington vai estimular os países que não fazem parte da Otan, como Ucrânia, Geórgia e Moldávia, a trabalharem com os Estados Unidos e seus aliados ocidentais para elaborar seus próprios sistemas de defesa. O pacote de ajuda financeira inclui, ainda, o envio de militares a bases temporárias. Minutos depois do avião Air Force One ter aterrissado em Varsóvia, Obama fez uma declaração ao lado do presidente da Polônia, Bronislaw Komorowski, na qual disse que os dois países, aliados e amigos, estarão sempre juntos. Como demonstração de apoio mútuo, quatro aviões estadunidenses de combate F16 com dois poloneses e dois estadunidenses estavam estacionais na pista. O que você acha? Vamos assistir a um “remake” da Guerra Fria?

Bytes: No mesmo dia Ucrânia, a Polônia e a Lituânia concordaram em formar uma brigada militar conjunta, segundo Mikhail Koval, titular interino da pasta da Defesa ucraniana após reunião de Comissão OTAN-Ucrânia. De acordo com o ministro interino, o documento será assinado em 18 de junho. A ideia de uma brigada militar tripartida surgiu ainda em 2009 quando a Polônia demonstrou interesse em "ajudar a Ucrânia na articulação do exército". Koval disse ainda que estão sendo preparada uma série de exercícios militares este ano com os Estados Unidos.

Aparecida: Qual será o futuro da Abkházia? De acordo com a oposição, durante o governo deposto recentemente, foi realizada um reconhecimento ilegal de georgianos no território. O gabinete do procurador-geral informou que foram iniciados dois processos criminais sobre emissão de passaportes aos habitantes vizinhos. O que você acha?

Bytes: A independência da Abkházia não é reconhecida pelas potências ocidentais, apenas pela Rússia, Venezuela e Nicarágua. Ou seja, para Washington e Bruxelas, a Abkházia pertence ainda a Geórgia. Em 2008 houve uma guerra entre Moscou e Tbilisi. Por enquanto, a situação política na Abkházia é instável, à espera do novo presidente a ser eleito. Algo que ocorre também na Ucrânia, já que o número de vítimas dos insurgentes vem sendo superfaturado pelo governo interino, como vem demonstrando observadores independentes, inclusive jornalistas estrangeiros.

Aparecida: Hoje a Ucrânia reconheceu que está perdendo o controle da fronteira com a Rússia nas regiões rebeldes de Donetsk e Lugansk, motivo pelo qual precisou fechar até três postos fronteiriços. O que você acha do fechamento da fronteira com a Rússia?

Bytes: Durante reunião com o conselho de ministros, o premier russo Dmitry Medvedev chamou de "cinismo sem limites" o apoio do G7 à operação armada das forças ucranianas contra o insurgentes. Segundo ele, cresce o número de refugiados para a Rússia. “O suposto G7 fala de ações moderadas do exército ucraniano contra seu próprio povo. É de um cinismo sem limites", afirmou. O primeiro-ministro calculou que 5 mil pessoas chegam a cada dia à região russa de Rostov Don (sudoeste), procedentes da Ucrânia. Alguns pedem o status de refugiados. "Quatro mil já solicitaram. Não têm precedentes", afirmou Medvedev. Muitos críticos de Washington e Bruxelas chamam a crise ucraniana de “Síria europeia”.

Aparecida: Por falar em crítica, a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, acusou a União Europeia de ter sido a maior culpada pela crise na Ucrânia. Segundo ela, Bruxelas está “denegrindo a Rússia”. “Sou pela federalização da Ucrânia. A União Europeia deitou lenha na fogueira ao propor cooperação econômica a um país em que metade da população olha para o Leste”, disse a líder da extrema-direita francesa em entrevista à revista alemã “Der Spiegel”. Para ela, os políticos europeus devem ter consciência de que os estadunidenses perseguem objetivos próprios na Europa no permanente intuito de alargar sua presença no mundo. Marine disse que os europeus “devem ter uma opinião própria em vez de tudo ver com os olhos dos Estados Unidos”. Ela elogiou Putin por não ser uma voz contrária aos interesses de Washington. O que você acha?

Bytes: Putin disse que a França deve ser soberana em seus atos, referindo-se à compra feita por Moscou de dois navios de guerra da classe Mistral, que vem sendo criticado por Washington. O negócio, assinado antes do início da recente crise na Ucrânia, fez entrar nos cofres franceses cerca de 1 bilhão de euros de euros, e os russos só veem duas hipóteses: ou Paris cumpre o acordo, ou devolve o dinheiro. Putin já acenou com mais dinheiro "Esperamos que os nossos parceiros franceses cumpram as suas obrigações contratuais, e se tudo correr como está combinado, não afastamos a hipótese de fazer mais pedidos", disse o líder russo. No cardápio do jantar com Hollande, o assunto deve regar as conversas. Assim como a decisão será motivo de debate para Marine Le Pen comentar a combalida economia francesa. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: A Rússia vem ajudando os insurgentes ucranianos, inclusive enviando soldados?
Bytes: O que podemos afirmar é que na guerra civil síria há milícias estrangeiras, sendo a maioria formada por britânicos jihadistas. Em “estado de guerra”, não há razão.

Aparecida: Há informações de que guardas da fronteira da Ucrânia com a Rússia estão se rendendo aos insurgentes. O que você acha? Eles podem ser chamados de “desertores?”

Bytes: Há grupos paramilitares na Ucrânia, inclusive uma empresa privada estadunidense, o que seria sinal de que as forças militares do governo interino não estão controlando a situação no Leste ucraniano. Quanto à deserção, este é um motivo que vem sendo investigado pelo Pentágono, mas em relação ao sargento Bowe Bergdahl, feito refém pelos talibãs, mas agora sob suspeita de que ele tenha abandonado o Exército norte-americano no Afeganistão.

Aparecida: Por falar no Afeganistão, qual será o resultado sobre as negociações de Washington com o grupo terrorista afegão? Em conversa com os jornalistas, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, disse que era uma nota etapa de relacionamento entre os Estados Unidos e o talibã (acima). Ele elogiou o Qatar por ter intermediado o encontro.

Bytes: Karzai não deve ter gostado nada porque já tinha reclamado antes quando Washington negociava secretamente um acordo com o grupo guerrilheiro. As agências de notícias informaram que os líderes afegãos não gostaram do acordo. O problema é a mística de que os Estados Unidos ascendem ao poder um grupo para derrubá-lo mais tarde, a fim de investir num terceiro. A política do “Império Britânico” de dividir para governar. Já os talibãs dizem que vão impedir a realização do segundo turno das eleições presidenciais. A ameaça no primeiro turno não surtiu efeito. A novidade é se no futuro o governo afegão fizer um pacto com o talibã, assim como agiram as facções palestinas Fatah e Hamas ao enxergarem o mesmo inimigo. Já em Washington, a libertação do sargento sofre pesadas críticas sobre a política externa de Obama. O presidente dos Estados Unidos disse que não se arrepende da negociação feita com os talibãs. Mas o Bill reagiu: "Para fugir de suas responsabilidades, Obama divulga vídeo fazendo ginástica na Polônia como se fosse um super-herói". 

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 4 de junho de 2014, cuja manchete foi “Castelo Branco não atende a pedido para prorrogar o artigo 10 do Ato Institucional”: “O marechal Tourino de Resende, presidente da Comissão Geral de Investigação, consultou, pelo telefone, ontem, o presidente da República, marechal Castelo Branco, que considerou impossível a prorrogação do prazo para apuração dos suspeitos, de subversão, por motivos de ordem material, de tempo e políticos”. E mais: “Em discurso que pronunciou no Senado, o Sr. Juscelino Kubitschek, referiu-se ao noticiário da imprensa sobre a cassação do seu mandato, que estaria iminente, e afirmou: ´Tenho nas mãos a bandeira da democracia que me oferecem, neste momento em que, com ou sem direitos, prosseguir na luta em favor do Brasil´. E acrescentou: ´Perante Deus, o povo e esta Casa, posso afirmar que, presidente da República, durante cinco anos, zelei pela paz do Brasil, não autorizando, não permitindo, não pactuando com qualquer atentado à liberdade e agindo sempre com dignidade administrativa”. E mais: “Do editorial ´Opinião pública´. Na justa homenagem que lhe foi prestada em São Paulo, por motivo de extraordinário papel, que desempenhou na preparação do movimento revolucionário, o General Osvaldo Cordeiro de Farias fêz referência a um aspecto da Revolução que não deve ser olvidado, nesta hora em que acontecimentos políticos e decisões governamentais põem em conflito alguns dos setores que haviam unido para expulsar a administração anterior. Ressaltou o General Cordeiro de Farias que no Brasil houve um levantamento em massa da opinião pública, agrupada em mil e uma organizações que pareciam ter brotado espontâneamente em defesa da nossa maneira de ser. Acrescentou que a opinião pública, organizada sôbre moldes estruturais, não pode ser desmoralizada. ´Venceu a Revolução o seu primeiro tempo, os períodos tumultuários hão de surgir´, argumentou o antigo Governador de Pernambuco, afirmando que o pêso da opinião pública será peça indispensável à consolidação, revolucionária´. É preciso que o Governo considere com a maior atenção estas palavras do ilustre militar, para que o pôvo disponha sempre dos elementos necessários à justa apreciação de suas atitudes e decisões”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 4 de junho de 2014, 50 anos depois: “Pessimismo. Brasileiro teme alta de preços mais que corrupção. Para 85%, a inflação é um grande problema do país. Pesquisa do instituto americano Pew Research Center mostra insatisfação generalizada”. E mais: “Dilma defende o aborto por causas ´médicas e legais´. Ao falar pela primeira vez sobre aborto desde o início de seu mandato, a presidente Dilma defendeu que o procedimento seja realizado pelo SUS por motivos ´médicos e legais´. Na semana passada, o governo revogou portaria que defenia valores desse atendimento na rede pública”. E mais: “Hillshire aceita negociar com JBS e Tyson Foods. Subsidiária nos EUA de gigante brasileira de carnes eleva oferta, e negócio pode chegar a US$ 7,7 bilhões. A disputa de gigante do mercado de carnes pela Hillshire Brands, dona de marcas populares nos Estados Unidos, como as sobremesas Sara Lee e as salsichas Jimmy Dean, entrou na fase de guerra de propostas. No mesmo dia em que a Pilgrim´s Pride, subsidiária da brasileira JBS nos EUA, confirmou ter elevado sua oferta, a Hillshire anunciou que manterá conversa com a Pillgrim´s e com sua concorrente, a Tyson Foods”.

Bytes: O editorial do jornal “O Globo” foi “EUA liderança esforço contra aquecimento global”: A mais ousada iniciativa do presidente Obama para reduzir o aquecimento global propõe o corte de 30% das emissões de gases poluentes pelas geradoras de energia até 2030, em relação a 2005. O plano mira na maior fonte de poluição do país — as cerca de 550 usinas a carvão, de geração de energia, responsáveis por 38% das emissões de dióxido de carbono, o principal gás do efeito estufa. A Casa Branca pegou carona numa situação excepcional. Esta fonte de poluição já ficou menor em cerca de 13% desde 2005, em parte porque novas exigências ambientais tornaram as usinas mais eficientes e em parte porque o aumento da produção de gás não convencional, mais barato e mais limpo, está substituindo o carvão nas grandes unidades energéticas”.

Aparecida: O seu Carlos disse, exaltado: “A conta de luz vai disparar. E o Governo já estuda novo socorro a elétricas para que elas possam cobrir despesas de maio a dezembro. O Brasil está com sua economia esfacelada e ´essa raça´ ainda quer o poder ilimitado. Como competir com os Estados Unidos que investem numa energia barata e limpa para os seus consumidores domésticos e industriais?”. O que você acha?

Bytes: Ele deve estar falando do xisto como “energia limpa”, assim como editorial de “O Globo” publicado na véspera do Dia Mundial do Meio Ambiente. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: O seu Carlos disse, ainda, sobre a pesquisa estadunidense: “O nosso pibinho desce ladeira abaixo, enquanto os países ricos decolam. O setor de varejo na Europa teve um crescimento espetacular. Os Estados Unidos tiveram uma retração por um problema atípico: o inverno rigoroso. A bolsa de valores norte-americana bate recorde atrás de recorde, mas a nossa bate recorde negativo”. O ministro terá a sua cabeça a prêmio após bater recorde de tempo no Ministério da Fazenda?

Bytes: Hoje Guido Mantega destacou que o Brasil teve uma "verdadeira revolução" na evolução do crédito. Segundo ele, o mercado de capitais evoluiu muito nos últimos anos e a bolsa de valores está entre as dez maiores do mundo em volume de recursos e investimentos. O ministro lembrou na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social que as empresas têm mais de R$ 1 trilhão em bolsa de valores, mais do que há uma década, apesar da crise iniciada em 2008. Ele enfatizou que, mesmo ante os reflexos da crise na economia mundial, o investimento estrangeiro direto. saiu de um patamar de US$ 20 bilhões para US$ 65 bilhões. “E continua. A crise não afetou a entrada de IED e esse patamar se mantém. O Brasil é mantido como destino importante de recursos em todo o mundo”, explicou. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: A JBS vai comprar a Hillshire Brands?

Bytes: O colega gaiato lá da facû especulou que o ator Tony Ramos, considerado o “boa gente” entre os atores, vai ser mais bombardeado pela "opinião pública". E o "Lulinha" voltará a frequentar o Facebook. 

Aparecida: O que você acha da opinião pública? Ela defende o nosso jeito de ser?

Bytes: A expressão é que dita a ordem. No filme “Opinião pública”, o intelectual Arnaldo Jabor fez a sua profecia sobre o “ponto de vista” dos jovens a partir do via em 1967. Já Adolf Hitler disse que a propaganda deveria ser dirigida à “massa”, aqueles sujeitos a “dúvidas” e “incertezas” acerca do “princípio da realidade”. Segundo o ditador, a opinião pública tem alma feminina porque age mais pela emoção do que pela razão. A comprovação poderia ser exemplificada na crise vivida por Getúlio Vargas nos anos 50. Enquanto era acusado, o povo sentia ira do presidente; quando ele se suicidou a sede do jornal “O Globo” foi apedrejada. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito na "Boa Notícia": “Pilatos mandou então flagelar Jesus. Os soldados teceram de espinhos uma coroa e puseram-lha sobre a cabeça e cobriram-no com um manto de púrpura. Aproximavam-se dele e diziam: Salve, rei dos judeus! E davam-lhe bofetadas. Pilatos saiu outra vez e disse-lhes: Eis que vo-lo trago fora, para que saibais que não acho nele nenhum motivo de acusação. Apareceu então Jesus, trazendo a coroa de espinhos e o manto de púrpura. Pilatos disse: Eis o homem! Quando os pontífices e os guardas o viram, gritaram: Crucifica-o! Crucifica-o! Falou-lhes Pilatos: Tomai-o vós e crucificai-o, pois eu não acho nele culpa alguma. Responderam-lhe os judeus: Nós temos uma lei, e segundo essa lei ele deve morrer, porque se declarou Filho de Deus. Estas palavras impressionaram Pilatos. Entrou novamente no pretório e perguntou a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe respondeu. Pilatos então lhe disse: Tu não me respondes? Não sabes que tenho poder para te soltar e para te crucificar? Respondeu Jesus: Não terias poder algum sobre mim, se de cima não te fora dado. Por isso, quem me entregou a ti tem pecado maior. Desde então Pilatos procurava soltá-lo. Mas os judeus gritavam: Se o soltares, não és amigo do imperador, porque todo o que se faz rei se declara contra o imperador. Ouvindo estas palavras, Pilatos trouxe Jesus para fora e sentou-se no tribunal, no lugar chamado Lajeado, em hebraico Gábata. (Era a Preparação para a Páscoa, cerca da hora sexta.) Pilatos disse aos judeus: Eis o vosso rei! Mas eles clamavam: Fora com ele! Fora com ele! Crucifica-o! Pilatos perguntou-lhes: Hei de crucificar o vosso rei? Os sumos sacerdotes responderam: Não temos outro rei senão César! Entregou-o então a eles para que fosse crucificado”.

Tico: No dia de hoje o Ministério israelense da Habitação abriu um processo de licitação para construir 1,1 mil casas na Cisjordânia ocupada e 400 na anexada Jerusalém Oriental. "Eu saúdo a decisão de dar a resposta sionista apropriada ao estabelecimento do governo palestino do terror", afirmou à rádio militar o ministro israelense da Habitação, Uri Ariel, que pertence ao partido nacionalista religioso e pró-colonização Lar Judeu. Em resposta, o governo palestino decidiu recorrer à ONU. "O Conselho de Segurança das Nações Unidas e a Assembleia Geral (são) a maneira correta de colocar um freio a esta grave violação e de garantir a prestação de contas", afirmou hoje num comunicado Hanan Ashrawi, integrante da direção da Organização para a Libertação da Palestina. Na última segunda-feira, o presidente palestino, Mahmoud Abbas, empossou um governo de unidade, no mesmo dia em que os Estados Unidos anunciaram que trabalharão com o novo governo. Israel criticou o anúncio feito por Washington dizendo que o Hamas é um grupo terrorista. União Europeia, a Rússia e a própria ONU reconheceram o novo governo palestino. Em entrevista, o recém-empossado primeiro-ministro Rami Hamdallah anunciou que a reconstrução da faixa de Gaza, depois do fim do bloqueio imposto por Israel, é uma das prioridades do governo de unidade nacional. Fontes do Centro Palestino de Informações disseram que os quatro ministros de Gaza nomeados para o gabinete interino participaram da reunião através de videoconferência, já que as autoridades israelenses recusaram seus pedidos para viajar à Cisjordânia. Mousa Abu Marzouk, membro do Hamas, disse que o sucesso do governo de unidade é "uma tarefa nacional por excelência", e descreveu a rejeição israelense, desde a assinatura de um novo acordo de reconciliação, em abril, como a reação esperada. O governo interino da Palestina, formado por tecnocratas, deve preparar o terreno para a realização de eleições gerais e para a reativação do Conselho Palestino Legislativo, órgão parlamentar da Organização para a Libertação da Palestina. Este é um dos pontos do Acordo de Doha assinado ainda em 2012 e reafirmado pelo Acordo de Gaza, de abril deste ano.

Teco: No dia de hoje começou a Guerra dos Seis Dias. O conflito armado opôs Israel a diversos países árabes: Egito, Jordânia e Síria, apoiados pelo Iraque, Kuwait, Arábia Saudita, Argélia e Sudão. Mesmo enfrentando sozinho vários países, Israel venceu a batalha em menos de uma semana. O plano traçado pelo Estado-Maior de Israel, chefiado pelo general Moshe Dayan começou a ser posto em prática às 7h e 45min quando caças israelenses atacaram nove aeroportos militares, aniquilando a força aérea egípcia antes que ela saísse do chão e causando danos às pistas de aterragem, inclusive com bombas de efeito retardado para dificultar as reparações. Ao mesmo tempo, forças blindadas de Israel bombardearam a faixa de Gaza, o sul da Síria, as colinas de Golã e o norte do Sinai. A Jordânia abriu fogo a partir de Jerusalém, e a Síria interveio no conflito depois de ser atacada. No terceiro dia de luta, todo o Sinai já estava sob o controle de Israel. Nas 72 horas seguintes, Israel impôs sua superioridade militar, ocupando também a Cisjordânia e as colinas de Golã, na Síria. Como resultado da guerra, aumentou o número de refugiados palestinos na Jordânia. Síria e Egito estreitaram ainda mais as relações com Moscou, renovando o arsenal militar além de instalarem novos mísseis perto do canal de Suez, que ficou fechado para o tráfego marítimo por oito anos, até 1975. A guerra acabou promovendo o antigo sonho dos sionistas de ter Jerusalém como capital do Estado judeu. A parte Oriental da cidade foi anexada à Ocidental que havia sido conquistada na Guerra da Independência, em 1948. A partir de então o Parlamento israelense reconheceu Jerusalém como capital “una e indivisível” de Israel. O início da Guerra dos Seis Dias ocorreu há 67 anos.

Bytes: No dia de hoje foi criado o Partido dos Trabalhadores Alemães, que ficou conhecido como Partido Nazista. A agremiação foi formada pelo operário Anton Drexler e pelo escritor Karl Harrer com apenas 22 membros. Os primeiros integrantes foram quase que exclusivamente colegas de Drexler, que trabalhavam em sua maioria na estação ferroviária de Munique. As primeiras reuniões ocorriam exclusivamente em bares e cervejarias da cidade que, invariavelmente, terminava em tumulto devido à divergência política entre os filiados. Em 12 de setembro, Adolf Hitler teve o primeiro contato com o partido e previu que a legenda poderia se tornar num movimento de massa. Ele queria formar um partido para ser a voz dos trabalhadores contra a Oligarquia Financeira Internacional. A proposta do nacional-socialismo foi levantada para se contrapor ao capitalismo e ao marxismo na qual os trabalhadores seriam protegidos pelo Estado da especulação do grande capital que gerava desemprego. As suas ideias foram reunidas no livro “Minha luta” que escreveu durante o tempo em que esteve preso ao tentar dar um golpe de Estado em Munique durante a conturbada República de Weimar. Devido às suas ideias, Hitler chegou à liderança do partido, que passou a se chamar Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães. A fundação da legenda ocorreu há 95 anos.

Aparecida: Por falar em nazismo, não só a Suíça aprovou a livre-manifestação do nacional-socialismo, mas também a Suécia. Estocolmo permitiu que os estudantes recebam educação sobre a ideologia baseado na não discriminação a qualquer partido político. Segundo a Direção Escolar estatal e o chanceler de Justiça, o Partido dos Suecos pode deseja participar na “educação cívica” de estudantes. A agremiação se autointitula guardiã das tradições nazistas e professa o princípio fundamental da “raça nórdica”. A decisão provocou polêmica por ser próxima às eleições legislativas. Nos últimos pleitos, o Democratas Suecos, com passado nazista, passou a ter assento no Parlamento com 10% dos votos, tornando-se a terceira força política do país. Se o Partido dos Suecos também se fortalecer, haverá uma forte tendência ao nacional-socialismo no país. Além da Suíça e da Suécia, outros países da Europa flexibilizaram a política contra o nazismo quase 70 anos após o fim do Holocausto. É o caso da Letônia, onde membros do partido neonazista Tudo pela Letônia visitam as escolas desde a infância para divulgar suas ideias. A Lituânia, também no Báltico, vem sendo mais compreensiva com os nazistas. O que você acha?

Bytes: Ontem, o Parlamento grego aprovou por apenas um voto contra a perda de imunidade dos políticos do partido neonazista Aurora Dourada. Nikos Michaliakos e correligionários foram presos acusados do assassinato de um rapper de esquerda. Com direito de se pronunciarem na tribuna, os neonazistas impressionaram pelas palavras de impacto. Michaliakos gritou bem alto a sua revolta e, uma vez mais, defendeu uma Grécia nacionalista. “Eu sou um nacionalista determinado e um orgulhoso membro do Aurora Dourada. Vocês não vão conseguir submeter a minha alma façam o que fizerem e ainda vos digo mais: Pelos meus ideais, estou pronto para ir para a prisão. Estou até pronto a morrer por eles”, disse o líder da extrema-direita grega, antes de ser reconduzido à prisão. Deputado também pelo Aurora Dourada, Christos Pappas, evocou a religião para confirmar a sua ótica sobre o processo político no país. “Deus ratificou a libertação da Grécia e Ele não vai recuar agora. Tenha este mesmo Deus misericórdia por vós porque do povo grego não a terão”. Analistas estão preocupados com a repercussão porque o Aurora Dourada vem ganhando terreno na política grega. “Apesar das acusações de atividades criminosa, nas recentes eleições para o Parlamento Europeu o Aurora Dourada surgiu como a terceira força política da Grécia, reforçado pelos votos dos eleitores saturados da austeridade que tem atingido o pais nos últimos quatro anos”, comentou o correspondente da euronews em Atenas, Giannisis Stamatis. A taxa de desemprego no país caiu levemente. Passou de 26,9% em fevereiro para 26,8% em março, o que faz renascer o sentimento de um “Estado forte” e o nacionalismo.

Aparecida: Por falar em nacionalismo, o presidente Barack Obama instou o primeiro-ministro britânico, David Cameron, a levar o Reino Unido a permanecer na União Europeia. Segundo analistas, a permanência seria uma resposta aos nacionalistas do Partido Independência que querem o rompimento com Bruxelas. Obama disse que a Grã-Bretanha deve fazer a sua própria escolha, mas insistiu que é sempre um trunfo para os EUA saberem que um de seus aliados mais próximos "tem um lugar à mesa em um projeto europeu maior". As declarações do presidente foram após a reunião do G7. O que você acha?

Bytes: Cameron disse que a União Europeia deve reconhecer a necessidade de reformas. "É necessário reconhecer que a União Europeia mudou. Ela deve servir melhor os interesses dos nossos cidadãos", disse Cameron, sublinhando que a continuação do Reino Unido na UE depende dessas reformas. Entre elas, a necessidade de reformar a legislação comunitária e a introdução de uma política mais dura de imigração. Obama aproveitou a coletiva de imprensa e afirmou que a União Europeia enfrentará sérias dificuldades se o Reino Unido sair do bloco econômico. "Em todo o caso, a decisão será tomada pelos cidadãos britânicos, mas a situação da UE será ainda mais complicada sem o Reino Unido", acrescentou o líder estadunidense. A presença de Londres no bloco tem um forte apoio: Angela Merkel.

Aparecida: Por falar em Merkel, a chanceler alemã condicionou um melhor relacionamento com a Rússia a cooperação de Moscou com o presidente eleito da Ucrânia, Petro Poroshenko, e um acordo sobre o gás, cujo fornecimento da Rússia ao território ucraniano e de lá para a Europa depende de pagamento de Kiev. O que você acha?

Bytes: O presidente da Comissão Europeia, o português Durão Barroso, ameaçou aplicar sanções aos países participantes do projeto do Gasoduto do Sul, liderado por Moscou, após pedido do presidente interino da Ucrânia, Arseni Yatsenyuk. Para ele, o trânsito do gás através da Ucrânia será “uma melhor opção para o fornecimento de gás russo”. Barroso já iniciou pressão junto à Bulgária, uma das favorecidas no projeto. Alexei Miller, presidente da Gazprom, a estatal russa de energia, afirmou numa assembleia-geral do Congresso Europeu de Empresários, que o Gasoduto do Sul estará pronto no próximo ano e já bombeando gás pelo mar Negro. Segundo ele, a segurança do fornecimento de gás para a Europa poderá ser reforçada por causa da diversificação de rotas, referindo-se a Kiev. Os acordos intergovernamentais sobre as obras de construção na superfície foram firmados com a Bulgária, Sérvia, Hungria, Grécia, Eslovênia, Croácia e Áustria. Na Bulgária e na Sérvia, as obras já se iniciaram, agora chegou a vez da Hungria. O Gasoduto do Sul era considerado como alternativo ao Nabucco, apesar de antieconômico, mas apoiado pelos Estados Unidos e a União Europeia, que devia seguir diretamente para a Europa, sem passar pela Rússia.

Aparecida: Por falar em energia, o Iraque advertiu empresas estrangeiras contra compras de petróleo proveniente do Curdistão iraquiano que acabam sendo exportadas sem consentimento das autoridades centrais do país. "O Iraque adverte as empresas e os mercados globais contra compras de petróleo bruto produzido na região do Curdistão iraquiano e transportado por meio do petroleiro United Leadership", disse o comunicado. Segundo as agências internacionais, a Turquia começou a reexportar o petróleo proveniente da região do Curdistão iraquiano a partir do dia 23 de maio. Cerca de um milhão de barris de petróleo, armazenado no porto turco de Ceyhan, foi embarcado no navio-petroleiro United Leadership e enviado para a Europa. Haverá uma guerra entre Bagdá e Ancara?

Bytes: A Turquia vive tentando contornar a convivência com os curdos em seu território, já que a etnia sonha com um Estado nacional que poderá tomar parte não só da Turquia, mas também do Iraque, do Irã e da Síria. O Partido dos Trabalhadores do Curdistão, a pedido de Ancara, foi considerado “terrorista” por parte de Washington e Bruxelas.

Aparecida: Por falar na Turquia, milhares de manifestantes se reuniram na sexta-feira passada em oração para pedir que o museu, que já foi a Igreja de Santa Sofia, em Istambul, seja transformado novamente numa mesquita como foi durante o Império Otomano (acima). O que você acha?

Bytes: Há o receio do Ocidente que o primeiro-ministro Erdogan queira transformar novamente a “laica” Turquia, pós-Primeira Guerra Mundial, numa República Islâmica a exemplo do Irã. A mídia turca foi a primeira a afirmar que há intenção de Erdogan em transformar a antiga Igreja de Santa Sofia em mesquita. Não sabemos se é verdade, mas temos certeza de que manifestantes contrários vão protestar. Assim como não é de “bom agouro” transformar o local em mesquita se a Igreja foi erguida e consagrada a Jesus Cristo durante o Império Bizantino. E o nome foi dado como sinônimo de “santa sabedoria” em grego. È melhor conservar o local como museu porque os turistas podem admirar-se com seus afrescos, como o que retrata Ana de Kiev ainda menina, por ser a representatividade do esplendor de Constantinopla.

Aparecida: Por falar em representatividade, o presidente da Síria, Bashar Al-Assad, afirmou hoje que a grande participação nas eleições que o reelegeram é uma mensagem para Ocidente que os sírios decidem seu futuro por si mesmos. Ele apareceu na TV sorridente cumprimentando o chefe da delegação iraniana, Aladin Boruyardi, presidente da Comissão de Segurança Nacional e de Política Exteriores do parlamento do Irã. "As vitórias do povo sírio e os resultados conseguidos pelo Irã, especialmente no assunto nuclear, com as mudanças positivas em vários estados da região nos dão confiança e esperança sobre o futuro dos povos da região", disse Assad. Boruyardi parabenizou Assad por sua reeleição e destacou a representatividade do pleito devido à alta participação de eleitores apesar das "difíceis condições pelas quais o país passa". Ele fez parte de uma equipe de observadores de 32 países, convidados pelo governo de Damasco, para acompanhar as eleições de anteontem. Assad também se reuniu hoje com um grupo de sírios residentes nos Estados Unidos que viajaram à Síria para votar nas eleições. Ele destacou "a lealdade e a determinação para contribuir para a preservação da independência e a soberania" dos sírios que vieram de outros estados por ocasião da votação. O que você acha?

Bytes: Além do Irã, a Rússia foi a única a parabenizar Assad pela vitória nas eleições.

Aparecida: Por falar em vitória nas eleições, o ex-chefe do exército egípcio Abdel Fatah al Sissi ganhou com 96,9% dos votos. Em um discurso televisionado, ele chamou o povo egípcio a trabalhar para restaurar " a liberdade e a justiça social". O rei da Arábia Saudita foi o primeiro chefe de Estado estrangeiro a reconhecer sua vitória "histórica". O presidente eleito prometeu um “futuro brilhante" e o regresso da estabilidade ao país. "O futuro é uma folha em branco que podemos preencher com o que queremos: com pão, liberdade, dignidade humana e justiça social", disse Sissi na TV. Para ele, os egípcios "merecem estes resultados eleitorais pelos sacrifícios que fizeram ao longo das gloriosas revoluções", numa alusão à deposição de Mubarak e do islamita Mohamed Morsi, afastado do poder pelo exército em julho do ano passado. O que você acha?

Bytes: A oposição legitima o resultado porque o processo eleitoral decorreu sob forte censura à imprensa e aos grupos políticos. Hoje um promotor pediu a pena máxima, entre 15 e 25 anos de prisão, para os 20 réus no julgamento contra os jornalistas da Al-Jazeera acusados de apoiar a Irmandade Muçulmana no Egito. Onze acusados são julgados à revelia. Outros jornalistas estrangeiros acusados, que trabalham em tempo parcial para a rede de notícias do Qatar, fugiram do Egito depois das primeiras prisões. Na “Primavera Árabe”, nenhum ativista esperava que o Egito voltasse a ser governado novamente por um general que usa óculos escuros.

Aparecida: O Egito pode usar novamente o Suez como arma para o progresso?

Bytes: O que podemos afirmar é que até o fim do ano deve estar sendo construído um canal transoceânico na Nicarágua, cujo principal investidor é a empresa chinesa HKND. Ela recebeu a concessão por um prazo de 100 anos para a construção e a exploração do canal. A construção do canal da Nicarágua já foi batizado de “projeto do século”, porque deverá ligar o oceano Pacífico ao mar do Caribe como alternativa ao canal do Panamá. Segundo estimativas prévias, as obras estão avaliadas em US$ 40 bilhões e são consideradas essenciais para permitir navios com maior calado. A Rússia, por sua vez, além de um apoio econômico, irá prestar uma ajuda militar para evitar “eventuais provocações”. O governo nicaraguense firmou um acordo especial com Moscou, segundo o qual os navios de guerra e aviões russos “deverão exercer um patrulhamento das águas territoriais”. Além disso, no território nicaraguense, será instalada uma base de apoio logístico da Marinha de Guerra russa. Este plano tem engendrado uma série de especulações da mídia ocidental. Dizem que a Rússia terá aproveitado a oportunidade de “fincar o pé” na região por meio de suas bases militares que pretende abrir na República das Seychelles, em Cuba, no Vietnã, na Argentina e na Nicarágua. O chanceler russo, Serguei Lavrov, nega a intenção de criar bases militares navais no exterior. A declaração foi após ter recebido no mês passado em Moscou vários colegas de Cuba, Nicarágua, Chile, Peru, Argentina e Venezuela, quando tratou de cooperação econômica e comercial.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal "O Globo" de 30 de maio de 1964, cuja manchete foi "A corrupção deu ao País, em 5 anos, prejuízo superior a um quatrilhão de cruzeiros!": "Vai a mais de Cr$ 1 quadrilhão o montante do prejúizo causados aos cofres públicos pela corrupção no país de cinco anos para cá, afirmou o major Lopes Barbosa, oficial de ligação entre o Conselho de segurança Nacional e a Comissão Geral de Investigações, que, como frisou, baseou seus cálculos extra-oficiais em dados que lhe têm chegado às mãos". E mais: "Satélites espaciais da URSS fotografaram bases militares dos EUA, afirma Khruchtchev. O ex-senador norte-americano William Benton disse, em Paris, numa entrevista à imprensa, que o dirigente soviético lhe afirmara no Kremlin que a Rússia tem fotografias de instalações militares norte-americanas, tiradas em câmeras de satelites espaciais. Disse ainda o Primeiro-Ministro acreditar que os EUA tenham feito o mesmo". E mais: "O projeto de reforma habitacional, divulgado ontem pelo Ministério do Planejamento, prevê a criação do Banco Nacional de Habitação, sob jurisdição do Ministério da Fazenda, para disciplinar, supervisionar, controlar e coordenar a política habitacional. O projeto, que suprime a Fundação da Casa Popular, conferindo-lhe sob outra estrutura, novas finalidades, inclui a cassação das carteiras imobiliárias dos IAPs, cujo pessoal seria absorvido pelo BNH, pretendendo, ainda, estimular a iniciativa privada no setor".

Aparecida: Deu no jornal "O Globo" de 30 de maio de 2014, 50 anos depois: "Adeus ao Supremo. Ameaças precipitaram saída de Barbosa do STF. Presidente do Tribunal antecipa aposentadoria para final de junho. Amigos contam que tentativas de intimidação se intensificaram após o fim do julgamento do mensalão. ´Este assunto está completamente superado. Sai da minha vida a ação penal 470´, disse o ministro ontem". E mais: "Com inverno rigoroso, PIB dos EUA encolhe 1% no trimestre. Retração é a 1 no país em 3 anos. Analistas veem efeito do clima". E mais: "Aperto no orçamento. Brasileiro paga R$ 88 bi em juros. De janeiro a abril, os brasileiros pagaram R$ 88 bilhões em juros de financiamentos, 17% a mais do que no ano passado. Mesmo com a decisão do BC de manter estável a taxa básica Selic em 11% ao ano, as famílias estão com o orçamento apertado pela inflação e por dívidas anteriores".

Bytes: O economista Paulo Nogueira Batista Jr. escreveu o artigo intitulado "Vítima do detalhismo alemão":"A Grécia volta hoje à discussão na diretoria do Fundo Monetário Internacional (FMI). É um caso realmente impressionante. Não apenas pelo conhecido custo social e econômico do ajustamento em curso, mas também pelo altíssimo grau de intervenção externa na administração da economia. É como se tivessem colocado o país em regime de protetorado econômico. Liderada pela Alemanha, a chamada Troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI) vem exigindo da Grécia não só um grande ajustamento das contas públicas, mas também uma extensa e detalhada lista de “reformas estruturais” em áreas como política tributária, administração pública, execução orçamentária, licitações, saúde, previdência social, sistema financeiro, mercado de trabalho, ambiente de negócios, inovação e desenvolvimento, política de energia, comunicações eletrônicas, transporte e logística, comércio varejista, profissões reguladas, estatísticas, entre outras".

Aparecida: O seu Carlos disse, exaltado: “Os homens de bem neste País estão órfãos com a saída de Barbosa. Dói no coração vê a foto dele com o senador Renan Calheiros rindo, nos fazendo assim de palhaço. Venceram os corruptos. E nós, que amamos esta pátria, que juramos lealdade à bandeira, estamos envergonhados perante o mundo. Estão vencendo os ímpios. Se eu ganhasse na loteria, eu daria o dinheiro para a família daquele garoto boliviano morto em São Paulo”. E começou a ficar com os olhos marejados. A dona Irene, comentou: “A minha sogra me disse que ele sempre foi sensível desde criança. A nossa luta diária agora é tirar esta gente do PT, vermelha e intransigente”. O que você acha?

Bytes: Joaquim Barbosa está livre como um político. Já começou a criticar a decisão do PT de recorrer à OEA em favor dos acusados do mensalão no mesmo dia em que o procurador da República defende o direito do José Genoíno de cumprir a pena em prisão domiciliar. A luta, no entanto, será após a indicação pela Dilma do substituto para a sua vaga. Só não pode a intransigência transformar bolinha de papel em pedra como ocorreu durante a campanha eleitoral de 2010 quando houve até atestado médico de um militante tucano com aval de um perito criminal ouvido pelo “Jornal Nacional”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Dizem que o Joaquim Barbosa é "filho de Ogum", o "orixá guerreiro". O que você acha?

Bytes: Segundo o colega gaiato lá da facû, o Brasil está mais para "Oxalá", assim como o Rio de Janeiro para "Oxossi". Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Está escrito na “Boa Notícia”: “ Disse Jesus: Vós perscrutais as Escrituras, julgando encontrar nelas a vida eterna. Pois bem! São elas mesmas que dão testemunho de mim. E vós não quereis vir a mim para que tenhais a vida. Não espero a minha glória dos homens, mas sei que não tendes em vós o amor de Deus. Vim em nome de meu Pai, mas não me recebeis. Se vier outro em seu próprio nome, haveis de recebê-lo. Como podeis crer, vós que recebeis a glória uns dos outros, e não buscais a glória que é só de Deus? Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. Pois se crêsseis em Moisés, certamente creríeis em mim, porque ele escreveu a meu respeito. Mas, se não acreditais nos seus escritos, como acreditareis nas minhas palavras?”

Tico: No dia de hoje o primeiro-ministro britânico, David Cameron, insinuou que Londres pode se oferecer como sede da Copa do Mundo de 2022 caso a eleição do Qatar seja anulada. “A Inglaterra ficaria feliz de encontrar um lar para um de seus esportes mais tradicionais”, disse Cameron. A Fifa está investigando as campanhas que deram o Mundial de 2022 ao Qatar e o de 2018 à Rússia, incluindo alegações de que foram pagos subornos para garantir a vitória do país árabe. Várias autoridades do alto escalão do futebol disseram que o emirado pode perder o direito de sediar o torneio se a corrupção for comprovada. “No tocante ao futebol, devemos deixar a investigação seguir seu rumo. Mas é claro que a Inglaterra é o lar do futebol, como é o lar e inventor de muitos esportes: tênis, rúgbi, esqui, tênis de mesa, críquete...”, avaliou o premier britânico. “Por isso, sempre seria uma alegria encontrar um lar para estes esportes”, acrescentou. A campanha do Qatar provocou polêmica desde o início por causa do calor extremo de seu verão e sua falta de tradição no futebol. Nesta semana, o jornal "Sunday Times" publicou o que diz serem trechos de mensagem trocadas por correio eletrônico e relatos financeiros vazados mostrando que milhões de libras esterlinas foram gastas em subornos para persuadir autoridades do futebol a votar pelo Qatar, que nega as acusações. O presidente da Uefa, Michel Platini, se mostrou ontem favorável à realização de uma nova eleição para sede da Copa de 2022, caso sejam comprovadas irregularidades na escolha do Qatar, mas disse que não se arrepende de ter votado no país árabe. "Foi a opção correta para a Fifa e para o mundo do futebol", declarou Platini ao jornal esportivo francês “L’Equipe”. Um ex-promotor dos Estados Unidos, que chefia a investigação da Fifa, deve entregar seu relatório em julho, cerca de uma semana após o fim da Copa do Mundo no Brasil. 

Teco: No dia de hoje a Justiça da Venezuela decidiu submeter a julgamento o líder opositor Leopoldo López, acusado de promover uma onda de manifestações violentas contra o governo do presidente Nicolás Maduro. López, líder da ala mais radical da oposição venezuelana, está preso desde fevereiro. "Diante da acusação apresentada pelo Ministério Público, foi ordenado o julgamento de Leopoldo Eduardo López Mendoza por sua suposta responsabilidade nos atos de violência registrados em 12 de fevereiro deste ano", disse a Promotoria em um comunicado. A decisão gerou críticas da Comissão Internacional de Juristas, com sede em Genebra. Segundo a entidade, a independência do judiciário "está seriamente ameaçada" na Venezuela, afetando as possibilidades de democracia real e o Estado de Direito. A Comissão argumentou que os juízes estão mais comprometidos na repressão aos críticos do governo do que combater a criminalidade. A organização informou que houve 15 mil homicídios na Venezuela no ano passado, com 90% dos delitos impunes, mas o Ministério Público e os juízes têm concentrado seus esforços em deter milhares de opositores nos últimos meses. A CIJ, que reúne cerca de 60 juízes e advogados de todo o mundo, elaborou o informe "Fortalecendo o Estado de Direito na Venezuela", depois de uma missão no país. Ontem, a base de sustentação do governo Maduro denunciou uma tentativa de “golpe de Estado” contra o presidente da Venezuela, envolvendo a deputada cassada Maria Corina Machado e o novo embaixador dos EUA na Colômbia, Kevin Whitaker. A instabilidade voltou ao país após parlamentares norte-americanos terem aprovado um pacote de sanções à Venezuela. Na véspera, o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, pediu à comunidade internacional que apoie o diálogo entre a oposição e o governo da Venezuela "sem pressões ou sanções", e expressou sua preocupação com o estancamento do processo.

Bytes: No dia de hoje a Sérvia proclamou independência de Montenegro. Localizada no sudeste da Europa, o país da Região dos Bálcãs faz com fronteiras ainda com a Bósnia e Herzegovina, Croácia, Macedônia, Albânia, Romênia, Bulgária e Hungria. A declaração de independência foi declarada dois dias depois do plebiscito em Montenegro no qual a consulta popular demonstrou a vontade dos montenegrinos em também se separarem. A confederação de Sérvia e Montenegro foi formada após o desmantelamento da República Socialista Federativa da Iugoslávia. O fim da nação nascida após a Primeira Guerra Mundial levou os sérvios a terem o desejo de construir a “Grande Sérvia”, reunindo terras hoje pertencentes à Bósnia e Herzegovina e Croácia. Foi o estopim da Guerra dos Balcãs. Em dezembro de 2009, Belgrado apresentou a candidatura oficial de adesão à União Europeia. A independência da Sérvia de Montenegro ocorreu há 8 anos.

Aparecida: No dia de hoje nascia, há 291 anos, o filósofo britânico Adam Smith. Foi batizado de pai da economia moderna, mas é o teórico da corrente da economia liberal. Em sua obra “Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações", ele observou que as nações mais ricas são aquelas em que o mercado age livremente, sem muita regulação, porque o interesse próprio acaba gerando uma “mão invisível” que conduz para o progresso e a inovação. "Não é da benevolência do padeiro, do açougueiro ou do cervejeiro que eu espero que saia o meu jantar, mas sim do empenho deles em promover seu interesse". Para o filósofo britânico, a competição livre entre os diversos fornecedores levaria não só à queda do preço das mercadorias, mas também a constantes inovações tecnológicas. As doutrinas de Smith exerceram uma rápida e intensa influência na burguesia, já que desejavam acabar com os direitos feudais e com o mercantilismo.

Bytes: No dia de hoje morreu, há 10 anos, o presidente Ronald Reagan. Junto com a ex-primeira-ministra Margareth Thatcher inaugurou a política neoliberal, uma extensão das ideias de Adam Smith, para superar a grave crise econômica que passava os seus países. Reagan herdou dos anos 70 a estagflação, mistura de estagnação econômica com inflação, que levou os seus antecessores, como Richard Nixon, a uma política de controle de preços para debelar a inflação. Ele introduziu um ideário econômico conhecido como "Reaganomics", que incluiu medidas como redução dos gastos de governo, principalmente na área social, redução de impostos sobre renda e ganhos de capital, redução da regulação econômica e controlou a oferta de dinheiro para reduzir a inflação. No fim do seu mandato, a economia norte-americana voltou a crescer. A Reagan também é creditado o fim da Guerra da Fria com o desmonte da União Soviético, mesmo que tenha ocorrido no mandato do seu sucessor: George Bush. Foi eleito pelos estadunidenses como o maior cidadão norte-americano de todos os tempos. Assim como com Thatcher, ele enfrentou o mal de Alzheimer, a perda de memória, antes de morrer. Ficou a "Reaganomics"

Aparecida: No dia de hoje nascia, há 93 anos, a estilista brasileira Zuzu Angel. Nascida em Curvelo, Minas Gerais, ela se estabeleceu no Rio de Janeiro onde montou sua grife em Ipanema. O trabalho original chegou aos Estados Unidos onde suas roupas eram expostas na Quinta Avenida, em Nova York. Na década de 70, a sua vida virou de cabeça para baixo com o desaparecimento do seu filho Stuart Angel Jones que lutava contra a ditadura militar. Sem saber do seu paradeiro, ela começou uma busca implacável e usou o seu prestígio nos Estados Unidos a fim de encontrá-lo. Em setembro de 1971, sua luta chegava os jornais internacionais. O jornal canadense “The Montreal Star” publicou a manchete "Estilista pede pelo filho desaparecido". Cinco dias depois era a vez do “Chicago Tribune” trazer a manchete "A mensagem política de Zuzu está nas suas roupas". Como estilista, ela criou uma coleção estampada com manchas vermelhas, pássaros engaiolados e motivos bélicos. Por sua militância, Zuzu passou a ser perseguida e ter a sua vida monitorada. De um desertor do regime militar, recebeu a informação de que seu filho foi morto numa sessão de tortura e o seu corpo jogado no mar da Restinga de Marambaia. A estilista tentou um encontro com o secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger, em vista ao Brasil, para entregar o dossiê, já que Stuart era também estadunidense por ser filho de Norman Angel Jones. No dia 14 de abril de 1976, ela morreu após o seu carro ter se desgovernado ao sair do túnel Dois Irmãos. O seu amigo, o compositor Chico Buarque de Holanda, entregou uma carta dela aos jornais brasileiros em que ela dizia que poderia ser morta. “Se algo vier a acontecer comigo, se eu aparecer morta, por acidente, assalto ou qualquer outro meio, terá sido obra dos mesmos assassinos do meu amado filho”, escreveu. A carta não pode ser publicada devido à censura imposta aos meios de comunicação pelos militares. Documentos vazados pela página WikiLeaks na Internet mostram que revelaram que a embaixada norte-americana mostrava preocupação com a repercussão do fato na imprensa brasileira e não descartava a hipótese de assassinato. A diplomacia estadunidense também tinha sabia da morte de Stuart. Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso a Comissão Especial Sobre Mortos e Desaparecidos reconheceu a responsabilidade do Estado brasileiro na morte da estilista. O seu nome foi dado ao túnel que resultou na morte. Em sua memória, Chico Buarque compôs a música“Angélica”. A sua história foi contada no filme “Zuzu Angel”, de Sérgio Rezende.

Bytes: Ontem eu fui assistir ao filme “X Men: Os dias de um passado esquecido”, de Bryan Singer. Na trama, depois do assassinato de um fabricante de armas, o governo norte-americano aprova a criação de um exército de robôs caçadores de mutantes, os Sentinelas. Um pequeno grupo de X-Men resiste à ameaça. O plano consiste em enviar a consciência de Wolverine de volta aos anos 70 para tentar mudar a história. Ele cai diretamente no ano em que os Estados Unidos assinaram o tratado de paz em Paris para acabar com a Guerra do Vietnã. As situações são muito interessantes, a imagem de Nixon impressiona e os atores estão impecáveis, com destaque para o carisma de Jenniffer Lawrence.

Aparecida: O meu filho foi assistir ao documentário “Setenta”, de Emilia Silveira, sobre o grupo de 70 presos políticos que foram enviados ao Chile. Os depoimentos levam à consciência do que foram os anos 70.

Bytes: Hoje o vilão é aquele que não é percebido, tema da franquia "O espetacular Homem Aranha 2: A ameaça do Electro", de Marc Webb. Mas em X Men, os mutantes querem expandir os seus dons em contraste à construção de Sentinelas, mero robôs poderosos, mas autodestrutivos. Qual é a moral da história? Os mutantes se dividem por bobagem.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal "O Globo" de 2 de junho de 1964, cuja manchete foi "O General Mourão Filho diz em São Paulo que a Revolução não parou": "Ao agradecer ontem uma homenagem das senhoras paulistas, o general Olímpio Mourão Filho, ex-comandante da IV Região Militar, afirmou, respondendo a uma declaração de confiança no procedimento do govêrno, que está atento ´para fazer cumprir por completo a operação-limpeza já iniciada, porque assim exige o povo brasileiro". E mais: "Embora acompanhe apenas como espectador o encaminhamento da tese que envolve a coincidência de mandatos, o presidente da República, marechal Castello Branco, está decidido a não intervir, de nenhuma forma, no seu desenvolvimento: nem mesmo a estudou porque o assunto não foi levado por quem quer que seja à sua consideração. Quanto ao Ato Institucional, que permite a cassação de mandatos e direitos políticos de elementos considerados subversivos, também não se mostra interessado em prorrogar a sua vigência". E mais: "Chefes militares e secretários de Estado norte-americanos como Robert McNamara e Dean Rusk estudam em Honolulu, capital do Havaí, novas medidas para conter o avanço comunista, no Sudeste da Ásia. Para os participantes da cimeira, a nova estratégia porá têrmo à intervenção vermelha no Laos e Vietnam do Sul".

Aparecida: Deu no jornal "O Globo" de 2 de junho de 2014, 50 anos depois: "Privatização. Modelo para explorar aeroportos será mudado. Governo vai instituir autorização; concessionárias reagem. Para especialistas, nova regra dificultará gestão de terminais e também prejudicará empresas que já venceram leilões". E mais: "A Copa no Brasil. Dilma inaugura obras inacabadas no Rio. A presidente Dilma Rousseff inaugurou ontem o BRT Transcarioca e a ampliação do Terminal 2 do Aeroporto Tom Jobim, obras entregues incompletas. Segundo Dilma, mais brasileiros viajam de avião. ´Acusam a gente de transformar aeroporto em uma grande rodoviária. Mas isso não tem mal nenhum´. No Tom Jobim, tapumes escondem escadas rolantes quebradas". E mais: "E-mail vazados expõem Itamaraty. Vazados por hackers , e-mail que seriam do Itamaraty revelam desde pedido da Rússia ao Brasil de apoio à intervenção na Crimeia até plano para conter protestos".

Bytes: O filósofo brasileiro Denis Lerrer Rosenfield escreveu o artigo "Há Estado?": Há um certo senso comum popular segundo o qual a segurança pública é uma das principais atribuições do Estado. Não se trata de nada corriqueiro, pois estamos falando da conservação da vida, da integridade do corpo, da preservação dos bens e da defesa da família. Todas as pesquisas de opinião mostram que esta é uma das principais preocupações dos brasileiros, que se veem como desatendidos no que deveria ser o eixo mesmo de atuação do Estado. Qual é o destino de nossos impostos, se o Estado nem isto pode assegurar? Há, também, certo senso comum filosófico que fundamenta essa percepção popular. Caberia ao Estado, dizia Hobbes, assegurar a integridade física e a conservação dos bens de seus cidadãos, via exercício do monopólio da violência. Isto significa que os cidadãos teriam transferido ao Estado o uso da violência, de tal maneira que a ordem pública possa se estabelecer. O mesmo senso filosófico, desta feita seguindo Kant, estabelece que a lei reja os conflitos em estados republicanos, de modo que sentenças judiciais devam ser aplicadas, pois se isto não ocorre é como se a própria lei não existisse. Uma lei ineficaz não pode ser propriamente denominada de lei".

Aparecida: O que você acha da manchete sobre o vazamento de informações da diplomacia brasileira?

Bytes: Elas ocorrem em outras partes do mundo. Há hackers especialistas no assunto. Quanto à redação do texto, a Rússia nunca teria pedido ao Brasil apoio à "intervenção" na Crimeia porque para Moscou foi uma "anexação" após consulta popular sobre o assunto. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: O que você achou da posição do marechal Castelo Branco sobre a cassação de mandatos durante a ditadura militar?

Bytes: Ele era contra, mas havia um grupo a favor que acabou vencendo. O mesmo que foi elogiado pelo editorial de “O Globo”, já que o jornal sustentava que a “revolução democrática” deveria promover no país uma “limpeza total”. Nos dias seguintes a opinião pública ficou sabendo da cassação do chanceler Afonso Arinos e do San Thiago Dantas considerado naquele tempo uma das pessoas mais brilhantes do Brasil. No bojo foi o deputado Tenório Cavalcanti na quota dos desafetos políticos. ACM mandou muitos na Bahia para a degola sem que tivessem culpa no cartório. Juscelino já previa o que lhe aconteceria. Sofrendo perseguições e depoimentos vexatórios na polícia, chegou ao exílio. Sobre até para o Adolfo Bloch por ter cedido um camarote para JK brincar o carnaval no Teatro Municipal. Ele teve todo o seu crédito suspenso no Banco do Brasil por ordem dos militares. Castelo Branco não passou o governo para os civis porque houve o levante promovido por Costa e Silva na Vila Militar. Mais tarde, Castelo morreu num acidente aéreo após a aeronave em que estava ter sido abatida por um caça da FAB. Um caso sem solução, o que só alimenta os adeptos da Teoria da Conspiração. Mas o próprio Costa e Silva pensava em entregar o governo aos civis quando sofreu o AVC. A disputa de poder numa ditadura é muito mais acirrada porque não há Estado de Direito. Só tumulto, mas com ares de ordem.

Aparecida: Por falar em tumulto, o que você achou da greve dos metroviários de São Paulo? Ela ocorreu junto com os agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego. O seu Carlos disse, exaltado: “Olha a recepção que os turistas vão ter. Um engarrafamento monstro para saber como é um inferno viver neste País. Tudo por causa da política econômica equivocada da guerrilheira”. A Dilma achou lamentável o quebra-quebra na estação de Itaquera, próxima ao estádio. O que você acha?

Bytes: Segundo o colega gaiato lá da facû, pelo menos não vai haver mais divergência sobre a declaração do Lula de que os que querem ver a Copa não vão de metrô. A solução é ficar parado no trânsito.

Aparecida: Por falar em trânsito, a Dilma viajou no BRT junto com o prefeito Eduardo Paes. O projeto aliviará os engarrafamentos no Rio?

Bytes: Segundo o colega gaiato, o primeiro acidente será destacado pelo jornal “O Globo” com destaque. Fica a pergunta: colisão ou atropelamento?

Aparecida: Depois dos metroviários e do Rio Grande do Sul que está parado, qual será a categoria que fará paralisação?

Bytes: Segundo o colega gaiato, na véspera da abertura da Copa os jogadores da Seleção Brasileira anunciarão que vão cruzar as pernas.

Aparecida: Os sem-tetos prometem manifestações na partida de amanhã do Brasil com a Sérvia. O seu Carlos disse, exaltado: "Os militares ainda não interviram no País porque estão sendo comprados pelo governo". O que você acha?

Bytes: Segundo o colega gaiato, bons tempos eram os da ditadura quando o Dops era chamado para acabar com os sem-tetos que queriam construir favelas no País. Deve ser porque a invasão da propriedade privada é motivo de polícia política. 

Aparecida: A dona Irene está impressionada com o comportamento do carioca. Ela andou por Ipanema inteira e não viu qualquer sinal de que vai haver Copa do Mundo no Brasil. Ela viu apenas um camelô vendendo chapéu e camisa da Seleção. O que você acha?

Bytes: Na Inglaterra a demanda é outra. Dois dos maiores fornecedores de moedas estrangeiras na Grã-Bretanha informaram à BBC que estão sem moeda brasileira disponível, poucos dias antes do início da Copa do Mundo. A casa de câmbio Travelex já não tem mais reais para vender nas agências dos aeroportos de Heathrow, em Londres, e de Manchester, depois de registrar um aumento de 1.000% na demanda. “Sendo um dos poucos fornecedores de moeda estrangeira com estoque de real, observamos níveis inéditos de demanda. Como resultado, há uma escassez temporária em nossas lojas dos aeroportos de Heathrow e Manchester", disse Elvin Eldic, chefe de vendas para a Grã-Bretanha na Travelex. "Estamos trabalhando muito para redistribuir os estoques em nossa rede e esperamos uma grande entrega de reais brasileiros nos próximos dias, a tempo para os torcedores viajarem para o Brasil para o jogo da Inglaterra contra a Itália", acrescentou. Os Correios, que também vendem moedas estrangeiras em 11,5 mil agências em toda a Grã-Bretanha, informaram que até o final de semana não terão mais reais para vender. "Os Correios estão tendo uma demanda sem precedentes pelo real nesta semana, com um aumento de 400% nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado", disse Andrew Brown, do departamento de moedas estrangeiras da empresa. Bryan Alexander, que é de Birmingham, vem ao Brasil na próxima quinta-feira. "Minha hospedagem em Recife tem que ser paga em reais, mas minha agência local dos Correios me disse que não há reais no estoque", disse. "Os Correios estavam anunciando no website uma taxa especial para reais, então esperei para comprar. Mas agora, quando procurei online, a opção para compra de reais não está lá. Agora estou preocupado, vou chegar no Brasil à noite, sem levar a moeda local", acrescentou. São os percalços da “economia real”. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por falar em inglês, o turista Lee Thompson escalou o Cristo Redentor até a cabeça da estátua para realizar um sonho. Ele escreveu em seu blog que a ideia nasceu quando ele e o seu colega, Oliver Harvey, admiraram a estátua de uma das praias da cidade. Segundo Lee, ao sair do ombro do Cristo, ele sentiu, ao mesmo tempo, medo de altura e devoção religiosa. O grupo veio ao Brasil para documentar os preparativos para a Copa do Mundo. O feito foi registrado no blog com vídeo da aventura e um selfie com o Cristo. O que você acha?  

Bytes: O que sabemos é que os socialistas brasileiros de diferentes credos irão se unir agora para tentar impedir o nascimento no Brasil do capitalismo, a “riqueza das nações”. 

Aparecida: Por falar em nações, eu gostei muito do clipe da Coca-Cola, patrocinadora da Copa. Já o seu Carlos disse exaltado: “Essas multinacionais não têm o menor cuidado em preservar o processo civilizatório. Pensam só nos lucros e não no cidadão que dorme no chão dos hospitais públicos. Vão levar o mundo à bancarrota”. O que você acha?

Bytes: Os socialistas não aceitam a globalização. Para nós, capitalistas brasileiros e contemporâneos, ela é irreversível porque faz parte do processo histórico, ilustrativo durante o mercantilismo. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Eu achei muito bonito também o comercial que se passa na Jordânia, que tem legenda quando passa no cinema, no qual meninos brincam numa pelada, cujo campo improvisado se chama “Maracanã”. É muito bonita a “expressão popular” porque vem do coração.

Bytes: A liberdade de expressão é um bem precioso porque materializa a imaginação em direção à consciência. Quando repetem que o capitalismo está morto, assim como diziam nos anos 30, eu digo: “Graças ao capitalismo, os socialistas estão perdidos diante do desafio da compressão tempo-espaço”. Quando eles se dividem na pergunta se existe Estado no Brasil, eu provoco: "Só o capitalismo salva!" Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Está no “Êxodo” da escravidão para a liberdade: “São estes, pois, os nomes dos filhos de Israel que entraram com Jacó no Egito, cada um com a sua respectiva família: Rúben, Simeão, Levi e Judá; Issacar, Zebulom e Benjamim; Dã, Naftali, Gade e Aser. Ao todo, os descendentes de Jacó eram setenta; José, porém, já se encontrava no Egito. Ora, morreram José, todos os seus irmãos e toda aquela geração. Os israelitas, porém, eram férteis, proliferaram, tornaram-se numerosos e fortaleceram-se muito, tanto que encheram o país. Então subiu ao trono do Egito um novo rei, que nada sabia sobre José. Disse ele ao seu povo: Vejam! O povo israelita é agora numeroso e mais forte que nós. Temos de agir com astúcia, para que não se tornem ainda mais numerosos e, no caso de guerra, aliem-se aos nossos inimigos, lutem contra nós e fujam do país. Estabeleceram, pois, sobre eles chefes de trabalhos forçados, para os oprimir com tarefas pesadas. E assim os israelitas construíram para o faraó as cidades-celeiros de Pitom e Ramessés. Todavia, quanto mais eram oprimidos, mais numerosos se tornavam e mais se espalhavam. Por isso os egípcios passaram a temer os israelitas, e os sujeitaram a cruel escravidão. Tornaram-lhes a vida amarga, impondo-lhes a árdua tarefa de preparar o barro e fazer tijolos, e executar todo tipo de trabalho agrícola; em tudo os egípcios os sujeitavam a cruel escravidão”.

À RIQUEZA DAS NAÇÕES
Rio de Janeiro, 5 de junho de 2014

Exibições: 404

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço