promo do documentário " Noitada de Samba, foco de resistência. "

“Noitada de Samba – Foco de Resistência”, indicado para o Premiere Brazil New York, no MoMA (Museum of Modern Art Nova York)

Samba’s Evening
2010. Brazil. Cély Leal. 75 min.
International premiere. Introduction and Q&A with Cély Leal, Jorge Coutinho, and Leonides Bayer

Samba’s Evening
2010. Brazil. Directed by Cély Leal. In 1971, under Brazil’s military dictatorship, Jorge Coutinho and Leonides Bayer began holding weekly “Samba Evenings” at Teatro Opinião in Rio de Janeiro, importing popular musicians from the suburbs to entertain Rio’s elite. Radical in both concept and execution, the series transformed the theater into a symbol of political and cultural resistance over its 617 performances in 13 years. Samba’s Evening recounts this history through music, rare footage, and interviews with Alcione, Beth Carvalho, D. Yvone Lara, Eliana Pittman, Elton Medeiros, Gilberto Braga, Martinho da Vila, Maurício Sherman, and others whose stories powerfully evoke the period. In Portuguese; English subtitles. 75 min.

Em 1971, em meio a ditadura militar, Jorge Coutinho e Leonides Bayer, davam inicio a Noitada de Samba..O Teatro Opinião, foi palco deste grande espetáculo musical onde compositores e intérpretes dos morros da periferia carioca transformaram aquele espaço em um foco de resistência política e cultural.Revivemos esta história através dos depoimentos emocionantes e curiosos de:
Adelzon Alves, Ademildes Fonseca, Afonsinho, Alcione, Aluisio Machado, ArlindoCruz, Baianinho, Beth Carvalho, Carlos Lyra, Dalmo Castello, Délcio Carvalho, Diana Aragão, Dona Ivone Lara, Eliana Pittman, Elton Medeiros, Genaro da Bahia, Gilberto Braga, Gisa Nogueira, João das Neves, Jorge Coutinho, Leci Brandão, Leonides Bayer, Lígia Santos,Mariuza, Martinho daVila , Maurício Sherman, Monarco, Nilze Carvalho, Noca da Portela, Poli, Pimpolho, Rubens Confete, Stênio -- Conjunto Nosso Samba, Xangô da Mangueira e Zeca da Cuíca.

Direção e roteiro : Cély Leal
Consultoria Artistica: Jorge Coutinho e Leonides Bayer
Assistencia de direção e montagem : Laila Valois

YouTube http://youtu.be/gB9KiVvQStI

Classificação:
  • Atualmente, 5/5 estrelas.

Exibições: 122

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Comentário de Delcio Marinho em 2 dezembro 2016 às 7:02

Em Uma Festa de BAMBAS .
um Senhor da Velha Guarda levantou e Disse
- " VAMOS CANTAR O SAMBA DOS SAMBAS "
e TODOS " EU SOU O SAMBA,
SOU NATURAL DAQUI DO RIO DE JANEIRO " Zé Keti


SAMBA
derivação de rítmos africanos como lundu e jongo, o Samba não surge como música, mas sim como dança popular. Vem da expressão semba, do quimbundo africano. Quer dizer umbigada e serve para descrever uma dança de roda em que os solistas chegam a tocar-se pela barriga, No final do século XIX, emprega-se a palavra Samba para designar qualquer tipo de baile ou festa popular, como forró ou arrasta-pé. Com andamento vivo, em ritmo 2/4, diferencia-se de marcha e do batuque, sendo influenciado por ambos.O primeiro registro fonográfico importante é Pelo Telefone, sucesso do Carnaval de 1917 composto por Ernesto dos Santos, o Donga. Quem primeiro recebe o título de Rei do Samba é o carioca Sinhô. Surgem ramificações como Samba de breque, samba-canção e o samba-exaltação


SAMBA ENREDO
a partir dos anos 30 torna-se o gênero por excelência do Carnaval Carioca com os primeiros desfiles de Escolas de Samba, o Samba de enredo se consolida. As letras apresentam o resumo de um tema histórico, folclórico ou biográfico. Por sua rítmica singular é considerado o gênero brasileiro de execução mais difícil por estrangeiros

 

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço