Não basta ter razão; ter razão é pouco!Na maioria das vezes o senso comum representa um dos males da humanidade, em virtude do baixo nível da média do discer...

Classificação:
  • Atualmente, 5/5 estrelas.

Exibições: 41

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Comentário de Laércio Beckhauser em 13 agosto 2009 às 15:56
Não basta ter razão; ter razão é pouco!
Na maioria das vezes o senso comum representa um dos males da humanidade, em virtude do baixo nível da média do discernimento coletivo.

Cada ser humano analisa e avalia a situação consoante o seu ponto de vista, consoante a sua perpectiva e a partir de seu referencial íntimo.

Na maioria das vezes de acordo com a sua própria imaturidade e interesses imediatos.

O ideal seria a pessoa ser corajosa perante a evolução e modesta perante o que ainda lhe falta aprender.
O ideal seria a pessoa ser corajosa perante a evolução e modesta perante o que ainda lhe falta aprender.

E quando falamos em coragem e discernimento tanto vale para a pessoa física, jurídica ou para um governante que representa os interesses de um povo.

Acertar ou errar faz parte das ações humanas, e é evidente que temos que evitar o apriorismo e termos uma adequada técnica de isenção em nossas opiniões o que fere normalmente interesses capitalistas ou de estima de muitos envolvidos no processo analisado.

Ter boas razões pessoais e belas intenções fascinam a decisão do autor tirando o
foco dos interesses coletivos.

Normalmente o administrador perde a isenção quando quer favorecer ou preservar alguém.

Este é o âmago e análise desta questão.senso comum,

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço