http://br.youtube.com/watch?v=qa6mamKJCHI

Bombardeio da Cidade de Salvador, sob ordem do Pres. Hermes da Fonseca, em 1912.

Classificação:
  • Atualmente, 0/5 estrelas.

Exibições: 312

Favorito de 1 pessoa

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Comentário de Dulce Leão em 11 outubro 2008 às 19:43
Celso, amigo

Como lhe disse que faria, fui buscar informações sobre este fato histórico, "O BOMBARDEIO DE SALVADOR", com um professor, doutor em HISTÓRIA, residente em Salvador-Ba.

CONFIRMADO...HOUVE UM BOMBARDEIO À CIDADE DE SALVADOR, em 1912.

Envolveu muitos "vultos históricos honrados, e seus herdeiros agradecem até hoje". Pelos nomes dos clãs envolvidos, em fomentar o ATAQUE A SALVADOR, ainda podemos identificar alguns herdeiros "do poder", esperneando até hoje. Para citar só um..."OS VIANNA"...do ex-gov Vianna Filho, JJSeabra, Rui Barbosa, e alguns outros...

"...ESTE É UM DOS FATOS HISTÓRICOS QUE PERMANECEM SOB O TAPETE, E NUNCA FREQUENTAM AS ESCOLAS."

Existe documentação comprobatória e a mais fácil delas é a página da Assembléa Legislativa da Bahia, de onde tirei: Os danos foram imensos...matança, biblioteca inteiramente destruída...etc. Se quizer mais informações LIGEIRA, achará muto na net... Se quizer se aprofundar só na Biblioteca dos Barris, em Salvador/Ba.

"A primeira legislatura da Câmara dos Deputados baiana foi instalada no Paço Municipal, assim como o fora o órgão que a precedera, a Assembléia Legislativa Provincial da Bahia. A Câmara permaneceu neste endereço até 1912, quando ocorreu um incidente sem paralelo na história do Estado, o bombardeio da cidade do Salvador. Em 10 de janeiro de 1912, os Fortes do Barbalho, São Marcelo e São Pedro abriram fogo contra a cidade do Salvador, atingindo o hoje demolido Teatro São João (imediações da Praça Castro Alves), algumas casas na Rua Chile e o Paço Municipal. A causa imediata do incidente foi a recusa do então governador do Estado em exercício, Aurélio Viana, Presidente da Câmara dos Deputados, em cumprir decisão exarada por juiz federal, à qual cabia ainda recurso, porém fora exigido cumprimento imediato, de mandar retirar a milícia estadual que ora ocupava o Paço Municipal. Na foto, tirada no dia seguinte ao bombardeio, vê-se a torre do relógio do Paço Municipal danificada, atingida por uma granada durante o conflito."

Um abraço,

Dulce.
Comentário de Celso Orrico em 10 outubro 2008 às 17:30
Dulce, sou soteropolitano que mora fora da Bahia ha 5 anos e nunca vi ou ouvi nada sobre esse bombardeio, nem nos 2 semestres da matéria História da Bahia que fiz no curso de Filosofia..quando for à Salvador buscarei mais informações na Biblioteca dos Barris..muito obrigado pela informação..
Abraços

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço